7 executivos tech que controlam o contato dos filhos com a tecnologia

Bill Gates e Steve Jobs privaram seus filhos de um mundo totalmente conectado

Foto: Shutterstock
http://pcworld.com.br/7-executivos-tech-que-controlam-o-contato-dos-filhos-com-a-tecnologia/
Clique para copiar

Em diretrizes divulgadas no início deste ano, a Organização Mundial da Saúde aconselhou que, para a manutenção devida da saúde, crianças de cinco anos ou menos não devem passar mais de uma hora por dia conectadas à internet.

Agora, com o Dia das Crianças chegando, reunimos sete grandes executivos da tecnologia que, na contramão do que a maioria pode imaginar, limitam e controlam o tempo que seus filhos passam na frente das telas. Confira e se inspire nas ideias e pensamentos de cada um.

Bill Gates, co-fundador da Microsoft

“Muitas vezes, estabelecemos um tempo após o qual não há tempo online e, no caso deles, isso os ajuda a dormir em uma hora razoável”, explicou Gates sobre o método que ele e sua esposa, Melinda Gates, adotaram para que seus filhos façam uso regrado da internet, sem que a tecnologia interfira no curso normal de suas vidas.

O executivo disse que passou a estabelecer limites mais rígidos quando percebeu que sua primogênita, Jennifer Katharine, estava passando tempo demais jogando videogames.

Para Gates, é inegável que as ferramentas digitais trazem inúmeras vantagens, contudo, é importante reconhecer que o uso excessivo pode ser prejudicial.

Sundar Pichai, CEO do Google

Em 2017, Pichai, que cresceu com pouco acesso ao telefone, sem computador e sem televisão, contou ao New York Times que tenta ser intencional ao limitar o tempo de exibição coletiva de sua família, dificultando o acesso à TV. “Em casa, nossa televisão não é facilmente acessível, de modo que há ‘energia de ativação’ antes que você possa assistir TV com facilidade”, revelou Pichai.

Além de monitorar quanto tempo seus filhos estão gastando usando tecnologia, Pichai disse que tenta reduzir o uso de celulares e computadores – o que não é uma tarefa fácil para o CEO de uma empresa de tecnologia.

Steve Jobs, co-fundador e ex-CEO da Apple

Walter Isaacson, autor da biografia “Steve Jobs”, disse ao New York Times que a casa de Jobs era relativamente livre de tecnologia, apesar de pertencer a um dos maiores executivos de tecnologia da história do Vale do Silício.

De acordo com Isaacson, os jantares em família eram especiais para Jobs, porque lhe proporcionavam um espaço para discutir diferentes tópicos e se conectar com seus filhos. “Todas as noites, Steve fazia questão de jantar na grande mesa comprida da cozinha, discutindo livros, histórias e uma variedade de coisas”, contou Isaacson.

Além de jantares familiares sem tecnologia, as crianças de Jobs aparentemente nem sequer experimentaram o iPad depois que ele chegou às prateleiras em 2010. “Ninguém nunca pegou um iPad ou computador. As crianças não pareciam viciadas em aparelhos”, completou.

Satya Nadella, diretor executivo da Microsoft

Em 2017, ao dar uma entrevista à revista estadunidense Good Housekeeping, Satya Nadella e sua mulher, Anu Nadella, contaram como controlam o acesso dos filhos à internet. “Recebemos relatórios sobre o que eles estão fazendo em seus computadores e eles sabem disso”, contou Anu. “A tecnologia para entretenimento sempre será uma negociação em nossa casa. Quantos filmes, quais tipos de videogame”, completou.

Alexis Ohanian, co-fundador do Reddit

Ohanian e Serena Willians, uma das maiores estrelas do tênis, têm uma filha de apenas 2 anos, entretanto, Ohanian disse ao canal CNBC que o casal já bolou um plano para quando a criança começar a se interessar pelo mundo digital.

“Minha esposa e eu queremos que ela saiba como é ter limites em tecnologia. Estou ansioso para jogar videogame com ela quando ela for mais velha, mas é realmente importante que ela tenha tempo para ficar apenas com seus pensamentos e com seus bloqueios e com seus brinquedos, por isso vamos regulá-lo bastante”, afirmou Ohanian.

Mark Cuban, investidor bilionário e estrela da série “Shark Tank”

Inicialmente, Cuban propôs uma espécie de jogo: para cada hora de leitura, seus filhos ganhavam duas horas assistindo ao conteúdo da Netflix; para problemas de matemática solucionados, algum tempo jogando Minecraft. Porém, a ideia não durou muito tempo e as crianças arrumaram um jeito para contornar as regras impostas pelo pai.

O jeito foi instalar roteadores especiais que são capazes de detectar quais aplicativos os filhos estão acessando, bem como de desativar a atividade a qualquer momento. “Essa é a desvantagem de ter um pai nerd, você sabe. Eu posso descobrir tudo isso”, brincou Cuban em um podcast chamado Thrive Global.

Evan Spiegel, co-fundador e CEO do Snapchat

Spiegel cresceu sem assistir à TV e credita a isso seu hábito de ler, construir coisas e pensar por si. Ao jornal Financial Times, o executivo alegou querer passar o mesmo costume para sua filha. Inclusive, anteriormente, já havia defendido que os pais limitassem o tempo que os filhos passam conectados. “Acho que a conversa mais interessante é sobre a qualidade do tempo de exibição”, comentou Spiegel.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site