Samsung Galaxy M30 | Bom, bonito e barato

O M30 é uma ótima alternativa para quem está de olho em um celular simples e que não quer gastar muito

Foto: Matheus Menucci
http://pcworld.com.br/dados-review/samsung-galaxy-m30-bom-bonito-e-barato/
Clique para copiar
PONTUAÇÃO
7

Samsung

Galaxy M30

Galaxy M30
R$ 1.499 ver na loja
Aparelho da Samsung reúne características de dispositivos premium, mas tudo dentro de um dispositivo simples e que não é muito caro.

Prós

  • Telão de qualidade para um modelo básico
  • Leve e confortável de segurar
  • USB-C e entrada P2
  • Bateria que dura bastante

Contras

  • Leitor biométrico em posição desfavorável
  • Sistema pode dar alguns engasgos
  • Câmeras abaixo da média

A Samsung sabe que nem todo mundo tem grana (ou interesse) para investir milhares de reais em um Galaxy Note ou Galaxy S. E agora em 2019 ficou claro que a companhia também tem como foco alcançar um público intermediário que não está disposto a abrir mão de recursos premium, sem ter de pagar a mais por isso.

Uma das opções que se encaixam nessa proposta é o Galaxy M30, um dispositivo básico, mas com cara de refinado, que já pode ser encontrado por um preço camarada em lojas online. Ele tem uma bateria excelente e um hardware que dá conta do recado, mas por ser um smartphone basicão, poderia entregar funções um pouco mais aprimoradas. Nesta análise eu conto para você do que o M30 é capaz, e se ele pode atender suas expectativas.

Análise em vídeo:

Design

O Galaxy M30 é o modelo mais avançado entre os aparelhos da linha M, que chegou para substituir a família J. É também uma ponte para a linha A, que por sua vez disponibiliza celulares mais robustos, mas não chegam ao patamar da linha Galaxy S. Só que, mesmo prezando por um design mais minimalista, o M30 traz um visual refinado que imita o acabamento de seus irmãos.

samsung galaxy m30

Começando pela traseira que tenta imitar vidro, mas é feita em polímero de carbono. Além de dar um toque mais moderno ao aparelho, ele não fica mais caro justamente pelo material de baixo custo. Também percebi que a traseira, mesmo sendo de plástico, é mais resistente a marcas de dedo, que vão desaparecendo com o tempo. E um detalhe que chamou minha atenção: as câmeras traseiras não saltam para fora, pois não há protuberância na disposição do sensores. Só o leitor de impressões digitais que, para mim, ficou em uma posição não muito vantajosa, pois você é obrigado a usar somente o dedo indicador caso queira desbloquear o smartphone com uma única mão.

Outra coisa que eu gostei no Galaxy M30 é que, embora seja um aparelho de entrada, ele vem com uma porta USB-C, algo que não é muito comum nos celulares dessa categoria. Essa mesma porta é usada para recarregar o telefone no que a Samsung chama de "Recarga Rápida Adaptável". E ah, a sul-coreana não matou a entrada P2 para fone de ouvido, o que significa que você pode ouvir suas músicas e carregar o aparelho ao mesmo tempo. Em contrapartida, o alto-falante não é tão eficaz porque, além de mono, fica numa posição desfavorável.

samsung galaxy m30

Na parte da frente, temos uma tela de 6.4 polegadas que talvez traga a melhor qualidade para um smartphone de entrada. O notch vem no formato de gota d'água e é bem discreto. Por falar em água, o M30 não tem certificação contra líquidos e poeira, portanto nada de sair com ele embaixo da chuva ou mergulhá-lo na piscina. No geral, o design grandão do Galaxy M30 é agradável, oferecendo uma pegada confortável mesmo para mãos pequenas. E tem também uma entrada híbrida para microSD de até 2 TB e dois cartões de operadora.

Tela

samsung galaxy m30

Reforço minha afirmação que o Galaxy M30 traz a melhor tela para um celular básico disponível hoje no mercado. São 6.4 polegadas em um display Super AMOLED de resolução Full HD+ e proporção 19,5:9. Por conta das bordas serem bem finas, você tem um ótimo aproveitamento do painel, seja para navegar pelos menus do aparelho, assistir vídeos no YouTube ou jogar pelo celular.

Você também pode personalizar algumas configurações da tela, como intensidade das cores, contraste, brilho, entre outras características. O que pode deixar a desejar é que o M30 não vem com um sensor de luminosidade, o que pode tornar o ajuste do brilho automático um pouco mais lento que o normal. Contudo, esse é um ponto que não deve ser tão decisivo na compra. Afinal, lembre-se que estamos falando de um dispositivo básico.

Hardware e software

O M30 oferece um processador Exynos 7904 com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno que, como disse anteriormente, pode ser expandido para até 2 TB via cartão microSD. Vou de novo bater nessa tecla: aqui temos um aparelho de entrada, portanto não espere por uma configuração extremamente robusta, capaz de rodar tarefas mais pesadas. Contudo, isso não significa que o desempenho do M30 falhe na hora de entregar uma experiência fluída e sem travamentos.

O processador usado no smartphone já é um pouco velho se comparado a outros chipsets, mas nem por isso ele me deixou na mão no dia a dia. Todas as atividades que desempenhei no aparelho foram prontamente atendidas, sem engasgos ou uma lentidão que fosse perceptível, em especial nos jogos e reprodução de vídeos em Full HD.

O que eu achei um pouco lenta foi a navegação pelo sistema operacional do M30. De fábrica, o telefone vem com a Samsung Experience 9.5 e Android 8.1 Oreo, porém a Samsung já liberou a One UI para download. Sobre a One UI, eu comentei no meu review do Galaxy S10+ que essa é uma das melhores adaptações de plataforma já feitas para o Android, pois deixa o visual do sistema mais próximo ao Android Puro, sem matar por completo uma identidade única desenvolvida pela Samsung.

samsung galaxy m30

A questão é que a One UI, apesar de ser mais leve que versões anteriores da Samsung Experience, parece não estar totalmente responsiva em smartphones menos potentes. Várias vezes percebi uma demora no recurso de multitarefa do sistema, e até para abrir aplicativos - sejam eles da Samsung ou de terceiros - ficou notável um delay até que uma determinada ferramenta fosse executada.

Para completar, o M30 não vem com nenhum aspecto da Bixby integrado. Não que ela faça muita diferença - até nos modelos premium da Samsung falta um apelo para que a assistente seja, de fato, mais utilizada. O Google Assistente chega como um substituto, mas seria interessante se pelo menos a Bixby Home, que são aqueles cards ao estilo do antigo Google Now, estivesse presente.

Bateria

Bateria é um ponto fundamental em aparelhos de entrada. A boa notícia é que o Galaxy M30 entrega isso e muito mais com sua bateria de 5.000 mAh, mesmo se você for um usuário que passa horas na frente do celular. Não sou alguém que fica colado no smartphone 24 horas por dia, mas coloquei o M30 em algumas provas de fogo para testar o quanto a bateria aguenta o tranco, como reprodução de vídeo em Full HD no YouTube, streaming na Netflix, jogar PUBG e Free Fire, e gravação pela câmera.

Por hora, desempenhando alguma dessas ações de forma contínua, a bateria reduziu cerca de 9%. Levando em consideração que ninguém deve ficar mais do que isso usando o smartphone, ao final do meu dia a bateria chegou tranquilamente a cerca de 37% restantes. No modo stand-by, usando o aparelho somente para checar ou responder mensagens de e-mails e aplicativos, essa porcentagem subiu para 44% ao final do dia. Conclusão: pode respirar tranquilamente que o M30 suporta até dois dias de uso sem precisar de uma nova recarga.

Se a duração de bateria é um ponto positivo do M30, o mesmo não posso dizer da velocidade de recarga. O smartphone inclui um carregador rápido de 15 watts, mas que não dá conta da bateria de 5.000 mAh. Como resultado final, levei cerca de 2h22 minutos para ir do 0% aos 100%.

Câmeras

samsung galaxy m30

O Galaxy M30 segue a tendência de últimos lançamentos da Samsung e inclui não uma, mas três sensores na parte traseira. O principal tem 13 MP e lente com abertura de f/1.9; os outros dois - uma câmera ultrawide e outra de profundidade - possuem 5 MP cada e lentes com abertura de f/2.2. O M30 já se sobressai frente aos concorrentes por ser um dos poucos aparelhos de entrada com uma lente ultrawide, que tem se tornado mais comum em basicamente todos os celulares.

E é aquela coisa: se você estiver em um ambiente bem iluminado - e aqui leia-se pela luz do sol -, você não encontrará problemas para obter boas fotos. A câmera ultrawide tem realmente um efeito superior ao sensor principal, produzindo fotografias com bom nível de detalhamento e bastante cor. A gravação de vídeo nessas condições também não desaponta para um aparelho tão básico.

Em contrapartida, não espere alcançar fotos excelentes à noite ou lugares com pouca luz; até mesmo locais com luz artificial ficam com qualidade muito abaixo do esperado, com ruídos por toda a imagem. Então fica o conselho: fotos ao dia com o M30 saem numa boa, mas esteja preparado para o pior em registros à noite ou em lugares sem muita iluminação.

Vale a pena?

samsung galaxy m30

Analisando todas as características (das boas àquelas que são mais ou menos), o Galaxy M30 chega como uma das melhores opções de smartphone para quem procura por um aparelho mais básico, sem deixar de lado recursos que até pouco tempo você só encontrava em modelos premium. Isso inclui bateria de longa duração, leitor de impressões digitais (apesar de não ser tão funcional), tela gigante, um conjunto de câmera tripla e um design ergonômico para todos os tipos de usuário.

Hoje, o M30 já pode ser encontrado por menos de R$ 1.200. Por isso, é um aparelho que entrega o necessário por um custo menor do que a maioria dos concorrentes.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site