Huawei prepara terreno no Brasil para a chegada de celulares sem apps do Google

Empresa realizou o Huawei Developers Day em São Paulo para apresentar aos desenvolvedores seu próprio ecossistema

Foto: Divulgação
http://pcworld.com.br/huawei-prepara-terreno-no-brasil-para-a-chegada-de-celulares-sem-apps-do-google/
Clique para copiar

Em novembro, a Huawei anunciou o lançamento do seu próprio assistente virtual. Nesta quinta-feira (05), a empresa oficializou a novidade também para os desenvolvedores brasileiros. A divulgação aconteceu durante o evento Huawei Developers Day, que reuniu criadores de aplicativos brasileiros em São Paulo para fomentar a expansão do ecossistema da AppGallery, a loja oficial de aplicativos da marca.

O Huawei Assistant é um grande passo para a Huawei se desvencilhar cada vez mais dos serviços do Google, uma vez que a empresa tem sofrido com a sanção do governo dos Estados Unidos. No entanto, apesar dos desenvolvedores conseguirem integrar seus apps ao assistente, os consumidores nacionais ainda não podem usar a novidade.

Isso porque por aqui só temos dois modelos de smartphones da empresa, o Huawei P30 Pro e P30 Lite, e ambos funcionam com o Serviços do Google Mobile (GMS, na sigla em inglês), enquanto o Huawei Assistant funciona apenas com modelos embarcados com o Huawei Mobile Services (HMS). Ou seja, modelos como o Mate 30, que ainda não chegou ao Brasil.

Huawei Developers Day Brasil explicou aos desenvolvedores sobre o ecossistema proprietário da empresa (Foto: Joyce Macedo / PCWorld Brasil)

Qual a diferença entre GMS e HMS?

O Android é um sistema operacional de código aberto, o que significa que seu acesso é livre para quem quiser usá-lo. Mas tem um detalhe bem importante que deixa a experiência do Android do jeitinho que conhecemos atualmente: o Google Mobile Services (GMS).

Basicamente, é uma coleção de APIs e aplicativos do Google que já vêm pré-instalados nos dispositivos Android. O GMS não é parte do projeto de código aberto do Android, o que significa que as fabricantes precisam comprar uma licença do Google para instalar o pacote nos seus aparelhos. E é aí que entra o problema da Huawei, já que o governo dos EUA quer proibir as empresas norte-americanas (incluindo o Google) a negociar com a chinesa. A alternativa foi trabalhar no seu próprio conjunto de APIs e apps: o HMS, ou Serviços Móveis Huawei.

“Nosso trabalho está focado no que podemos fazer, sem depender de terceiros”, reforçou Daniel Dias, Gerente de Go-To-Market da Huawei Brasil. É importante destacar também que mesmo sem o GMS os smartphones da Huawei continuam sendo Android.

Em 2018, a empresa lançou o HMS como uma plataforma global aberta que incorpora os recursos de chip, dispositivo e nuvem da Huawei e integra um conjunto de serviços principais da HMS (HMS Core), ferramentas e plataformas para desenvolvimento e testes, além de aplicativos como o AppGallery, o Huawei Browser e o Huawei Video. Em 2019, a novidade desembarcou aqui no Brasil.

Durante o Huawei Developers Day, a empresa explicou aos desenvolvedores sobre todo esse ecossistema para que eles possam cadastrar seus apps. Atualmente eles podem ser distribuídos em outros países, já que no Brasil ainda não temos celulares com HMS. Mas isso pode mudar em breve.

Teremos Huawei Mate 30 no Brasil?

De acordo com Daniel Dias, existe a possibilidade de lançamento de um dispositivo HMS no Brasil. No entanto, nosso país ainda é um mercado muito novo para a Huawei no quesito smartphones.

A empresa voltou a atuar neste segmento por aqui no primeiro semestre deste ano, e o portfólio de produtos comercializados ainda está bem limitado. No entanto, a Huawei é a segunda fabricante que mais vende smartphones no mundo. Ou seja, ainda tem espaço para crescer no Brasil.

O problema é que a cultura digital dos brasileiros ainda não comporta uma boa aceitação de produtos sem os serviços do Google. Afinal, o consumidor quer ter seu Google Maps, Google Drive, Google Fotos e tudo mais ali sempre a mão.

Mas a Huawei está se empenhando para tentar impulsionar sua loja de aplicativos e seu ecossistema, tanto que oferecerá integração gratuita até o final de 2020 para ajudar os desenvolvedores a entrarem na plataforma. A empresa anunciou que está investindo US$ 1 bilhão para que os desenvolvedores ofereçam seus apps para os clientes Huawei.

Acontece que esse trem do Mate 30 já partiu e o HMS ainda não está pronto para o público brasileiro. Porém, se levarmos em consideração que a Huawei realizou este evento dedicado aos desenvolvedores nacionais e que o executivo foi enfático ao dizer que existe a possibilidade de vermos algum exemplar sendo comercializado por aqui em algum momento, não é tão surreal pensar que podemos ter esperanças de um Huawei P40 desembarcando por aqui em 2020 sem os serviços do Google.

Relacionadas

Leilão do 5G no Brasil deve ser adiado para 2021

As operadoras comentaram sobre a possível decisão do governo

DxoMark | Quais são as melhores câmeras em smartphones de 2019?

O benchmark do DxoMark vai te responder isso agora

Perfil da Huawei no Twitter foi usado para xingar Apple e criticar Black Friday

As publicações foram apagadas pouco tempo depois

Consertar a tela de um Huawei Mate X é mais caro do que um iPhone 11 Pro novo

Caro para comprar e mais caro ainda para manter

EUA pressionam Brasil para não aceitar Huawei no comando do 5G

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou com um representante da Huawei para discutir as opções

Huawei Mate X: testei o smartphone dobrável chinês [Hands-on]

Única unidade disponível no país veio parar nas mãos da PCWorld Brasil

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site