Leilão do 5G no Brasil deve ser adiado para 2021

As operadoras comentaram sobre a possível decisão do governo

Foto: Shutterstock
http://pcworld.com.br/leilao-do-5g-no-brasil-deve-ser-adiado-para-2021/
Clique para copiar

Recentemente, foi divulgada uma pesquisa apontando que a tecnologia 5G deve alcançar 2,6 bilhões de usuários até o ano de 2025, com um tráfego médio mensal de até 7.2 GB de dados. Infelizmente, talvez esses números não cheguem tão rápido no Brasil, já que o 5G deve ser adiado para 2021 por aqui.

De acordo com a Folha de São Paulo, as operadoras de telefonia, fabricantes e fornecedoras estudam adiar a implementação da tecnologia por mais um ano. A culpa pode ser da guerra tecnológica que vem acontecendo entre os Estados Unidos e a China, que são os maiores competidores dessa corrida.

Recentemente, foi revelado que representantes do presidente Donald Trump pressionaram o governo brasileiro a não aceitar a Huawei como responsável pela implementação do 5G no Brasil. De qualquer forma, parece que a companhia chinesa ainda continua conversando com representantes brasileiros.

Algumas empresas do setor revelaram que receberam mensagens afirmando que o presidente Jair Bolsonaro deve aumentar o prazo em um ano para os norte-americanos estudarem e aprimorarem as tecnologias 5G que oferecem. Nos Estados Unidos, a tecnologia está sendo aprimorada em parceria com a Nokia. As informações indicam que o pedido dos americanos foi para aumentar o prazo em dois anos.

Nos bastidores do Brasil, isso deve ajudar o atual governo, já que o presidente Bolsonaro está tentando criar uma aproximação das relações com os Estados Unidos.

Aparentemente, a parceria estratégica relacionada à segurança não será fortalecida se o governo de Bolsonaro escolher a Huawei para implementar as redes 5G no Brasil. O governo Trump ainda pediu para não compartilhar certas informações com os países que usam tecnologia chinesa.

Infraestrutura

Em relação às operadoras de telecomunicação, o maior problema é a instalação das antenas que, atualmente, é responsabilidade das prefeituras das cidades. Para usar a tecnologia, será necessário instalar cerca de 10 vezes mais antenas do que é disponibilizado atualmente, porém, parte dos municípios não permite a grande ampliação das redes. O intuito dos municípios é não aumentar a irradiações dos sinais, pois afirmam que esse fator pode prejudicar a saúde.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deve se reunir no dia 12 de dezembro para estabelecer as regras do leilão, que deve acontecer no fim de 2020. O secretário-executivo do Ministério da Ciência, Julio Sameghini, nega que haverá adiamento.

Atualmente, a Huawei é uma das maiores fornecedoras de equipamentos relacionados à redes de telecomunicações, ela possui 46% dos contratos globais. Em segundo lugar está a Nokia com 38% e em terceiro a Ericsson com 16%.

Fonte: Folha de S.Paulo

Relacionadas

Intel e MediaTek firmam parceria no desenvolvimento de modem 5G para PCs

O chip Helio M70 5G, da Intel, será utilizado como base

Qualcomm e Siemens testam 5G em ambientes industriais

Companhias querem entender como a tecnologia funcionará na indústria

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site