Texto t e x t o texto t e x t o texto t e x t o texto t e x t o texto t e x t o texto t e x t o texto

Como limpar um PC infectado por malware

Lincoln Spector, PCWorld EUA
07/06/2013 - 07h00 - Atualizada em 24/07/2014 - 05h32
Seu PC foi infectado apesar de seus esforços para mantê-lo seguro? O notebook de um amigo tem tantos vírus que parece um laboratório? Siga estes passos para recuperá-lo!

Você trabalha duro para manter seu PC protegido dos vilões do mundo digital. Mantém seu antivírus sempre atualizado. Evita sites de natureza duvidosa. Não abre anexos suspeitos. Mantém o Flash, o Java e o Adobe Reader sempre atualizados ou, melhor ainda, aprendeu a viver sem eles.

Mas ainda assim um novo e engenhoso Trojan conseguiu passar por uma fresta e agora você é o infeliz proprietário de um PC infectado. Ou então talvez um amigo menos atento tenha lhe pedido para ajudar a salvar uma máquina assolada por pragas.

É óbvio que é necessário fazer uma varredura no computador e remover o malware. Mas como? Preparamos este guia com uma abordagem metódica, que você pode usar para determinar qual é o problema, como fazer uma varredura e como proteger um PC recuperado de invasões futuras.

1. Verifique se há mesmo uma infecção

Será que o PC está mesmo infectado? Cansei de ver pessoas culpando um “vírus maldito” por tudo, de uma placa de som com defeito à própria estupidez. O primeiro passo para recuperar a saúde do sistema é determinar se você está mesmo lidando com um vírus, em vez de um problema de hardware, software ou erro de usuário.

Se o PC está muito mais lento do que de costume, ou se costuma fazer coisas que você não pediu por “vontade própria” (abrir apps, acessar sites, etc), então há motivos para suspeita. Mas antes de dizer que um vírus é o responsável, abra o Gerenciador de Tarefas do Windows (clique com o botão direito do mouse sobre a barra de tarefas no rodapé da tela e selecione a opção Gerenciador de Tarefas no menu). Abra a aba Processos e veja se encontra algum app estranho ou desconhecido rodando em segundo plano, especialmente aqueles com um nome que parece não fazer sentido ou uma descrição suspeita. Por exemplo, um processo chamado wuauclt pode parecer suspeito, mas consultando a descrição descobrimos que ele pertence à Microsoft e é parte do Windows Update.

Claro, essa é apenas uma orientação geral. Não há nada que impeça um malware de se disfarçar de programa legítimo usando uma descrição inofensiva, ou mesmo de se ocultar do Gerenciador de Tarefas. Ainda assim, você ficaria surpreso ao ver quantas vezes um malware “entrega o jogo” com uma descrição ou nome do processo cheio de caracteres estranhos.

2. Procure por sinais claros de malware

Os piores malware irão tentar todos os truques possíveis para evitar que sejam removidos. Se seu PC subitamente deixar de abrir utilitários que podem ser usados na tarefa, como o msconfig ou regedit, fique de olho. Se seu antivírus subitamente deixar de funcionar, é um péssimo sinal.

Às vezes o ataque é mais óbvio. Se um programa que você não reconhece aparece do nada e começa a dar “avisos” de “problemas sérios” com seu PC, ou pede seu número de cartão de crédito, seu PC está definitivamente infectado com malware.

Nunca dê o número de seu cartão de crédito, ou qualquer outra informação, a qualquer programa ou site que avise que seu PC está prestes a “morrer”. É quase certeza de que se trata de um componente de malware, que tenta assustar o usuário com avisos de erros críticos ou falhas de hardware.

malware_windowssecurity-360px.jpg
Essas janelas mostrando centenas de ameaças em
seu PC geralmente são malware tentando te assustar

Muitas vezes eles usam nomes que sugerem um app de segurança, como “PC Protector Pro”, "Windows Web Security" e afins, e prometem uma “cura rápida” para os problemas se você pagar por um “upgrade”. Se você der seu número de cartão de crédito ou endereço de e-mail, duas coisas vão acontecer com certeza: a primeira é que você vai ser roubado. A segunda é que em breve irá começar a receber spam, boa parte dele contendo mais malware.

3. Faça uma busca por soluções

Um benefício destes falsos alertas é que eles podem apontá-lo na direção de uma cura. Faça uma pesquisa por frases que aparecem em meio aos alertas, ou pelo nome do “programa” que os está exibindo. Você provelmente encontrará pessoas que estão sofrendo com o mesmo problema, e eventualmente informações que ajudarão a identificar seu inimigo ou um passo-a-passo de como removê-lo. Mas tenha cuidado! Só aceite conselhos de sites que parecem confiáveis, e faça uma varredura completa no PC depois de seguir quaisquer instruções, mesmo as nossas.

Se não houver pistas levando a uma solução rápida, uma varredura no sistema é o próximo passo importante.

4. Assuma que seu antivírus foi comprometido

Não perca tempo tentando fazer uma varredura em seu PC usando o antivírus que já está instalado. Afinal de contas, pra começo de conversa ele não conseguiu pegar o malware quando ele se instalou em sua máquina. E depois que o vírus se instala, assuma que seu antivírus foi comprometido e agora está sob controle dos vilões. Ele pode ter sido modificado para dizer que tudo está bem, quando a verdade é longe disso.

Você precisa de uma nova ferramenta para varredura (um “scanner” no jargão) em busca de malware, uma que já não esteja instalada em seu computador. Ela precisa ser capaz de detectar e remover o malware de seu PC, e precisa rodá-la a partir de um ambiente onde o malware não pode agir. Linux é a melhor opção, mas antes disso tente executar o Windows em modo de segurança.

5. Use uma ferramenta leve para varredura no Modo de Segurança.

O Windows tem um modo de segurança que inicia o PC com uma versão mínima do sistema operacional, com drivers genéricos e nada mais. Nesse modo a maioria dos aplicativos que são abertos junto com o sistema operacional não é carregada e, com sorte, o malware que está assolando seu PC também não será.

Para entrar em modo de segurança, inicie seu computador e pressione a tecla F8 antes que o Windows comece a ser carregado. Você precisa ser rápido, então o melhor a fazer é teclar F8 repetidamente do momento em que o logo do fabricante aparece na tela até um menu de boot aparecer na tela.

Nesse menu selecione a opção Modo de segurança com rede. A conexão de rede é importante, você precisará de acesso à internet para resolver seu problema.

malware_eset-360px.jpg
ESET Online Scanner: varredura completa via web

Uma vez em modo de segurança abra o Internet Explorer (outros navegadores podem não funcionar corretamente) e rode uma ferramenta de varredura online. Eu recomendo o ESET Online Scanner, que roda dentro do navegador, está sempre atualizado e é executado a partir de um servidor remoto. Dependendo do navegador pode ser necessário aceitar um plugin, mas ele será removido quando a varredura terminar. Antes de começar, clique em Advanced Settings e habilite todos os níveis de segurança extra que puder, incluindo a varredura de arquivos comprimidos e cache do navegador.

malware_trendmicro-360px.jpg
House Call, da Trend Micro: pode ser instalado em um pendrive

Experimente também o HouseCall, da Trend Micro. Ele não é um aplicativo web mas é “portátil”, ou seja, você pode baixá-lo em um outro computador, copiá-lo para um pendrive e rodá-lo a partir de lá. Mas você precisará de uma conexão à internet para atualizar as definições de vírus. E não rode o HouseCall na configuração padrão: antes de clicar no botão azul que diz Scan Now clique em Settings e marque a opção Full system scan (varredura completa do sistema).

Não importa qual opção você usar, não tenha pressa. Observe as opções disponíveis e faça a varredura mais completa disponível, mesmo que seja demorada. Depois de iniciá-la saia da frente do PC e vá ler um livro, lavar a louça ou passar um tempo com a família. A varredura deve demorar algumas horas.

6. Peça uma segunda opinião

Quando a primeira varredura terminar roda uma outra com uma ferramenta diferente. Assim você poderá dormir sossegado se ambas disserem que seu PC está limpo.

7. Use o Linux como linha de defesa

O modo de segurança pode não ser o suficiente para impedir a ação dos malware mais sofisticados. Se você ainda tiver problemas após múltiplas varreduras em modo de segurança, terá de ignorar o Windows e evitar “dar boot” na máquina a partir do HD interno. A solução é criar um CD ou pendrive “bootável” com um utilitário antivírus baseado em Linux.

Você não precisa conhecer nada de Linux para fazer isso. Mas novamente precisará de uma conexão à internet para atualizar as definições do antivírus.

O primeiro passo é baixar um scanner “bootável”, como o Kaspersky Rescue Disk 10, que é distribuído na forma de um arquivo .ISO. Esse arquivo deve ser gravado em um CD, criando um disco de boot para seu PC. No Windows 7 basta dar um duplo-clique no arquivo .ISO e seguir as instruções. No Windows 8 clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo e selecione a opção Gravar imagem de disco. Em versões anteriores do Windows você terá de usar um utilitário para gravar o CD, como excelente (e gratuito) ImgBurn.

malware_kaspersky-360px.jpg
Kaspersky Rescue Disk: interface simples, similar à do Windows

O Kaspersky Rescue Disk tem uma interface similar à do Windows, então você irá se sentir “em casa”. Mas é preciso ter cuidado ao configurar a varredura, já que o programa não atualiza suas definições automaticamente. Para fazer isso clique na aba Update Center e clique em Start Update. Depois da atualização volte à aba Objects Scan, clique em Settings e coloque o nível de segurança na posição máxima. Certifique-se de que todos os seus HDs estão marcados antes de começar a varredura, e vá tomar um café ou assistir a um filme.

Também é possível rodar o Kaspersky Rescue Disk a partir de um pendrive em vez de um CD. Para isso você precisará da ferramenta Utility to record Kaspersky Rescue Disk 10 to USB devices. Coloque-a na mesma pasta que o arquivo .ISO, dê dois cliques para executá-la e siga as instruções.

Já o F-Secure Rescue CD não é tão amigável quanto o programa da Kaspersky. Na verdade, pode acabar te lembrando dos velhos tempos do DOS, mas ele funciona. Não se assuste com o alerta em vermelho dizendo: “If a Windows system file is infected, the computer may not restart”. (“Se um arquivo de sistema do Windows estiver infectado, o computador pode não reiniciar”). Nunca soube de um PC que não reiniciou corretamente após uma varredura com o utilitário da F-Secure, e suspeito que as chances de que isso ocorra são pequenas. E de qualquer forma, se um malware conseguir infectar um arquivo de sistema crucial ao Windows uma reinstalação do sistema será a única opção.

malware_fsecure-360px.jpg
F-Secure Rescue CD: não é bonito, mas funciona bem

O F-Secure Rescue CD tem uma interface básica em modo texto que não é nada atraente. Mas ao contrário da ferramenta da Kaspersky ele atualiza suas definições automaticamente (se encontrar uma conexão à internet) e começa uma varredura completa quase que imediatamente. Você só precisa aceitar a licença.

O F-Secure não tem um utilitário especial para instalação em um pendrive, mas você pode fazer isso usando o Universal USB Installer. Na janela do programa, no menu abaixo de Step 1, você irá encontrar o F-Secure Rescue CD quase no final da lista. 

8. Seu PC está limpo? Então proteja-o!

Depois que seu PC estiver limpo, reinicie o Windows normalmente e desinstale seu “velho” antivírus, já que ele foi comprometido. Depois reinstale-o e atualize as definições ou, se tiver perdido a confiança nele, instale um concorrente. E não deixe um incidente de abalar, continue investindo tempo e esforço na proteção de seu PC. Quando o assunto é malware, um byte de prevenção vale por um terabyte de cura.

Publicidade

White Papers

Implantação de Data Centers com Eficiência Energética

Confira como quantificar a economia de energia elétrica e métodos que podem reduzir bastante o consumo de energia elétrica

Solução de ERP na nuvem: controle e eficiência sempre em mãos

Conheça os benefícios de usar um software de gestão no modelo cloud computing e tenha todos os dados da sua empresa disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana

Sua empresa está preparada para o BYOD?

O "Bring Your Own Device" já é realidade, mas ainda gera dúvidas

Como as ferramentas de comunicação e colaboração impactam os resultados de negócios

Veja aqui alguns dos benefícios da adoção dessas ferramentas nas organizações

Classificação de Ferramentas de Software de Gerenciamento de Data Center

Com um sistema de classificação pronto, os profissionais de data center podem começar a determinar quais ferramentas de gerenciamento de infraestrutura física são necessárias para a operação de seus data centers

Pesquisa: os desafios de Big Data para as empresas

47% consideram o crescimento dos dados a principal preocupação. E você? Conheça outras estatísticas e as soluções de armazenamento que podem ajudar a sua empresa.

Publicidade
Publicidade
 

Reviews

Mais reviews

Belo design, capas coloridas permitem personalizar o aparelho
Tela grande e de ótima qualidade
Bom desempenho e autonomia de bateria
Tem slot para cartões microSD

Câmera traseira tem foco fixo
Não tem flash
Não tem câmera frontal
Só 4 GB de memória interna

Desempenho excepcional
Excelente autonomia de bateria

Tela tem péssima qualidade de imagem
Grande e desengonçado

Publicidade
Publicidade