A monstruosa placa de vídeo Nvidia Titan Z chega ao mercado por US$ 3.000

Jared Newman, PCWorld EUA
29/05/2014 - 13h21 - Atualizada em 29/05/2014 - 13h24
Placa tem o dobro do desempenho de sua antecessora, 12 GB de memória e exige uma fonte capaz de fornecer 375 Watts só para ela.

Demorou alguns meses além do esperado, mas a GeForce Titan Z, a mais poderosa placa de vídeo da Nvidia, finalmente está chegando às lojas no exterior.

Combinando duas GPUs em uma única placa, a Titan Z tem o dobro do desempenho da Titan Black, lançada no ano passado. Com isso ela tem o dobro de núcleos CUDA (5760), unidades de textura (480) e saídas de renderização (96) que sua antecessora. Também tem o dobro de memória de vídeo, 12 GB, e duas vezes a largura de banda no acesso à memória, 672 GB por segundo.

E o que você consegue com tanto poder? A Nvidia diz que a Titan pode lidar mesmo “com as mais insanas combinações de múltiplos monitores e “hiper PCs” com vídeo em 4K”. Fora do mundo dos jogos, a Nvidia alega que apenas três Titan Z seriam o suficiente para lidar com os esforços da Google para modelar o cérebro humano, algo que em 2012 exigiu 16 mil PCs dedicados à tarefa.

Para usar uma Titan Z em sua máquina você irá precisar de conectores de energia de 8 pinos e uma fonte de alimentação capaz de fornecer 375 Watts. A placa tem uma saída DVI-I, uma DVI-D, uma DisplayPort e uma HDMI.

Você vai precisar também de muito dinheiro, já que a Nvidia manteve o preço originalmente anunciado de US$ 3.000 (nos EUA), o que torna a Titan Z a placa de vídeo mais cara já produzida pela empresa.

Se você puder aceitar “meros” 8 GB de memória de vídeo e um consumo de 500 Watts, a AMD Radeon R9 295 X2, equipada com um sistema de refrigeração a água feito sob medida, pode ser uma alternativa atraente. Com um preço sugerido de US$ 1.500, ela custa a metade do preço da concorrente da Nvidia e destruiu nossos testes em tarefas de computação e jogos. 

A Titan Z está disponível nos EUA em revendas como a Amazon, Newegg e Tiger Direct, e também poderá ser encontrada em fabricantes de PCs para gamers como a Origin, CyberPowerPC e Digital Storm.

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

White Papers

Tendências em criptografia e gestão de chaves: Brasil

Grandes violações e ataques cibernéticos fizeram crescer a urgência das empresas em aprimorar sua postura de segurança. Diante deste cenário, a pesquisa conduzida pelo Ponemon Institute examinou o uso da criptografia como estratégia de segurança dos dados da empresa e qual o impacto dessa tecnologia na postura de segurança.

A Transformação Digital depende do gerenciamento de dados corporativos

Os dados são ativos valiosos para as corporações e imprescindíveis para manter sua competitividade no mercado. Conhecer estes dados e transformá-los em informação estratégica para o seu negócio é fundamental para gerar vantagem competitiva, manter e conquistar novos clientes. Mas como ver, controlar ou regular seus dados? Acesse este white paper para conferir os principais desafios enfrentados pelas organizações diante de seu grande volume de dados corporativos e como torná-los em ativos estratégicos.

10 principais tendências de Business Intelligence para 2017

Reviews

Mais reviews

Belo design, capas coloridas permitem personalizar o aparelho
Tela grande e de ótima qualidade
Bom desempenho e autonomia de bateria
Tem slot para cartões microSD

Câmera traseira tem foco fixo
Não tem flash
Não tem câmera frontal
Só 4 GB de memória interna

Desempenho excepcional
Excelente autonomia de bateria

Tela tem péssima qualidade de imagem
Grande e desengonçado