Os recursos que devem mudar na Fitbit após ser comprada pelo Google

Agora que a compra da Fitbit pelo Google é oficial, vamos dar uma olhada em como as coisas podem mudar (para melhor)

Foto: Ben Patterson/IDG
http://pcworld.com.br/os-recursos-que-devem-mudar-na-fitbit-apos-ser-comprada-pelo-google/
Clique para copiar

Em um movimento esperado e um tanto chocante, o Google anunciou há cerca de uma semana que está adquirindo a Fitbit, trazendo uma variedade de dispositivos para a tenda da fabricante do Wear OS. Demorará um tempo até que saibamos exatamente onde tudo isso levará, mas podemos adivinhar alguns detalhes sobre o que vai ficar e o que muito provavelmente será deixado para trás.

O que deve ser descontinuado

Amazon Alexa no Versa 2

Quando a Fitbit anunciou o Versa 2 em setembro, ele veio com uma grande surpresa: suporte em nível de sistema para o Alexa. É um dos poucos dispositivos wearables de terceiros a integrar-se com a assistente da Amazon e trouxe um recurso muito necessário ao melhor smartwatch da Fitbit. Contudo, o Versa 2 é provavelmente o primeiro e último dispositivo a suportar a Alexa, pelo menos sem um terceiro aplicativo. Mas não tenha medo: o Google Assistente provavelmente está a caminho do Versa 3.

Fitbit Premium

Outro recurso de 2019 recém lançado é o mais novo serviço de assinatura Fitbit Premium. Oferecendo orientação personalizada sobre saúde e fitness, suporte motivacional e ideias avançadas, o Fitbit Premium é inteligente e adaptável, mas dado o compromisso sem foco do Google com os serviços, provavelmente não vai durar, pelo menos como uma assinatura paga. No entanto, não seria surpreendente ver recursos como o Relatório Premium de Bem-Estar como um benefício gratuito para os usuários do Google-Fitbit.

Fitbit Pay

Não sabemos ao certo quantas pessoas usaram o Fitbit Pay em seus smartwatches Ionic e Versa, mas podemos adivinhar que ele empalidece em comparação com o Google Pay, o enorme serviço de pagamento em telefones Android, iPhones e relógios Wear OS. É realmente apenas uma coisa de marca. Embora tenhamos certeza de que você sempre poderá fazer compras usando seus dispositivos Fitbit habilitados para NFC, é quase certo que você não fará isso sob o nome Fitbit Pay por muito mais tempo.

Fitbit Flyer

Quando o smartwatch Ionic foi lançado, a Fitbit também estreou seu primeiro par de fones de ouvido Bluetooth chamado Fitbit Flyer. Eles eram bastante comuns em 2017, e na era dos AirPods, Surface Buds, PowerBeats Pro e outros fones de ouvido sem fio verdadeiros, o Fitbit Flyer traz muito pouco à conversa em 2019. Além disso, o Google já anunciou a segunda geração dos Pixel Buds com suporte completo ao Google Assistente e conectividade Bluetooth de longo alcance. Por isso, é provável que o Google se despeça do Fitbit Flyer.

O que deve ficar melhor

Fitbit app

Com um excelente painel e conectividade super simples, o aplicativo Fitbit já está acima do Google Fit, Apple Heath e qualquer outro aplicativo de rastreamento de saúde. É tão bom que, de fato, poderia ter sido uma das principais razões pelas quais o Google queria comprar a Fitbit em primeiro lugar. E achamos que será o novo foco de saúde do Google no futuro. Embora ele provavelmente sofra uma nova marca no Google Fit e, possivelmente, um novo design para adequá-lo à estética do Google, espere que a maioria dos recursos e funcionalidades gerais do aplicativo permaneçam ao mesmo tempo, adicionando pontos cardíacos e minutos de movimento do Google Fit e muito mais.

Rastreamento de sono

O rastreamento de sono foi provavelmente a principal razão pela qual o Google comprou a Fitbit. Os dispositivos da Fitbit têm um rastreamento que registra a qualidade, os estágios e a duração, além de uma bateria excelente para uma experiência verdadeiramente sem esforço. É a única área em que o Fitbit lidera o Apple Watch e Wear OS, mas por incrível que pareça, não é tão bom no relógio em si. Como não há aplicativo ou interface para dormir, é necessário visitá-lo para obter uma explicação detalhada de seu sono além de quanto tempo durou. Esperamos que as mudanças que o Google o integre aos aplicativos padrão do Wear OS, ao suporte do Assistente e ao Tiles.

Fitbit OS

O sistema operacional da Fitbit foi lançado oficialmente há dois anos com o Ionic, mas parece que o fim já está aqui. Com a venda para o Google, a atenção óbvia está no Wear OS, que já está sendo executado em centenas de dispositivos. E convenhamos: o Fitbit OS não está na mesma liga, com apenas um punhado de aplicativos úteis, sem suporte a complicações de terceiros, integração musical limitada e navegação rudimentar. Não é ótimo, especialmente quando comparado ao watchOS e Wear OS. Mas agora que o Google está no comando, o Fitbit OS pode mesclar-se ao Wear OS em um sistema operacional poderoso, intuitivo e completo que traz o melhor de ambos para o sistema operacional avançado de primeira qualidade que esperávamos.

Notificações

Se há algo que até os fãs mais exigentes da Fitbit mudam em seus dispositivos, é a maneira como eles lidam com as notificações. Felizmente, isso vai mudar agora que o Google está a bordo. As notificações nos dispositivos Fitbit devem melhorar em todas as plataformas, mas serão especialmente aprimoradas no Android, onde a integração do Assistente levará as coisas para o próximo nível. Honestamente, se tudo isso vier da aquisição do Google, ficaremos felizes.

Relacionadas

Fitbit Versa 2: um concorrente digno ao Apple Watch? [hands-on]

Além da Amazon Alexa, o novo smartwatch possui um display AMOLED e funcionalidade Fit Pay

Pulseiras fitness podem vazar dados de usuários, diz estudo

Segundo levantamento, smartwatch da Apple foi o único modelo que evitou rastreamento e protegeu app.

Novo Google Fit mostra potencial, mas precisa de mais para dar certo

Novo serviço de fitness da gigante de buscas ainda está muito limitado na forma atual. Chegada de gigantes do segmento com aplicativos terceirizados é essencial.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site