Análise: ASUS MeMO Pad HD 7

04 de fevereiro de 2014 às 07h00
Apesar do baixo custo, tablet não sacrifica a qualidade dos componentes e tem desempenho suficiente para todas as tarefas do dia-a-dia.

Encontrar um tablet Android com bom desempenho é fácil. Encontrar um modelo com baixo custo também. O difícil é combinar as duas coisas em um só produto. Foi o que a ASUS conseguiu fazer com o MeMO Pad HD7, um “irmão menor” do aclamado Nexus 7 da Google, que chegou às nossas lojas no final de 2013. 

Design e hardware

O MeMO Pad HD7 (R$ 799, preço sugerido pelo fabricante) tem dimensões (e design) muito parecidas com as do Nexus 7 da primeira geração, modelo lançado pela Google em meados de 2012. São 19,6 x 12 cm (altura e largura) com 10,8 mm de espessura e peso de 302 gramas. De frente os dois são muito parecidos, e as principais diferenças são a ausência da borda prateada e um logo da ASUS abaixo da tela no MeMO Pad.

memopad_hd7_nexus7-580px.jpg
MeMO Pad HD7, à esquerda, e Nexus 7, à direita. Irmãos

A tela tem 7 polegadas com resolução de 1280 x 800 pixels, o mesmo tamanho e resolução da tela do Nexus 7. Ela usa a tecnologia IPS, o que garante excelente ângulo de visão: as cores são vivas, o contraste é bom e com o utilitário ASUS Splendid, incluso no sistema, é possível ajustar a temperatura e saturação de cor ao seu gosto, algo incomum.

Vale notar que o vidro que protege a tela não parece ter nenhum tipo de cobertura oleofóbica, que ajuda a repelir a gordura das mãos, então ele acumula marcas de dedo com extrema facilidade. Acima da tela há uma câmera de 1.2 MP para videochamadas.

A versão do MeMO Pad que testei tem a traseira em plástico liso e fosco na cor grafite, mas também há modelos nas cores preta, branca, verde e rosa, estes três últimos com a traseira em plástico brilhante. Na traseira ficam a lente para a câmera de 5 MP (sem flash) no topo, grade dos alto-falantes embaixo, botões de força e volume à esquerda e um slot para cartões microSD à direita. A porta micro USB, para troca de dados com um PC e recarga da bateria fica no topo do aparelho, junto com o conector para fones de ouvido. 

memopad_hd7_traseira-400px.jpg
Visão traseira do MeMO Pad HD7. Além do grafite (acima) há modelos nas cores preta, branca, verde e rosa

O tamanho e peso do MeMO Pad HD7 o tornam muito confortável nas mãos, e não senti fadiga nem ao segurá-lo com uma mão só, para leitura, nem com as duas mãos, jogando. 

Por dentro o tablet é baseado em um processador quad-core da Mediatek, o MT8125, rodando a 1.2 GHz e acompanhado por 1 GB de RAM. Há 16 GB de memória interna, Wi-Fi nos padrões 802.11b/g/n e Bluetooth 4.0. Não há uma versão com 3G, e para quem precisa deste recurso a ASUS recomenda o FonePad, um outro tablet com tela de 7” que também funciona como smartphone, fazendo e  recebendo chamadas.

Software

O sistema operacional do MeMO Pad HD7 é o Android 4.2.2 com algumas modificações na interface feitas pela ASUS, entre elas novos ícones na barra de navegação (no rodapé da tela) e um painel de notificação unificado, que mostra de uma vez só data, hora, nome do usuário, ajustes rápidos (com botões para ligar ou desligar o Wi-Fi ou Bluetooth e um controle do brilho da tela, entre outros) e notificações, ao contrário do painel em “duas partes” do Android 4.2 padrão.

Falando na barra de navegação, ela tem quatro ícones: o da extrema esquerda, que lembra uma seta apontando para cima, traz à tela uma “dock” com mini-apps que rodam em janelas flutuantes sobre o resto do sistema, entre elas calculadora, bússola e agenda. É algo útil para, por exemplo, consultar rapidamente a agenda ou fazer uma conta enquanto escreve um e-mail, sem ter de alternar entre apps.

memopad_hd7_apps-400px.jpg
No destaque em verde, o botão que abre a lista de "mini apps"
No destaque em laranja, um destes apps, a Agenda

A ASUS pré-instala no tablet alguns apps próprios, dos mais triviais como o ASUS Artist (desenho), ASUS Studio (álbum de fotos) e ASUS To-Do (lista de tarefas) a utilitários como o App Locker, que permite proteger apps com uma senha, o Backup do Aplicativo, que faz backup dos apps instalados e o Parental Lock, que pode impedir o acesso ao tablet, ou à internet, em horários pré-determinados. Ideal para limitar o uso do tablet pelas crianças.

Quem comprar o HD7 também leva 16 GB de espaço online gratuito (por um ano) para armazenar os dados no serviço ASUS WebStorage. O app WebStorage permite o upload automático de fotos feitas com o tablet, bem como a edição de documentos do Office.

Câmera

Quem quiser fotografar com o HD7 tem à disposição 8 modos de cena (como “Pôr do Sol”, “Neve” e “Paisagem”) e a capacidade de fazer fotos em modo panorâmico ou em HDR, que produz imagens com melhor equilíbrio entre as áreas de luz e sombra e cores mais vivas.

memopad_hd7_sample_hdr-580px.jpg
Exemplo de uma imagem em HDR feita com o MeMO Pad HD7. Clique para ampliar

Também há um modo de “embelezamento” para retratos, que permite corar bochechas, suavizar imperfeições da pele, afinar o rosto ou aumentar os olhos. Também há alguns filtros de imagem, como Sépia, Negativo (inverte as cores) e “Vampiro” (deixa a cena avermelhada), e possibilidade de ajuste manual do ISO, Balanço de Branco e exposição.

É possível fotografar tanto com a câmera frontal quanto com a traseira, com zoom (digital) em ambos os casos. Na hora de filmar, é possível fazer vídeo em Full HD (1920 x 1080 pixels) com a câmera traseira, e em HD (1280 x 720 pixels) com a frontal.

memopad_hd7_sample_noite-400px.jpg
Exemplo de foto noturna feita com o MeMO Pad HD7. Clique para ampliar

A qualidade das imagens é aceitável. Sob a luz do dia a câmera tende a “lavar” um pouco as cores e estourar as áreas mais claras, algo que pode ser corrigido ativando o modo HDR. Nas fotos noturnas as luzes também estouram, e o alto nível de ruído dá à imagem a aparência de uma foto impressa em jornal.

Desempenho e bateria

O processador quad-core garante ao MeMO Pad HD7 bom desempenho nas tarefas do dia-a-dia, seja navegando na web, reproduzindo vídeo ou jogando. Ele chegou à marca de 9.753 pontos no AnTuTu, nosso benchmark padrão para análise do desempenho geral de dispositivos Android, e 3.173 pontos no cenário Ice Storm do 3DMark, que mede o desempenho gráfico (como em jogos). É um resultado menor do que o do Nexus 7 modelo 2012, que é nossa referência em tablets Android de 7” e chega a 13.690 (AnTuTu) e 3.498 (IceStorm) pontos, mas ainda assim bom o bastante.

Consegui desempenho satisfatório em jogos no MeMO Pad HD7. Rodei títulos como Need for Speed: Most Wanted e Modern Combat 4 sem maiores problemas. Real Racing 3, um jogo de corrida bastante pesado, rodou no geral de forma adequada, embora com queda de quadros perceptível durante alguns momentos, como nas animações antes das corridas.

memopad_hd7_mostwanted-580px.jpg
Jogos como Need for Speed: Most Wanted rodam bem no MeMO Pad HD7

Asphalt 8, o mais recente título na aclamada série de corrida da Gameloft, por padrão vem ajustado para a qualidade gráfica Alta, mas roda muito melhor na qualidade Baixa, que apesar do nome não sacrifica muito do visual e permite uma taxa de quadros maior, melhorando a jogabilidade.

Nos testes de bateria o MeMO Pad HD7 também agradou. Consegui uma autonomia de cerca de 12 horas e 30 minutos em nosso teste de reprodução de vídeo, feito com o aparelho em modo avião e brilho da tela em 50%, e 10 horas no teste de navegação web, feito usando o benchmark Peacekeeper, da Futuremark, com o aparelho conectado a uma rede Wi-Fi e também brilho da tela em 50%.

Veredito

Quem procura um tablet Android com tela de 7” tem no ASUS MeMO Pad HD7 uma ótima opção. O design é confortável, o desempenho agrada tanto em jogos quanto nas tarefas do dia-a-dia e a ASUS não economizou em pontos importantes, como a tela. Ele só não irá agradar quem precisa de 3G, mas para isso há alternativas como o ASUS FonePad.

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

White Papers

Tendências em criptografia e gestão de chaves: Brasil

Grandes violações e ataques cibernéticos fizeram crescer a urgência das empresas em aprimorar sua postura de segurança. Diante deste cenário, a pesquisa conduzida pelo Ponemon Institute examinou o uso da criptografia como estratégia de segurança dos dados da empresa e qual o impacto dessa tecnologia na postura de segurança.

A Transformação Digital depende do gerenciamento de dados corporativos

Os dados são ativos valiosos para as corporações e imprescindíveis para manter sua competitividade no mercado. Conhecer estes dados e transformá-los em informação estratégica para o seu negócio é fundamental para gerar vantagem competitiva, manter e conquistar novos clientes. Mas como ver, controlar ou regular seus dados? Acesse este white paper para conferir os principais desafios enfrentados pelas organizações diante de seu grande volume de dados corporativos e como torná-los em ativos estratégicos.

10 principais tendências de Business Intelligence para 2017