Análise: Gradiente Tegra Note surpreende com excelente desempenho

01/04/2014 - 07h00 - Atualizada em 01/04/2014 - 11h06
Tablet tem hardware de qualidade, caneta capaz de registrar variados níveis de pressão sobre a tela e é realmente muito mais rápido que os concorrentes.

Atualmente a Gradiente, que já foi uma gigante do mercado nacional de eletrônicos, é mais conhecida por sua briga com a Apple pelos direitos da marca iPhone do que por seus produtos. Foi por isso que em outubro passado recebi com espanto a notícia de que a empresa havia estabelecido uma parceria com a Nvidia entrar no mercado de tablet, com o “tablet de 7” mais rápido do mundo”.

Depois de alguns meses de expectativa o Gradiente Tegra Note chegou às lojas em meados de março. E ao submetê-lo aos nossos testes, o espanto rapidamente se tornou surpresa: não é sempre produtos fazem jus às (por vezes exageradas) alegações dos fabricantes.

Design e Hardware

Antes de mais nada, vale mencionar que o Gradiente Tegra Note só tem “Gradiente” no nome. Para todos os fins ele é um produto Nvidia, uma a versão nacional do design de referência Tegra Note anunciado em setembro passado, produzido na China e distribuído aqui pela Gradiente. Isso fica evidente no nome (Tegra é uma marca da Nvidia), na embalagem e até no software, que é desenvolvido e mantido pela Nvidia.

TegraNote_Frente-580px
Gradiente Tegra Note: alto-falantes frontais projetam som em direção
ao usuário. Caneta pode diferenciar entre vários níveis de pressão.

As dimensões são muito próximas da versão 2012 do Nexus 7, nosso tablet Android de referência: 11,9 x 19,9 cm, embora ele seja mais fino, com 9,6 mm de espessura e mais leve, com 320 gramas. A frente é dominada por uma bela tela LCD IPS com resolução de 1280 x 800 pixels, que tem boa nitidez, contraste e fidelidade de cor, além de excelente ângulo de visão. 

Parte da traseira tem plástico texturizado e macio ao toque, com um padrão de pontos que lembra o Nexus 7 ou o novo Galaxy S5. Controles de volume e a entrada para cartões microSD (para expansão dos 16 GB de memória interna)  ficam na lateral direita, e as portas micro USB, micro HDMI e saída pra fones de ouvido ficam no topo, junto ao botão de força no canto superior direito. Os alto-falantes ficam acima e abaixo da tela (à esquerda e direita quando o tablet está na horizontal), projetando o som na direção do usuário. 

TegraNote_Traseira-580px
Visão traseira do Tegra Note. A caneta fica no canto superior esquerdo, a câmera no superior direito

A caneta (stylus) fica em um slot no canto inferior direito. É uma peça completamente plástica, sem nenhum tipo de eletrônica embarcada ou botão, com uma ponta emborrachada em forma de cinzel em um lado e uma ponta chata, ou “borracha”, do outro. Todo o trabalho de detecção da caneta é feito pela tecnologia DirectStylus, da Nvidia, que não só é capaz de determinar a posição da caneta sobre a tela com precisão de até 1 mm, mas também de diferenciar variados níveis de pressão, produzindo linhas mais finas ou mais grossas. 

No geral o Gradiente Tegra Note é um tablet sólido, com o peso certo e uma “pegada” confortável, especialmente na horizontal, o modo mais usado para jogos e filmes. 

Software

O Tegra Note sai da embalagem rodando o Android 4.2.2, mas bastou conectá-lo à internet para baixar uma atualização para o Android 4.3 (389 MB) e logo em seguida para o 4.4.2 (mais 460 MB), o que o coloca entre os poucos aparelhos que rodam a versão mais recente do sistema da Google.

O sistema operacional é quase “limpo”, sem interfaces customizadas ou grandes modificações, com exceção do software e apps para suporte à caneta, um sistema para economia de energia integrado à tela de configurações e um app próprio para a câmera, chamado Camera Awesome. 

TegraNote_TegraDraw-400px
Tegra Draw. Diferentes níveis de pressão da caneta afetam o traço

Os apps para a caneta são incrivelmente básicos. O Write permite fazer anotações à mão livre e tem cancelamento de palma, ou seja, reconhece apenas os toques da caneta, e não das mãos, sobre a tela. Mas é incapaz de converter escrita em texto editável. Já o Tegra Draw lembra o velho Paint do Windows 3.1: uma paleta fixa de 30 cores, 4 tamanhos de pincel, 3 opções para intensidade do traço e só. A Nvidia deveria ter investido em apps melhores para demonstrar sua tecnologia.

Vale mencionar que em vários pontos do sistema há erros grosseiros de tradução, que cheiram a amadorismo. Coisas como “Saldo” em vez de “Equilibrado” (Balanced) nas configurações de economia de energia, ou pérolas como “Arquivo Nublado” (em referência ao armazenamento em nuvem), “Dispato Único” e “Estabelizasão de Imagem” na câmera.

TegraNote_Erros-580px
A câmera tem "Estabelizasão" de imagem. Mas faltou o corretor ortográfico...

Câmera

O Tegra Note tem uma câmera traseira de 5 MP (sem flash), além de uma câmera frontal com resolução VGA para videochamadas. O app Camera Awesome tem recursos como captura em HDR, modo panorâmico, estabilização de imagem, temporizador e captura em sequência (Burst), além de integração com serviços como o SmugMug. Na hora de gravar vídeo é possível capturar imagens em Full HD e usar zoom digital (com um gesto de pinça sobre a tela) enquanto filma.

TegraNote_Sample_Dia-580px
Foto diurna feita com o Gradiente Tegra Note. Clique para ampliar

TegraNote_Sample_Noite-580px
Foto noturna feita com o Gradiente Tegra Note. Clique para ampliar

Infelizmente a qualidade das fotos é medíocre. As imagens, mesmo as feitas sob a luz do sol, tem pouca nitidez, o que sugere que a câmera tem problemas ao fazer o foco. Nas fotos noturnas, o algoritmo de redução de ruído borra ainda mais os detalhes, dando à cena uma aparência “pontilhista” (vide amostra abaixo).

TegraNote_Sample_Noite_Detalhe-580px
Recorte a 100% da foto noturna acima, mostrando o efeito "pontilhado" na imagem

Desempenho e autonomia de bateria

A Gradiente chama o Tegra Note de “Tablet de 7” mais rápido do mundo”, e posso afirmar que ao menos ele é o “Tablet Android mais rápido que já passou por nossas mãos”. O processador quad-core Nvidia Tegra 4 de 1.8 GHz, acompanhado por 1 GB de RAM, garante um excelente desempenho não só nas tarefas do dia-a-dia, como a navegação web e reprodução de vídeo, como também em tarefas mais pesadas, como jogos sofisticados.

No AnTuTu, nosso teste padrão de desempenho em aparelhos Android, o Tegra Note chegou à impressionante marca de 34.901 pontos, superando não só o LG G Pad 8.3, que até o momento era o tablet Android mais rápido que já vimos (com 22.219 pontos), como também o Sony Xperia Z1, o smartphone Android mais rápido que já testamos (com 33.951 pontos).

No 3DMark, que testa o desempenho gráfico dos aparelhos, o Tegra Note “gabaritou” os testes IceStorm e IceStorm Extreme, algo que o G Pad 8.3 não conseguiu (com 9.012 e 5.529 pontos, respectivamente). E fez impressionantes 16.232 pontos no IceStorm Unlimited, novamente um recorde.

TegraNote_DeadTrigger2-580px
Jogos como Dead Trigger 2 aproveitam o poder do processador Tegra 4 para adicionar
efeitos extras como grama (à direita) e água e reflexos (no chão) aos cenários

Jogos como Asphalt 8, Modern Combat 4, Dead Trigger 2 e Real Racing 3 rodam sem nenhum problema. Asphalt 8 roda na qualidade gráfica alta, com todos os efeitos possíveis ativados, sem engasgos. E Dead Trigger 2 tira proveito do processador Tegra 4 para adicionar efeitos extras aos cenários, como grama, água no chão e reflexos dinâmicos. 

Em nossos testes de bateria, conseguimos cerca de 11 horas de reprodução de vídeo, com o aparelho no modo avião e brilho da tela em 50%. Já a autonomia em jogos foi bem menor, cerca de 2 horas e meia, medida com uma sessão de Asphalt 8, com o brilho da tela em 50% e o aparelho conectado a uma rede Wi-Fi.

Como de costume, nossos testes são feitos com todos os modos de economia de energia desabilitados, e é possível conseguir mais tempo reduzindo o brilho da tela, colocando aparelho em modo avião, o desempenho do processador no modo Equilibrado ou ativando o recurso de luz de fundo dinâmica (PRISM) em Configurações / Economia de Energia.

Veredito

Apesar da câmera deixar muito a desejar e da má impressão causada pelos erros de tradução, o Gradiente Tegra Note (R$ 999) supera expectativas: é bem construído, tem excelente desempenho e roda o que há de mais atual em termos de software. É uma ótima opção para quem procura um tablet, especialmente um modelo para se divertir.

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

White Papers

Quero migrar para a nuvem, mas como devo começar?

Desenvolvido pelos especialistas em TIC da Algar, este guia irá esclarecer todas as suas dúvidas sobre o processo de migração para a nuvem e mostrará como é possível reduzir custos de infraestrutura e manutenção. Descubra por que as empresas estão aderindo ao Cloud. Acesse o guia agora e veja 8 passos importantes para realizar a migração de aplicações e serviços de sua empresa para a nuvem.

8 dicas para reduzir os custos de TI da sua empresa

Os especialistas em TIC da Algar Telecom desenvolveram um E-book exclusivo para os gestores de TI. As dicas que serão apresentadas a seguir têm o propósito de ajudar os gestores no caminho de revisão estrutural do negócio, tendo como meta a redução de custos, mas com a manutenção da qualidade e eficiência. Acesse agora o e-book e veja como aumentar a performance de seu TI economizando.

Webinar: Elastic Cloud na prática

Os especialistas em TIC da Algar apresentam um Webinar interativo para mostrar como funciona a migração para a nuvem e os benefícios da Nuvem Flexível da Algar. Entenda o que são unidades de processamento e como contabilizá-las, como decidir qual a melhor configuração para o seu negócio, aprenda também como fazer o setup do ambiente de Cloud de sua empresa, monitoramento do ambiente e controle das configurações. Neste webinar entenda como a nuvem flexível da Algar Telecom funciona.