Primeira mão: usamos o Gear Live, o Android 'quadradinho' da Samsung

Zach Miners - IDG News Service
26/06/2014 - 01h00 - Atualizada em 26/06/2014 - 04h40
A Google mostrou na conferência I/O os novos relógios Android Wear da LG, Samsung e dela própria (Moto 360). Nós experimentamos um deles

A Google lançou nesta quarta-feira, 25/06, os primeiros três smartwatches, relógios inteligentes que vão utilizar o novo sistema operacional Android Wear, uma versão do Android para dispositivos de computação vestível que foi mostrado durante a conferência de desenvolvedores Google I/O. E nós colocamos nossas mãos (ou melhor, nosso pulso) num deles, o Samsung Gear Live.

O relógio, que pode ser encomendado em pré-venda na Google Play Store por US$ 199,99, vai competir com dois outros produtos o LG G e o Motorola 360. Os aspectos técnicos dos três aparelhos são similares.

Fisicamente, o Gear Live é quadrado e um pouco maior que um relógio digital convencional e usá-lo parece meio estranho no começo. O aparelho usa um processador de 1.2GHz processor, tem tela de 1,63 polegadas de alta resolução, 512 MB de RAM e 4GB de memória interna. A bateria deverá aguentar em média um dia antes de ter de ser carregada. O Gear Live também já vem equipado com um monitor de batimentos cardíacos projetado para trabalhar com outras apps de fitness.

samsung gear live 3 520

Embora o relógio que testamos estivesse utilizando o Android Wear, ele não estava sendo mostrado na I/O pareado com um smartphone, o que seria uma de suas virtudes básicas - ele foi projetado para se conectar a qualquer dispositivo usando a versão 4.3 ou superior do Android. 

Fale que ele escuta

A Samsung no entanto o apresentou carregado de vários aplicativos que não oferecem o mesmo nível de interatividede mas que ilustram bem como a Google "encolheu" o Android para dentro dos relógios.

O sistema provê versões retrabalhadas de serviços conhecidos da Google e outras apps criadas para funcionar bem em telas pequenas. Ao invés de mostrar uma grade de apps alinhadas, por exemplo, as apps rodando no Android Wear são mais etéreas, focada em funcionar por comandos de voz e pequenos toques ou deslizadas de dedo na tela.

O Gear Live leva para o pulso das pessoas elementos vitais da tela dos seus smartphones como, por exemplo, Google Now, Google Maps, Gmail, Hangouts e outras apps. Você pode responder mensagens direto do relógio, mas como não existe teclado, as respostas estão por hora limitadas a frases pré-programadas que podem ser ajustadas num dispositivo Android pareado anteriormente.

Mas o aparelho também suporta comandos de voz, portanto pode dizer "OK Google" e perguntar pelo resultado do jogo da Copa, pelo horário do seu próximo vôo ou até ditar um texto para ser enviado.

samsung gear live 2 520

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

White Papers

Alcance a inovação que sua empresa precisa com a computação em nuvem

Empreendimentos realmente transformadores demandam softwares eficientes e modernos. Por isso a computação em nuvem já vem sendo adotada por inúmeras empresas de diversos segmentos e diferentes portes. Novas abordagens para o desenvolvimento de softwares são necessárias para superar desafios. Para encarar esta jornada com sucesso, acesse este guia.

Mapa estratégico de 2017 para dispositivos móveis e endpoints

Uma estratégia de endpoint deve se alinhar com as metas do negócio e apoiar o acesso de uma ampla variedade de plataformas, pois a agilidade está se tornando um requisito cada vez mais importante. Líderes de infraestrutura e operações responsáveis por estratégias para dispositivos móveis e endpoints devem se apressar em direção à independência de plataformas.

Janelas de oportunidade. Pesquisa global revela cinco principais tendências de adoção e migração para o Windows 10

O Windows 10 apresenta aos clientes uma oportunidade de aplicar melhor o gerenciamento a um grupo mais amplo de casos de uso e dispositivos, incluindo tablets, smartphones e pcs. A abordagem holística de gerenciamento unificado de endpoints (EUC, Unified Endpoint Management) permite que os clientes unifiquem o gerenciamento móvel e de desktops em um único modelo.