Experimentamos o novo LG G3. Simplicidade é a chave do novo smartphone

Da Redação
23/07/2014 - 11h03 - Atualizada em 23/07/2014 - 11h05
A LG lançou o aparelho no Brasil esta semana. Vendas começam em 23 de julho. Smartphone ganhou interface refinada, ajustes no design e uma câmera muito mais fácil de usar.

A LG anunciou nesta terça-feira, 22/07, o lançamento do G3, seu smartphone top de linha. O aparelho vai custar R$ 2.300 no Brasil. Vendas na América Latina começam em 23 de julho.

Com tela de 5,5 polegadas, o aparelho apresenta resolução de 2560x1440, a maior do mercado. O G3 roda Android 4.4.2, tem processador Snapdragon 801 quad core (2,5 GHz) 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento e slot para cartões MicroSD expansíveis até 128 GB. A bateria é removível, com capacidade de 3000 mAh, e o dispositivo é feito de plástico que imita alumínio escovado.

Em vez de imitar a estratégia de marketing da Samsung - smartphones maiores e recheados com cada vez mais recursos - a LG está apostando na idéia de que a simplicidade é um argumento de venda melhor. “Os consumidores não têm tempo para complexidades desnecessárias”, diz James Marshall, diretor de marketing de produto da LG na Europa.

De fato o novo G3 é simples em sua abordagem, mesmo com todos os recursos integrados. A LG lapidou muitos dos elementos de um smartphone Android e visou simplificar coisas nas quais anteriormente se excedia. Ele oferece mais poder de processamento em um corpo mais fino, uma interface redesenhada e uma nova câmera onde apenas os modos mais essenciais são rapidamente acessíveis. É uma grande melhoria em relação ao seu antecessor, o G2. A empresa parece ter encontrado uma filosofia que dá certo.

Projetado para suas mãos

O LG G3 tem o que a empresa chama de “design minimalista”. A idéia é de que ele pareça “perfeito” em suas mãos, já que não há botões nas laterais. Ele parece mais fácil de manusear que o Samsung Galaxy S5, que tem uma largura equivalente, mas requer a mesma ginástica com o dedão para alcançar o topo da tela que no HTC One (M8). Os botões na traseira estão se tornando um padrão em todos os aparelhos da LG, e são mais fáceis de pressionar do que no G2. Mas ainda não estou certa de que irei me acostumar à sua posição.

LG_G3_Botoes-580px
Os botões de força e volume, na traseira, são mais fáceis de usar do que no G2

LG_G3_Perfil-580px.jpg
Vista de perfil do LG G3. Ele tem 8,9 mm de espessura e pesa 149 gramas

A LG passou uma boa parte de sua apresentação tentando convencer as pessoas de que mais pixels significam uma tela com aparência melhor. “Há a crenaça (errada) de que um humano pode ver apenas cerca de 300 pixels por polegada”, disse Marshall, em resposta a artigos que sugerem o contrário. O G3 tem uma tela Quad HD de 5.5 polegadas com 11 milhões de sub-pixels, três vezes mais do que uma tela AMOLED Full HD, de acordo com a empresa. À primeira vista ela realmente parece melhor que a tela de seu predecessor, mas vou esperar para ver como ela se compara à de seus contemporâneos antes de emitir um veredito final.

Uma câmera simples, porém capaz

LG_G3_Camera_Foco-580px
Comparativo com o Samsung Galaxy S5 (à direita) mostra o sistema de foco a laser do G3

O G3 tem uma interface de câmera muito mais fácil de usar do que nos aparelhos anteriores. Como no Samsung Galaxy S5, a LG reduziu os recursos da câmera aos modos mais essenciais para que seja muito mais fácil de usar. O sensor de 13 MP vem com estabilização óptica de imagem, dual-flash e um sistema de foco automático baseado em um laser infravermelho invisível. Em um teste descobri que ele realmente funciona bem, permitindo focar rapidamente no objeto ou pessoa que desejo fotografar. Não notei praticamente nenhum atraso, mesmo em um evento de imprensa pouco iluminado.

LG_G3_MagicFocus-580px
O modo "Magic Focus" permite mudar o foco de uma imagem já feita

Embora o G3 será bastante rápido ao fazer fotos, há algo estranho nas cores das imagens resultantes. Ele parece ter problemas com artefatos de compressão JPEG nas imagens, e notei ruído nas bordas de uma taça de vinho que fotografei. Quando receber o aparelho para testes irei tirar mais fotos comparativas para me certificar do que está acontecendo.

LG_G3_Selfie-580px
Reconhecimento de gestos facilita na hora de fazer uma "selfie"

A LG também está surfando a onda dos selfies com o Selfie Mode. O recurso permite que você faça um autoretrato simplesmente levantando um punho fechado. É útil para selfies em grupo, mas meio bobo quando você está sozinho. Nos meus testes o recurso funcionou muito bem, a câmera detecta rapidamente o punho e inicia uma contagem regressiva de três segundos, o que lhe dá tempo para sorrir. Também gostei do recurso “embelezar”, que suaviza a face para que rugas e imperfeições não sejam visíveis.

Finalmente a LG muda sua interface

Demorou, mas a LG finalmente redesenhou sua ultrapassada interface com um design “plano” (como no iOS 7 e Windows 8), um teclado mais espaçoso e nenhum sinal de sombras ou efeitos tridimensionais. De fato, os ícones lembram muitos dos mais populares pacotes de ícones disponíveis na loja Google Play.

LG_G3_Interface-580px
A nova interface, com ícones planos e cores sólidas, é mais agradável e moderna

A LG também disse que adotou o círculo como tema, para ajudar a diferenciar sua interface das desenvolvidas por outros fabricantes. Esteticamente ela é uma grande melhoria em relação à sua antecessora, e mesmo após alguns minutos de uso eu já estava gostando mais dela do que jamais gostei da TouchWiz da Samsung ou da Sense da HTC. E o painel de notificações é menos sobrecarregado agora que é possível remover as QSlide Apps dali.

Assine a Newsletter. É rápido. É grátis.

White Papers

Tendências em criptografia e gestão de chaves: Brasil

Grandes violações e ataques cibernéticos fizeram crescer a urgência das empresas em aprimorar sua postura de segurança. Diante deste cenário, a pesquisa conduzida pelo Ponemon Institute examinou o uso da criptografia como estratégia de segurança dos dados da empresa e qual o impacto dessa tecnologia na postura de segurança.

A Transformação Digital depende do gerenciamento de dados corporativos

Os dados são ativos valiosos para as corporações e imprescindíveis para manter sua competitividade no mercado. Conhecer estes dados e transformá-los em informação estratégica para o seu negócio é fundamental para gerar vantagem competitiva, manter e conquistar novos clientes. Mas como ver, controlar ou regular seus dados? Acesse este white paper para conferir os principais desafios enfrentados pelas organizações diante de seu grande volume de dados corporativos e como torná-los em ativos estratégicos.

10 principais tendências de Business Intelligence para 2017