Tinder cria alerta para proteger usuários da comunidade LGBTQ+

Ferramenta será ativada com ajuda de geolocalização

Foto:
http://pcworld.com.br/tinder-cria-alerta-para-proteger-usuarios-da-comunidade-lgbtq/
Clique para copiar

Nesta quarta-feira (24), o Tinder anunciou o lançamento de uma função que aumentará a segurança de usuários LGBTQ+ enquanto viajam por países que criminalizam sua opção sexual. Chamada de “Traveler Alert”, a ferramenta faz uso de geolocalização inteligente para ocultar esses participantes a partir do momento em que entrarem em território hostil. O recurso valerá, também, para pessoas que ativarem o modo Passaporte do app.

Segundo a plataforma, além de sua omissão automática, o usuário LGBTQ+ ainda receberá um aviso de segurança que explicará ao usuário que ele está em um país onde sua preferência sexual pode ser punida por lei e reforçará o pedido para que a pessoa se mantenha alerta. O “Traveler Alert” valerá para as 70 nações mapeadas pelo ILGA (Associação Internacional de Gays e Lésbicas) como lugares onde ainda é crime se relacionar com pessoas do mesmo sexo. Desses, nove podem aplicar pena de morte para esses casos.

“Embora acreditemos na individualidade de cada um e no seu direito de ser quem quiser, a realidade infelizmente é que nem todo país é um local seguro para a comunidade LGBTQ+”, disse Elie Seidman, CEO do Tinder. “Como um aplicativo que recebe a todos – não importa sua identidade de gênero, orientação sexual ou localização física –, esse alerta é uma maneira de ajudar nossa comunidade a ficar mais consciente dos riscos injustos que certos locais oferecem. A segurança de nossos usuários é uma prioridade – e esse alerta é mais um dos muitos passos que estamos tomando para ajudar a protegê-los”.

De acordo com porta-vozes da empresa, o intuito é proteger, de forma física e emocional, seus usuários que “podem ser processados por sua identidade nestes países”. André du Plessis, diretor executivo da ILGA, elogiou a medida tomada pelo app. “Nós trabalhamos duro para mudar práticas, leis e atitudes que colocam pessoas LGBT em risco – incluindo o uso de aplicativos de encontros que visam nossa comunidade – mas, enquanto isso, a segurança de nossas comunidades também depende do apoio à segurança digital”, explica Du Plessis.

O usuário pode ainda tirar do privado sua localização para voltar a aparecer para outros participantes desses países, mas, mesmo assim, o Tinder ocultará, obrigatoriamente, suas informações de gênero e orientação sexual para protegê-lo até que esteja fora da área de risco.

tags

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site