Home > Notícias

11 questões atualizadas sobre o iPhone no Brasil

A estratégia de lançamento do iPhone no país está cercada de mistério, mas aos poucos as operadoras começam a revelar informações.

Henrique Martin, editor-assistente da Macworld Brasil

24/09/2008 às 15h12

Foto:

Faltam dois dias para a chegada oficial do iPhone ao Brasil e, seguindo a fama da Apple, o lançamento está cercado de mistério. O país entra apenas na terceira leva de lançamentos do aparelho pelo mundo – a primeira foi em julho, com foco nos Estados Unidos, Europa e México, e a segunda em agosto, contemplando quase todos os países da América Latina.

Quando o iPhone foi homologado pela Anatel, a Macworld Brasil levantou as principais dúvidas em torno do aparelho no pais. Agora, atualizamos a lista com algumas respostas que já existem e novas dúvidas que surgiram.

1) Data de lançamento
Sim, a data é 26 de setembro, sexta-feira, embora ninguém (nem a Apple) tenha confirmado oficialmente. Vivo e Claro prometem começar a vender o iPhone 3G, mas até agora não informaram preço de aparelhos, planos ou qualquer outra estratégia envolvendo o lançamento – a não ser uma festa da Claro para clientes no Rio de Janeiro (Jóquei Clube) e São Paulo (Daslu).  A própria Apple informa que não fará nenhum evento específico para lançar o iPhone 3G no Brasil – ao menos para a imprensa. A Vivo fará uma coletiva de imprensa/festa (?) na quinta à noite, em local não divulgado ainda.

2) Qual aparelho vem?
Os dois modelos, 8 GB e 16 GB, branco e preto.

3) Qual o preço?
A média de preços na América Latina fica em torno dos 600 reais. Fontes ligadas à Vivo informam que o iPhone 3G na operadora ficarão em torno de 1.500 reais. A Claro vai cobrar entre 1.000 reais e 2.599 reais pelo aparelho, com valor que varia de acordo com o plano de dados e modelos de descontos.

4) Quem pode comprar?
A Vivo vai vender o aparelho inicialmente só para seus clientes. A informação passada pelos atendentes das lojas é que só clientes selecionados da Vivo terão o iPhone 3G em um primeiro momento.

Por outro lado, a Claro abriu uma página em seu site e disse ter recebido mais de 100 mil cadastros, telefonou aos interessados, disse que iria cobrar 100 reais de taxa de reserva, desistiu da taxa e voltou a entrar em contato com potenciais clientes. A Claro entrou em contato com a redação da Macworld Brasil, pediu informações para um cadastro, disse que confirmaria a informação em dois dias e nunca mais ligou de volta – e isso já faz mais de duas semanas. A Claro vai vender o iPhone em apenas 25 lojas em todo o país.

Entretanto, fonte ligada a parceiros de negócios tanto da Apple quanto das operadoras informam que apenas 2.000 iPhones 3G chegam ao Brasil para o lançamento. Se isso realmente for verdade, cada operadora terá uma cota de 1.000 iPhones cada - e os usuários "mortais" só terão o aparelho em 2009.

5) Aplicativos e serviços
Claro e Vivo já estão com suas redes 3G em funcionamento. Mas ainda existem dúvidas sobre como elas irão lidar com como o visual voicemail, que é customizado pela operadora. Como isso vai funcionar? As operadoras já estão prontas para o software do iPhone? E a rede da Vivo e Claro estarão prontas para agüentar um maior volume de tráfego de dados causado pelo iPhone 3G?

6) Assistência técnica
O calcanhar de Aquiles da Apple no Brasil é a assistência técnica de produtos  - donos de iPods quebrados que o digam a dor de cabeça para consertar ou trocar o produto. Fica a questão: apesar da venda pelas operadoras, será a Apple responsável pelo serviço de apoio ao comprador? Ou será mais um abacaxi nas mãos das operadoras, que terão de enviar o produto aos Estados Unidos para troca? Potenciais compradores de iPhone, preparem-se.

7) Ainda as operadoras

O iPhone 3G vai ser, com certeza, o produto de consumo do Natal, apesar do início das vendas do produto já em setembro. A Tim disse que iria entrar na briga pelo iPhone, mas até agora não consta do site da Apple como operadora credenciada. Mais alguma vai entrar na disputa?


8) Donos de iPhone original

Quem comprou um telefone da Apple e desbloqueou o aparelho – ainda que de forma ilegal – já quebrou o contrato de serviço com a Apple. Como as operadoras pretendem lidar com esse cliente que já tem um iPhone e quer um dispositivo 3G? A Apple pretende dar algum suporte oficial aos donos de iPhone primeira geração?

9) App Store
Já presente no Brasil, a loja de aplicativos para iPhone é uma versão limitada da loja norte-americana. A Apple informa que a política de vendas de aplicativos depende de cada desenvolvedor, que decide por vender ou não seu programa em determinados mercados – a loja do Brasil, por exemplo, não tem games à
venda.

10) Freqüência

O iPhone 3G é um aparelho quad-band GSM (850/900/1800/1900) e tri-band 3G (850/1900/2100), sendo compatível com as principais redes da Vivo e da Claro.

11) Desbloqueio
As regras da Anatel dizem que os aparelhos celulares têm de ser vendidos desbloqueados, podendo a operadora exigir no máximo 1 ano de fidelidade. A Apple vai brigar com a Anatel e tentar barrar a venda de aparelho desbloqueados? Ou será que ela tem uma estratégia de venda de aparelhos sem bloqueio em seus planos, independente de operadora?

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail