Home > Notícias

A USB4 está chegando. Tudo o que você precisa saber sobre a novidade

A nova especificação USB4 define a próxima geração de arquitetura de protocolo USB e duplica a largura de banda estendendo o desempenho do USB Type-C ™

Da Redação *

05/03/2019 às 7h41

Foto: Divulgação/Intel

Se você tem um cabo conectando seu computador pessoal a um periférico, há uma enorme chance dele ser um cabo USB. Nos seus 20 e tantos anos de existência, a interface USB tem agregado continuamente novas camadas de velocidade para o tráfego das informações entre os dispositivos, como a USB 2.0, USB 3.0, e USB 3.1, permanecendo compatível com as versões anteriores. Também nesse período foi criada a entrada USB-C, em paralelo com a antiga entrada USB-A, numa tentativa de simplificar o esquema de conectores.

Pois foi anunciado nesta segunda-feira (04/03) pelo USB Promoter Group, o lançamento (ainda pendente) da especificação USB4, uma atualização gigante que vai  compor a arquitetura da próxima geração de USB, complementando e se baseando nas arquiteturas USB existentes, mas oferecendo velocidade de 40Gbps, praticamente o dobro da especificação USB 3.2 anterior, e simplificando a salada de nomes USB.

A USB4 vai combinar a especificação do protocolo Thunderbolt 3 ™ (que dá velocidade à troca de dados) com as especificações USB, duplicando a largura de banda do USB, permitindo múltiplos protocolos de dados e display e, para nossa conveniência, usando a entrada USB-C já existente. Isso tudo mantendo a compatibilidade com o que já existe.

Tudo junto e misturado

A nova arquitetura USB4 define um método de compartilhar dinamicamente um único conector de alta velocidade com múltiplos dispositivos na ponta, que vai servir a melhor taxa de transferência de dados por tipo de dispositivo e aplicação.

Ou seja, como o conector USB Type-C™ evoluiu para ser a porta externa de conexão de muitos produtos, a especificação USB4 promete dar aos equipamentos a habilidade de escalar de forma otimizada o fluxo de dados que entram e saem para o dispositivo conectado a eles de acordo com as capacidades de ambos.

“O principal objetivo do USB é oferecer a melhor experiência ao usuário combinando dados, exibição e fornecimento de energia através de uma solução robusta e amigável de cabo e conector”, disse Brad Saunders, presidente do grupo USB Promotor.

Quando chega essa maravilha?

Você provavelmente só verá hardware com a USB4 a partir de meados de 2020. Isso porque a USB4 até agora está no papel, como uma especificação que ainda não foi publicada. O USB Promoter Group comunicou que mais de 50 empresas estão participando ativamente do review da especificação, que deverá finalmente ser publicada em meados de 2019.

Junto com essa publicação, segundo o grupo, será feita também a publicação de uma atualização das especificações do conector USB Type-C para incluir a identificação do bus USB4, bem como requisitos de configuração e performance. A conferência USB Developer Days 2019, na segunda metade do ano, vai incluir treinamento técnico detalhado para cobrir as especificações USB4 e USB Type-C, e o novo USB Power Delivery.

Para facilitar a transição, a Intel anunciou que vai contribuir com as especificações do Thunderbolt para o USB Promoter Group. Ao fazer isso, ela vai permitir que outros fabricantes de chips que fazem parte do grupo possam embutir o Thunderbolt 3 sem pagar royalties. Como inventora do Thunderbolt, a Intel quer ver a tecnologia tornar-se rapidamente popular, o que dá alguma certeza no empenho dos prazos.

Da perspectiva da Intel, o timing é perfeito para fazer o Thunderbolt (ainda mais) popular. A visão da Intel de ter "um cabo regendo todos" era suspeita em 2015, quando a fabricante anunciou o Thunderbolt em 2015, porque esse era o papel do USB. Desde então, no entanto, ele se tornou mais e mais bem aceito. Segundo a Intel, mais de 400 projetos de PCs usam portas Thunderbolt, assim como, virtualmente, todos os computadores Mac da Apple recentes. Cerca de 450 periféricos foram projetados em torno do Thunderbolt, segundo a Intel.

*Contribuiu Mark Hachman, editor sênior da PCWorld

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail