Home > Notícias

Agora é oficial: o Samsung Galaxy Note 7 está morto

Segundo analista, fim do smartphone com futuro promissor pode ser doloroso, mas é o melhor para a empresa a longo prazo.

PC World / EUA

11/10/2016 às 11h07

galaxynote7_625.jpg
Foto:

A Samsung confirmou nesta segunda-feira, 10/10, a interrupção global da produção e das vendas do seu smartphone Galaxy Note 7, que vem registrando problemas desde o seu lançamento em agosto por conta de superaquecimento, incêndios e até explosões das suas baterias.

A confirmação do fim do Galaxy Note 7 acontece um dia após a empresa sul-coreana aconselhar operadoras e varejistas a deixarem de vender ou trocar novos modelos do Galaxy Note 7 que deveriam ter resolvido os problemas com a bateria da versão original do aparelho top de linha.

No final de semana, operadoras americanas como Verizon, AT&T e T-Mobile anunciaram o fim da troca do smartphone após relatos de incêndios e explosões envolvendo os aparelhos substitutos, incluindo até um caso num voo da Southwest Airlines que precisou ser evacuado nos EUA. A Samsung informou nos últimos dias que está investigando todos os casos.

A Samsung ofereceu aos seus clientes os aparelhos substitutos como parte de um programa de recall de cerca de 1 milhão de Galaxy Notes 7 nos EUA em parceria com a Comissão de Segurança dos Produtos para os Consumidores. Outros países, como o Canadá, anunciaram recalls parecidos.

Ficou evidente que as coisas estavam ficando mais complicadas para a Samsung quando foi amplamente noticiado no final de semana que a companhia estava considerando interromper temporariamente a produção do Note 7. Na segunda-feira, 10/10, a empresa afirmou que estava “ajustando temporariamente o cronograma de produção do Galaxy Note 7 para tomar medidas adicionais para assegurar a qualidade e a segurança do produto”.

A Samsung não revelou qual linha de produtos será introduzida para tomar o lugar do Note 7. Parece que, no momento, a opção para os usuários será aceitar um reembolso da Samsung ou trocar o Note 7 por um Galaxy S7 ou um Galaxy S7 Edge.

“A Samsung está fazendo o necessário para conter os danos sobre o Note 7 antes que os medos dos consumidores se espalhem para outros produtos da empresa. Matar um produto que parecia tão promissor como o Note 7 é algo doloroso, mas talvez necessário para a saúde a longo prazo da companhia”, afirma o VP de pesquisas de aparelhos da IDC, Bryan Ma.

A Samsung ainda possui seus aparelhos top de linha S7 e S7 Edge, para os quais seus consumidores podem se voltar, afirma o analista da IDC, que ainda afirma que, caso os usuários resolvam trocar o Android pelo iOS, a Apple pode se beneficiar de todo esse fiasco.

“Os usuários que querem ficar com o Android possuem diversos outros aparelhos Android para escolherem, seja da LG, HTC, Sony, Motorola, Huawei ou mesmo os novos do Google”, explica.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail