Home > Notícias

“Angry Birds” é o aplicativo mais proibido pelos chefes

Relatório divulgado pela Zenprise mostra que game é mais bloqueado do que Facebook, YouTube e Dropbox; loja alternativa Cydia, para iOS, também na "lista negra"

Brad Reed, NetworkWorld/EUA

17/05/2012 às 19h08

Foto:

Além de ter que recuperar seus ovos roubados por porcos verdes, os famosos pássaros do game "Angry Birds" ganharam um novo inimigo: os chefes. Uma pesquisa divulgada esta semana pela empresa de gerenciamento de dispositivos móveis Zenprise revelou que Angry Birds é a aplicação mais proibida entre os usuários que utilizam seu serviço Zencloud MDM. Entre outros apps que as companhias impedem que seus colaboradores utilizem durante o expediente estão Facebook, Google Play, Dropbox, YouTube e Skype. 

A Zenprise também afirmou que as empresas se preocuparam muito mais em proibir aplicativos “visto que houve três vezes mais bloqueios no primeiro trimestre do ano, e comparação ao último relatório”, emitido este ano. 

O documento mostra que as companhias se tornaram muito mais produtivas ao inserirem na “lista negra” aplicativos que pudessem ameaçar a segurança corporativa, incluindo Dropbox, Evernote e o Cydia, loja de aplicativos não permitidos pela Apple, que requer que o usuário faça jailbreak em seu dispositivo para acessá-la.. 

Entre as descobertas, a Zenprise observou um crescimento de aparelhos com Windows Phone entre os clientes norte-americanos da companhia, saltando de 13 para 22% dos dispositivos no último trimestre, enquanto o uso de aparelhos com Android caiu de 35% para 26% entre o quarto trimestre de 2011 e os três primeiros meses de 2012. Já a proporção de clientes do serviço que utilizam o iOS da Apple permaneceu estável, com 52% dos usuários do serviço nos EUA. 

Leia também:

- "Angry Birds" ultrapassa 1 bilhão de downloads

angrybirds1

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail