Home > Notícias

Apesar da crise, mercado mundial de PCs cresce, pouco, mas cresce

Gartner revê previsão e diz que netbooks ajudaram nas vendas. Preço médio menor terá impacto negativo no faturamento.

Redação do Computerworld (EUA)

23/11/2009 às 16h36

Foto:

Depois de detectar uma virada nas previsões mais pessimistas, o Gartner agora prevê que a produção mundial de PCs crescerá 2,8% este ano.

Laptops de baixo custo, como os netbooks, estão ajudando a elevar as vendas para níveis melhores que os esperados.

O Windows 7, contudo, não tem influência no aumento das projeções, alertou hoje (23/11) o Gartner.

No começo deste ano, o Gartner previu que as vendas de PCs em 2009 iriam cair, em quantidade, 11,9% em comparação com o ano passado.

O declínio teria sido quatro vezes maior que o de 2001, depois do estouro da bolha pontocom.

Entusiasmo
Este ano, porém, as vendas de computadores portáteis, influenciadas pelo entusiasmo do consumidor pelos baratos netbooks, superaram as previsões trimestre após trimestre, levando a uma revisão das projeções iniciais.

As vendas de portáteis foram especialmente fortes no terceiro trimestre, época de volta às aulas no hemisfério Norte.

O Gartner agora prevê que a produção de micros portáteis vai alcançar 162 milhões de unidades este ano, um aumento de 15,8% em comparação com 2008.

Os mininotebooks, que em sua maioria são netbooks, devem responder por 29 milhões deste total.

Os números dos computadores portáteis superam com folga o declínio de 9% esperado no número de desktops vendidos este ano. O Gartner disse esperar que as vendas de PC cheguem, em unidades, a 136,9 milhões, ou 46% do mercado total de PCs.

Faturamento menor
Apesar da recuperação da produção, o Gartner estima que o faturamento com vendas de PCs será 11% menor que o de 2008, por causa da queda no preço médio de venda.

Esse declínio de receita dá continuidade a uma tendência que começou no fim do ano passado, quando os resultados do quarto trimestre de 2008 caíram cerca de 20% em comparação com o ano anterior.

Sobre a declaração recente da Microsoft de que as vendas do novo Windows 7 têm sido fortes, o Gartner disse que o sistema operacional não irá influenciar muito qualquer mudança no cenário do mercado de PCs este ano.

"Não vemos consumidores comprando PCs novos apenas por causa do Windows 7", disse o analista George Shiffler, do Gartner, em seu relatório. "Esperamos um salto modesto na demanda do consumidor à medida que surjam promoções de novos PCs com Windows 7, mas a atração será os novos PCs, não o Windows 7."

O Gartner, que está cuidadosamente otimista sobre o mercado de 2010, prevê que os envios de PC vão atingir 336,6 milhões de unidades, com um aumento de 12,6% sobre 2009.

As compras corporativas de PCs não vão acelerar o mercado antes do segundo semestre, disse o pesquisador.

Em 2010
O faturamento de PCs voltará ao crescimento em 2010, para quando o Gartner projeta modestos 2,6%. A receita total será condicionada pela cautela contínua do consumidor diante do risco de mais problemas na economia mundial.

"Os clientes têm procurado PCs segundo o critério de 'bom o suficiente' e pelo preço mais baixo, e os fabricantes têm tentado crescer no mercado oferecendo preços ainda mais baixos", escreveu Shiffler.

"Dada a dinâmica competitiva do mercado, não veremos o faturamento com PCs crescendo tão cedo. Como resultado, o crescimento da produção em termos de valor de mercado vai ficar atrás do crescimento em unidades no próximo ano e nos seguintes."

As vendas de laptops deverão crescer 21,2% para 196,4 milhões de unidades em 2010, impulsionadas por 41,4% de crescimento nas vendas de netbooks, para 41 milhões.

Entretanto, o crescimento geral dos netbooks deverá diminuir, disse Shiffler, à medida que eles começarem a enfrentar mais competição de outros aparelhos móveis, como smartphones e smartbooks com processadores ARM.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail