Home > Notícias

App Store ganha rivais “ilegais”

Cydia abre loja não-autorizada de aplicativos para iPhone e diz não temer retaliação da Apple

Cyrus Farivar, editor da Macworld/EUA

09/03/2009 às 11h34

Foto:

Há uma enorme quantidade de aplicativos que não estão disponíveis na App Store oficial. No final do ano passado, Chris Breen, da Macworld, por exemplo, afirmou que “a comunidade de desbloqueados está viva e oferece alguns aplicativos muito úteis que você provavelmente não verá na App Store”.

Isso inclui aplicativos como o Cycorder, que permite que você use seu iPhone como um gravador de vídeo, ou PdaNet, com o qual usuários podem sincronizar seus dados de celulares com computadores via Wi-Fi.

Todos esses aplicativos estão disponíveis via Cydia, um instalador de software desenvolvido pelo estudante californiano de 27 anos Jay Freeman. A partir de hoje, o serviço Cydia abrirá sua loja de aplicativos, dando aos desenvolvedores “desbloqueados” a facilidade de vender seus programas.

Em uma entrevista com o The Wall Street Journal, Freeman diz que o Cydia “não pretende cobrar mais do que a comissão que a Apple cobra pelos seus serviços”. O Journal também reportou que mais duas lojas rivais estão a caminho, e uma delas inclusive está interessada em vender jogos com conteúdo para adultos para iPhone.

Tudo indica que essas rivais da App Store terão um encontro nos tribunais com a Apple. Mas muitos especialistas em legislação de tecnologia afirma que a vitória da fabicante do iPhone não está garantida.

A Digital Millennium Copyright Act (DMCA), lei americana relacionada à proteção dos direitos autorais e ao uso da tecnologia na violação das leis, deve oferecer meios para coibir esse tipo de iniciativa. Em 2007, um artigo do The New York Times dizia que experts em legislação não concordam em como esse assunto vai terminar. Em uma entrevista para esse artigo, Susan Crawford, professora da University of Michigan Law School, disse que cortes federais perceberam que os casos relacionados com o DMCA eram menos sobre prevenir quebra de copyright, e mais sobre sufocar a concorrência. “O DMCA não deve ser usado para elevar o monopólio a outros mercados”, disse ela em certo ponto.

Em dezembro do ano passado, a EFF (Electronic Frontier Foundation) propôs uma alteração no DMCA que legalizaria o desbloqueio, permitindo que os usuários de celulares pudessem "hackear" seus aparelhos para utilizar aplicativos de outras empresas. Em resposta, a Apple apresentou sua oposição à proposta em fevereiro, argumentando que isso levaria a problemas com a segurança e confiança do iPhone, bem como oferecer o potencial para o surgimento de versões piratas dos aplicativos de iPhone. Seja como for, o Freeman, da Cydia, afirma que já tem sua área jurídica preparada para a batalha.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail