Home > Notícias

Apple ameaça fechar iTunes caso juízes aumentem valor de royalties

Após expiração de acordo de dez anos, que fixava a taxa de 9 centavos de dólar para cada música, associação de músicos propôs aumento de 6 centavos de dólar.

Macworld/EUA

02/10/2008 às 10h46

Foto:

Um potencial crescimento no valor de royalties pagos aos músicos levou a Apple a ameaçar o fechamento do iTunes, caso o serviço de música online se torne financeiramente desvantajoso.

A National Music Publishers Association, associação que representa os músicos e compositores norte-americanos, apresentou uma proposta ao Copyright Royalty Board, painel de três juízes que determina as taxas e os direitos autorais nos Estados Unidos, com um aumento 6 centavos de dólar para cada músico, propondo que o valor passe de 9 centavos de dólar para 15 centavos de dólar para cada faixa.

A proposta vem após a expiração de um acordo de dez anos, que fixava a taxa de royalties em 9 centavos de dólar para cada canção. A futura decisão irá definir, provavelmente nesta quinta-feira (02/10), a taxa dos próximos cinco anos.

Como líder de músicas online, o iTunes poderá se ver fortemente atingido por um preço mais alto. De acordo com reportagem da revista Fortune, Eddy Cue, vice-presidente de serviços de internet da Apple, declarou no ano passado que se as taxas de royalties fossem elevadas, isso poderia forçar a Apple a perder o iTunes. Isso faria, provavelmente, com que a acompanhia optasse por fechar a loja de vez, acrescentou Cue. A Apple não comentou a declaração.

Phil Leigh, presidente do grupo de análises de mídia digital Inside Digital Media, acredita que há ao menos 50% de chances de que a Apple cumpra essa ameaça. “Acredito que a Apple está falando sério sobre suas declarações, porque realmente acha que o preço de um dólar por faixa é o mais adequado”, disse ele.

A maioria das lojas de música cobra um dólar por faixa de música, exceto raras ocasiões - como quando a Apple vendeu as faixas do iTunes sem DRM por 1,30 dólar, reduzindo mais tarde para o mesmo preço do resto de seu catálogo (99 centavos de dólar).

O aumento do preço pode também dirigir consumidores potenciais de lojas legítimas como o iTunes e a Amazon MP3 para as redes de compartilhamento de arquivos. A pirataria é a grande preocupação para a indústria de música, que tem visto, nos últimos anos, as vendas de CD caírem com consumidores se voltando para downloads ilícitos.

“Se eles decidirem não fechar, é porque o iTunes está caminhando para oferecer não só música, mas filmes, podcasts e outros serviços”, disse Phil Leigh. “Eles não querem fechá-lo”, acrescentou.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail