Home > Notícias

Apple: “App Store da Amazon é um serviço inferior”

Empresa de Steve Jobs afirma que a loja online de produtos para Android da rival é ruim e compromete a "marca" App Store

Macworld/EUA

13/06/2011 às 15h56

Foto:

A Apple se referiu à loja de aplicativos  da Amazon como “inferior” e ressaltou a urgência de uma medida legal para impedir que a revendedora online utilize o termo “appstore”, de acordo com documentos judiciais.

Nesse mesmo relatório, a companhia de Steve Jobs também citou os problemas de segurança do Android, incluindo um episódio recente em que o Google foi obrigado a tirar mais de 30 aplicativos nocivos da Android Market.

Desde março deste ano, a Apple e a Amazon trocam farpas, quando a empresa de Cupertino processou a loja online por causa do termo “appstore”. A Apple submeteu um pedido de registro ao Escritório de Patentes e Marcas dos EUA em 2008 a respeito do termo “appstore”. A requisição ainda está pendente, à espera de uma resolução por causa da oposição da Microsoft.

Em nota, a Apple contrariou a afirmação da Amazon de que “app store” é uma marca genérica, e reforçou seu pedido por uma medida judicial que impeça a Amazon de utilizar essa definição para sua seção de venda de aplicativos para Android. “A Apple não está dizendo que sistema o operacional Android é inferior. Em vez disso, a Apple afirma que o serviço da Amazon é inferior e que irá manchar nossa marca”.

 

 

macsoftwaredownloads01.jpg

 

O lançamento da Mac Software Downloads, de acordo com a Apple, é um exemplo de que o termo appstore não precisa ser usado por terceiros

 

Na mesma seção em que foi feita essa afirmação, a companhia de
Cupertino explicou que o uso do termo “appstore” pela Amazon pode
prejudicar  seu nome por causa do conteúdo que é oferecido para os
usuários de Android. “Entre outras coisas, a Amazon está tornando
disponível softwares que violam as medidas de segurança do Android,
aumentando com isso o potencial perigo de vírus e malwares para os
usuários de Android” escreveu a empresa.

Diferentemente da Apple, que não permite aplicativos para iOS que necessitem que o usuário faça jailbreak
ou outro hack em seu dispositivo para rodar o programa, a Amazon
oferece aplicações que precisam desse tipo de ajuste, chamado de “root”
no Android.

Outra alfinetada da Apple no relatório foi a
respeito do aparecimento de aplicativos nocivos na loja oficial de apps
do Google, a Android Market. “Notamos também que mesmo dispositivos
Android que não fizeram ‘root’ tiveram problemas com brechas de
segurança. O Google anunciou a remoção de mais 30 aplicações para
Android que estavam infectadas por malwares”, apontou a Apple.

A
Apple observou também que o último lançamento da Amazon mostra que a
empresa pode facilmente não utilizar o nome em questão para sua loja de
aplicativos Android, se quisesse. “Além disso, o lançamento recente do serviço da Amazon chamado ‘Mac Software Downloads’
que compete com a Mac App Store da Apple – demonstra que a Amazon pode
nomear seus serviços de download sem utilizar a marca App Store”.

Em
janeiro, a Microsoft pediu ao Escritório de Patentes e Marcas americano
que fosse negado o pedido da Apple, argumentando que, por ser um termo
genérico, os concorrentes têm o direito de utilizá-lo. No mês passado, a
Microsoft, a Nokia (sua nova parceira), a Sony Ericsson e a HTC uniram forças para tentar invalidar a marca “appstore” da Apple.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail