Home > Notícias

Apple não precisa de Steve Jobs para sobreviver, avalia analista

Para a Technology Business Research, empresa possui uma estratégia de sucessão e tem uma equipe estável e que sabe o que faz.

Computerworld/EUA

06/10/2008 às 17h32

Foto:

Ezra Gottheil, analista da Technology Business Research, afirma que os investidores não devem preocupar-se com o futuro da Apple quando a saída de Steve Jobs acontecer.

"A Apple não precisa de Steve Jobs", disse. "A empresa sabe bem administrar e desenvolver o design e usabilidade do Mac, iPod e iPhone. Existe uma equipe estável que sabe o que está fazendo”, afirma Gottheil.

“Não há razão para pensar que a empresa, a marca e a organização não possuam uma estratégia para atuar sem Jobs”, continua. “O que acontece é que sem Jobs, a Apple teria que pagar muito mais para conseguir a atenção do mundo".

Com a saída de Jobs, Tim Cook, atualmente diretor de operações da Apple, poderia ser nomeado para ocupar o seu lugar, aponta o analista - como aconteceu quando Jobs, em 2004, estava afastado por conta de cirurgias. E o vice-presidente de desenho industrial, Jonathan Ive, poderia tomar o comando da área de design de produtos.

Ainda de acordo com Gotthei, a contratação do ex-diretor de tecnologia Segway, Doug Field, como presidente de design da Apple é uma tentativa para fazer Ive ter uma visão mais estratégica de design de produtos.

O analista afirma também que a Apple, sem Jobs, seria mais conservadora. “Porém, avanços como as criações do iPod e iPhone não são necessárias para a companhia continuar. A atual direção da empresa é capaz de seguir de forma eficaz sobre as criações de Jos”, diz.

"Eu vejo a Apple depois de Jobs assim como a Ford Company depois de Henry Ford. “Jobs já mostrou seus principais ensinamentos. Suas criações e a sua cultura irão continuar”, completa.

Sem Jobs, ações caem
Contudo, Gottheil acredita que as ações da empresa irão despencar quando Jobs deixar a empresa. “Mas isto não quer dizer que que o mercado não vai reagir”, enfatiza.

Na manhã desta última sexta-feira (03/10), as ações da Apple caíram a 100 dólares (menor valor desde maio de 2007) após um falso comunicado afirmando que Steve Jobs teria sofrido um ataque cardíaco. O CEO já teve um câncer de pâncreas. As ações da companhia não tinham queda desde maio de 2007.

O anúncio foi publicado no site operado pela CNN iReport.com, que divulga principalmente conteúdos de caráter colaborativo. A Apple negou o fato momentos depois da publicação, mas não conseguiu impedir o deslize de 11% em suas ações.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail