Home > Notícias

Apple vai recompensar adolescente que descobriu falha no FaceTime

Grant Thompson, de 14 anos, identificou o problema cerca de uma semana antes do caso vir a público. Bug permitia ouvir usuários nas chamadas em grupo

Da Redação

05/02/2019 às 11h35

Foto: Shutterstock

Na semana passada, donos de iPhone foram pegos de surpresa após a descoberta de uma grave vulnerabilidade no FaceTime. O bug permitia escutar e até ver outras pessoas na função de chamadas em grupo do aplicativo de vídeo e chamada. Acontece que o erro foi alertado por um adolescente uma semana antes de vir a público, e agora a Apple quer recompensar o garoto.

Para quem não está inteirado do assunto, o caso foi descoberto na segunda-feira passada (28 de janeiro). Quando um usuário realizava uma ligação em grupo via FaceTime, o mesmo usuário era capaz de ouvir ou ouvir os demais participantes - e isso antes mesmo de atenderem ou rejeitarem a chamada. No mesmo dia, a gigante de Cupertino liberou um comunicado informando de que a falha será corrigida na próxima atualização do iOS.

Só que o problema já havia sido detectado cerca de uma semana antes por Grant Thompson, um adolescente de 14 anos, e sua mãe, Michele Thompson. Ambos perceberam o bug por acidente e enviaram um alerta para a central da Apple, porém não foram respondidos devido ao fraco sistema de comunicação da própria Maçã voltado para reportar erros.

Agora, tudo indica que mãe e filho serão recompensados pela empresa. Segundo a CNBC, um executivo de alto nível da Apple e que não foi identificado se reuniu com a família Thompson na última sexta-feira (1), no Arizona, Estados Unidos. Michele conta que o executivo agradeceu aos dois e perguntou como a companhia poderia aprimorar o processo para relatar bugs.

Além disso, Michele afirma que Grant estaria elegível para o programa de recompensas de bugs da Apple, que costuma pagar entre US$ 25 e US$ 200 mil por erros encontrados nos produtos da Maçã. Grant também disse que não deixará de usar os dispositivos da Apple porque acredita que a falha se trata de uma situação isolada e que (supostamente) não irá mais acontecer.

Com informações: CNBC

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail