Home > Dicas

Aprenda a fazer backup de seus tweets

Na hora de se lembrar do que já foi dito, o Twitter deixa a desejar. Felizmente há ferramentas que permitem arquivar os Tweets para consulta futura. Veja como é fácil!

Macworld/EUA e Rafael Rigues, PCWorld Brasil

19/07/2011 às 15h35

Foto:

O Twitter é uma ótima forma de acompanhar o que está acontecendo ao redor do mundo, porém não é tão bom assim na hora de relembrar o que já aconteceu, já que não oferece ao usuário uma forma de arquivar tudo o que já postou. É verdade que é possível pesquisar seus próprios posts na página do Twitter, entretanto as buscas são limitadas aos últimos 3.200 tweets que foram enviados. E caso o usuário queira guardá-los, não há uma maneira integrada de fazê-lo.

Felizmente há algumas ferramentas terceirizadas e serviços que podem fazer isso por você. Esses recursos possuem descrições e funções diferentes: alguns dizem que “arquivam” seus posts, outros afirmam que isso trata-se de um backup. Uns salvam tudo e outros permitem ao usuário fazer buscas e salvar os resultados, no entanto todos eles permitem compilar os tweets em um arquivo ou uma página web, para que possam ser acessados mais tarde. Aqui estão algumas maneiras de arquivar seu histórico social. 

Na Internet

twitstory é um dos serviços que promete acesso fácil ao seu histórico do Twitter. Ele está disponível em duas versões: a gratuita irá mostrar seus tweets nos últimos 30 dias, mas a Pro (que custa apenas US$ 1 por mês) irá mostrar todas os seus 3.200 tweets mais recentes (um limite imposto pelo próprio Twitter). Ambas as versões tem um recurso bastante interessante, que é a integração com o Google Calendar (ainda experimental), iCal ou outros softwares do tipo: basta clicar em um botão em sua página de perfil e seus Tweets serão sobrespostos à sua agenda, como se fossem compromissos. Você pode ver exatamente quando enviou um tweet, quando respondeu, etc.

Na versão gratuita do Twitstory seu histórico é atualizado pelo menos uma vez a cada dois dias. Já na Pro o serviço promete atualização várias vezes ao dia, o que pode fazer a diferença se você faz uso intenso do Twitter. Outra diferença é que a versão Pro permite exportar seus Tweets como um arquivo .CSV, que depois pode ser importado em programas como o Excel ou Microsoft Access. Assim você tem um backup de todas as mensagens.

Uma alternativa gratuita e mais completa é o Tweetake, que pode fazer backup dos seus tweets (novamente, até 3.200), e também de posts de amigos e seguidores (até 10 mil), favoritos e mensagens diretas (200 e 1.000, respectivamente) e gerar um arquivo .CSV contendo todas essas informações. Uma diferença em relação ao Twitstory é que o Tweetake não mantém um backup contínuo, mas sim funciona sob demanda: se você precisar utilizar, deve se lembrar de fazer novos backups de tempos em tempos. 

twitterarchivist01.jpg

Apesar da pouca quantidade, o Archivist faz uma análise detalhada dos posts

O Archivist oferece um serviço gratuito de arquivamento centrado em pesquisas. Para começar você faz uma busca utilizando seu próprio nome de usuário (from:pcworldbrasil, por exemplo). Ele irá retornar com uma lista com os tweets correspondentes, juntamente com análises do conteúdo (volume de posts, principais palavras, e assim por diante). Essa busca irá retornar primeiros os 500 Tweets correspondentes à pesquisa. Esses dados podem ser salvos (eles continuarão a ser atualizados até o usuário deletá-los) ou compartilhados. 500 Tweets é pouco para um backup completo, mas é uma boa forma de fazer backup dos posts por tema. 

Se você é do tipo "faça você mesmo", há como armazenar os tweets em seu próprio servidor web. O TwapperKeeper é um sistema open source baseado em PHP/MySQL que coleta automaticamente todos os seus tweets e copia os mesmos para um banco de dados do seu servidor, que pode ser pesquisado ou organizado em uma página web. A página é atualizada de acordo com os novos posts. 

Por fim, se você pensa em salvar mais do que seus tweets, o backupfy permite fazer uma cópia de todas as suas contas de mídias sociais: Twitter, Facebok, Picasa, Gmail, entre outros. Uma conta gratuita possui limite de 1GB de armazenamento: para quem deseja armazenar apenas os posts do Twitter isso é mais do que o suficiente. Há planos pagos que oferecem mais espaço e backups mais frequentes. 

Vale lembrar que, ao usar qualquer um desses serviços, é preciso autorizar o acesso dos mesmos à sua conta do Twitter. Se você não ficar satisfeito, esse acesso pode ser revogado a qualquer momento nas configurações do serviço: na interface web do Twitter, clique em seu em seu nome de usuário (no canto superior direito da tela), e depois em Configurações / Aplicativos. Encontre o aplicativo que você não deseja mais usar, clique em Revogar Acesso e pronto!

No iPad

Quem usa o tablet da Apple tem como opção o Tweet Library (10 dólares). Ao abrir o programa pela primeira vez basta clicar em Archive para fazer o backup de até 3.200 de seus tweets mais recentes. Depois disso, à medida em que você continua usando o Twitter o app vai adicionando os novos tweets ao arquivo. É possível filtrar os tweets, e fazer “coleções” ou grupos manualmente. 

O aplicativo também exporta esses registros em uma variedade de formatos, para que possam ser visualizados mais tarde. Isso é feito de duas maneiras: a partir de um e-mail com texto puro, que contém os posts com a data e o horário correspondentes ou eles podem ser exportados em um único arquivo .CSV. Em ambos os casos, o resultado final é um registro que inclui o texto do tweet, quaisquer links inclusos, a data, o horário e a URL do mesmo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail