Home > Notícias

Beatles chegam finalmente ao iTunes

Após anos de adiamento, trabalhos do quarteto de Liverpool estão à venda na loja da Apple, por US$1,29 cada música e US$13 cada álbum; entenda a disputa judicial

Macworld/Reino Unido

16/11/2010 às 11h45

Foto:

“Chatices do mundo dos negócios” devem ser culpadas pela ausência contínua dos discos dos Beatles no iTunes, da Apple. Assim Paul McCartney definiu a questão em uma entrevista no programa Newsbeat, da BBC Radio One. “Não entendo como isso ficou tão complicado. Sei que o pessoal do iTunes gostaria de fazer isso, então um dia vai acontecer.” E esse dia chegou. A empresa de Steve Jobs disponibilizou hoje (16/11) os álbuns do quarteto de Liverpool em sua loja online antes mesmo do anúncio oficial em seu site, marcado para as 13h00 (horário de Brasília).

No total são dezesseis álbuns, entre trabalhos de estúdio e coletâneas, sendo que os discos simples saem por 13 dólares cada e os duplos, como o clássico "White Album", são um pouco mais caros, custando 20 dólares.

Já os mais aficionados pela banda podem desembolsar módicos 149 dólares pelo Beatles Box Set, que inclui os 13 discos de estúdio, além de coletâneas (com todos lados A e B, segundo a Apple) e o chamado iTunes LP (selo da companhia que promete uma experiência imersiva aos usuários), com documentários sobre cada álbum, fotos, anotações e um vídeo completo do primeiro show dos Fab Four nos Estados Unidos, no Washington Coliseum, em 1964.

E se o ouvinte quiser, também pode comprar suas músicas favoritas separadamente, por 1,29 dólar cada.

"Nós amamos os Beatles e estamos honrados e emocionados em dar as boas-vindas para eles ao iTunes", disse o CEO da Apple, Steve Jobs, em comunicado à imprensa, que ainda incluía declarações dos ex-beatles Paul McCartney e Ringo Starr, além das esposas de John Lennon e George Harrison.

Vale lembrar que os discos dos Beatles não estão disponíveis para contas brasileiras no iTunes.

beatlesitunes010.jpg

Álbuns dos Beatles já estão disponíveis para venda na loja online da Apple

Entenda o caso
A relação entre a Apple Corps. e a Apple Computer nunca foi realmente amigável. Os problemas começaram em uma época em que a própria ideia de algo como o iTunes e o iPod teria sido considerado roteiro de um filme de ficção científica; em 1978, a Apple Corps., a holding fundada pelos Beatles para administrar seus negócios, processou a Apple Computer por violação de marca registrada (trademark). A ação judicial finalmente saiu dos tribunais por uma quantia que foi originalmente estimada na casa dos dez milhões de dólares, mas depois foi revelada se tratar de meros 80 mil dólares.

Como parte de seu primeiro encontro legal, as duas companhias concordaram em não invadir os negócios da outra: os rapazes de Liverpool não produziriam equipamentos de computadores, enquanto a empresa de Steve Jobs iria se conter para não lançar produtos musicais.

 

beatles
Beatles: todos os discos em pendrive em forma de maçã

Mas, na década seguinte, as rivais acabaram no tribunal mais duas vezes, sempre pelo “vício por música” da Apple Computer – funcionalidade relacionada às suas linhas de computadores.

A contínua batalha legal da fabricante americana com sua “irmã” britânica levou o desenvolvedor Jim Reekes (que aparece no documentário “Welcome to MacIntosh”, de 2008) a batizar de “sosumi” o som inicial do Mac, uma versão disfarçada de “so sue me” (algo como “então me processe").


O próprio iTunes não apareceu no foco legal da Apple britânica até 2003, quando processou mais uma vez sua rival da Califórnia pelo uso de sua marca registrada na Music Store (Loja de música) do iTunes. Desta vez, a fabricante de computadores levou a melhor quando um juiz britânico decidiu a favor da Apple e até ordenou que a Apple Corps. pagasse por isso.

Em 2007, a Apple Computer mudou seu nome para Apple Inc. (tornando assim a tarefa de escrever um artigo sobre as duas companhias ainda mais difícil) e anunciou um novo acordo com a Apple Corps., que lhe concedeu todos direitos do nome Apple em troca de um belo pagamento de 500 milhões de dólares. Na keynote da Macworld Expo daquele ano, Steve Jobs fez muitas referências aos Beatles – um fato que muitos acharam significar uma reconciliação e o iminente lançamento das músicas da banda na iTunes Store.



Pule para 2010. Enquanto a disputa não se resolvia, todos os discos dos Beatles foram digitalmente remasterizados e disponibilizados em CD, e até em uma edição limitada em um pendrive em forma de...uma maçã(!), além de todas as músicas das carreiras solo dos quatros membros terem sido disponibilizadas pelo iTunes. 

É claro que apenas as partes envolvidas sabem quais obstáculos emperravam a negociação, mas é seguro apostar que dinheiro estava por trás disso – além de ser grande o número de pessoas e empresas que precisariam assinar um contrato sobre o assunto.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail