Home > Notícias

Buscas no Google contribuem para aquecimento global, diz pesquisador

Físico da Universidade de Harvard diz que cada pesquisa feita a partir do buscador gera 7 gramas de dióxido de carbono.

IDG News Service/Reino Unido

12/01/2009 às 12h12

CO2_google_150.jpg
Foto:

CO2_google_150.jpgUm pesquisador da Universidade de Harvard afirmou que as buscas feitas pelos internautas a partir do Google emitem gás carbônico e podem poluir o ambiente.

De acordo com o físico Alex Wissner-Gross, cada pesquisa realizada gera 7 gramas de dióxido de carbono - pouco menos do que uma chaleira - mas com potencial para contribuir com o aquecimento global.

O Google, no entanto, afirma que esse número é muito menor. De acordo com Urs Hölzle, vice-presidente de operações da companhia na Europa, cada vez que uma pessoa usa o mecanismo de busca, ela gera 0,2 grama de dióxido de carbono.

Entretanto, é impossível afirmar quem está correto, pois a metodologia de Wisner-Gross é diferente da utilizada pelo mecanismo de busca. O pesquisador leva em conta a energia usada pelo computador de onde a busca é feita, por exemplo. Já o Google leva em consideração apenas a energia consumida em seus datacenters.

Segundo o The Sunday Times, jornal que publicou uma entrevista com o físico de Harvard, a pesquisa completa deve ser publicada em breve, pelo Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos dos EUA.

O mecanismo de busca e outras grandes empresas de tecnologia, como a Microsoft, têm procurado instalar seus data centers em locais onde a eletricidade é mais barata (nas proximidades de hidrelétricas, por exemplo), para reduzir os gastos com a conta de luz. “Tomamos grandes medidas para reduzir a energia consumida em nossas unidades, mas ainda queremos melhorar esse ponto”, disse Hölzle, do Google.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail