Home > Dicas

Cadê as portas USB 3.0?

A conexão dez vezes mais rápida e que consome menos energia está atrasada. Mas chegará.

Jason Cross, PC World / EUA

30/09/2009 às 16h28

USB3.0_150.jpg
Foto:

usb3-0_150.jpgO assunto USB 3.0 já foi abordado exaustivamente e parece não ter fim, mas fazem apenas dois anos que a Intel e outros parceiros formaram um grupo promocional para anunciar a tecnologia que fornece taxas maiores de transferêcia de dados.

As especificações se completaram em novembro de 2008 - ou seja, quase um ano atrás,  ao mesmo tempo em que surgiram especulações de que uma leva de dispositivos com essa tecnologia seriam lançados até o final do ano, de 2008. Bom, as projeções se mostraram quase certas: os dispositivos estão chegando, mas não antes de 2010.

USB SuperSpeed (como são chamadas as USB 3.0), suportam uma taxa máxima de transferência de dados de 4,8 gigabits por segundo (Gbps); para efeito de comparação, as USB Hi-Speed (USB 2.0) tem uma taxa de 480 megabits por segundo (Mbps).

Leia também:
> Improvise uma interface eSATA no seu PC
> Como determinar o tamanho ideal de um HD externo?
> Cuidados a tomar quando for preciso trocar a placa-mãe do PC
> Seu PC não está reconhecendo um cartão SD?
> Bluetooth 3.0 pega carona no Wi-Fi e entrega velocidade de até 24Mbps

Confuso em comparar Gbps com Mbps? Não se preocupe. A nova taxa correponde a alco como 600 Mbps – muito mais rápido que muitos discos rígidos, e chega bem da taxa de transferência oferecida pelos discos em estado sólido (SSD). Para se ter uma ideia de quão rápido é, isso é equivalente a mover praticamente todo o conteúdo de dados de um CD em um segundo.

A USB 3.0 atinge essas taxas ao utilizar um novo plug e formato de cabo, mas ainda é compatível com as tecnologias USB 2.0 e 1.1. Plugue seu antigo dispositivo e ele ainda irá funcionar (claro, com a antiga velocidade). Plugue um dispositivo USB 3.0 em uma porta USB 2.0 e ele também irá rodar, mas com a velocidade mais baixa.

Outra novidade é que agora o protocolo USB 3.0 é multitarefa: os dispositivos podem enviar e receber dados simultaneamente, algo impossível nos protocolos anteriores.

Operações de voltagem menores e a eliminação do broadcasting e polling (métodos que os antigos padrões de USB usam para se comunicar com todos os dispositivos anexados), devem fazer as USBs utilizarem menos energia, mas uma transmissão com voltagem máxima pode ajudar a carregar seus dispositivos portáteis mais rapidamente.

O conjunto de ideias é ótimo e recentemente quase teve seu primeiro lançamento. A Asus havia programado o lançamento da placa-mãe high-end P6X58 Premium  com portas USB 3.0, fornecidas pelo controle host da NEC (uma espécie de vigia de tráfego para dispositivos externos), mas o lançamento sofreu atrasos. Acontece que o host da NEC só conseguiu a certificação da USB 3.0 em 21 de setembro deste ano, o que forçou a Asus a adiar o lançamento da placa-mãe.

Algumas outras placas-mãe equipadas com USB 3.0, e utilizando o controlador host da NEC, podem aparecer ainda em 2009, e a Fujitsu está perto de lançar um notebook já com portas USB 3.0. Porém as portas USB 3.0 se tornarão mais comuns em notebooks e desktops só em meados de 2010.

Mas essas portas são inúteis sem dispositivos compatíveis. Em uma demonstração, na IDF 2009, a LucidPath mostrou um disco SSD externo com conexão USB 3.0 e que atingiu uma taxa de transferência de 240 Mbps. Inclusive os dispositivos de armazenagem devem ser os primeiros com essa tecnologia à chegar ao mercado já no início de 2010.

webcam_350.jpg

Webcam de alta definição com USB 3.0

As câmeras filmadoras também devem utilizar a USB 3.0. A empresa Point Grey exibiu uma webcam de alta definição e que utiliza USB 3.0, porém o produto ainda não está disponível. Ao contrário das webcams USB, este modelo com USB 3.0 não precisa comprimir o arquivo de vídeo antes de enviá-lo para o PC.

A USB SuperSpeed é rápida o suficiente para transmitir vídeos sem compressão em alta definição para captura ou compressão no PC, o que pode melhorar a qualidade do vídeo e deixar as webcams de alta definição mais baratas também (e mais rápidas). Mas dispositivos como esses demorarão um pouco mais para chegar, quem sabe a partir do final do ano que vem.

Nada disso, porém, significa que a USB 2.0 está sendo aposentada; ela continuará a ser a opção mais viável até que os controles da USB 3.0 venham embutidos nos controles host das placas-mãe (o host da NEC mencionado anteriormente é um chip separado na placa-mãe, e não faz parte do controle host principal da placa).

Além disso, a USB 2.0 ainda é ideal para dispositivos de entrada – mouses e teclados não necessitam de toda velocidade que a USB SuperSpeed promete. Ainda assim, é bom saber que um futuro de alta velocidade, baixo consumo de energia e rápido carregamento está a nosso alcance. Em breve seu iPod de 128GB, Zune ou smartphone, não levará mais duas horas para ser preenchido com arquivos de música.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail