Home > Notícias

Campanha pede o fim do uso do Internet Explorer 6

Site norueguês cria campanha contra o uso do navegador desatualizado da Microsoft, que começou a ser usado em 2001.

Macworld/Reino Unido

20/02/2009 às 12h32

Foto:

Um website norueguês começou um movimento para tentar fazer os
usuários abandonar o navegador Internet Explorer 6, uma versão antiga
do browser mas ainda amplamente usada.

O IE6 não segue padrões estabelecidos para mostrar páginas da web e traz problemas de segurança, de acordo com o site Finn.no (arquivo PDF), que pede aos usuários para migrar para o Mozilla Firefox, Opera ou atualizar para o Internet Explorer 7.

O
Finn.no (“finn” significa “encontrar” em norueguês) diz ter gasto muito
tempo para modificar seu site para visitantes com o IE6,  que poderia
ser gasto com novas ferramentas para o site, de acordo com Erlend Schei, desenvolvedor da página.

O
problema do IE6 é antigo. A Microsoft desenvolveu esse navegador antes
de alguns padrões da web, como o CSS e o RSS, terem sido desenvolvidos.
Conforme o IE se tornou dominante, os desenvolvedores tiveram que
adaptar seus sites a trabalhar com o IE do que com padrões da web.

Isso
mudou com o lançamento de novos navegadores, como o Firefox, em 2004,
que tentavam se adaptar aos padrões do World Wide Web Consortium (W3C).

Ao lançar o IE7, a Microsoft disse que aderiu aos padrões do
W3C, e que o novo navegador, o Internet Explorer 8, será mais
compatível ainda. O IE6 foi lançado em 2001, junto com o Windows XP.

Os
desenvolvedores do Finn.no dizem que cerca de 17% dos seus 4,2 milhões
de visitantes ainda usam o IE6. Segundo a NetApplications, que mede o
uso de navegadores por versão, o IE6 ainda tem 19,21% de mercado - mais
que o Firefox 3.0, que tem 18,3% de uso.

Outros sites noruegueses adotaram a idéia de incentivar o abandono do IE6, postando notícias encorajando a troca, e uma campanha de “alerta” ao uso do IE6 foi criada no Facebook, com links para outros sites que apoiam a ideia.

Uma página wiki também
mantém em dia as informações e sites em todo o mundo que defendem a
mudança. A Microsoft não foi encontrada para comentar o caso. 3

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail