Home > Notícias

Celular Palm Pre espiona usuário, acusa desenvolvedor

Joey Hess analisou código do webOS, sistema utilizado no aparelho, e afirma que o telefone envia à fabricante diariamente dados

PC World

13/08/2009 às 10h14

Foto:

O sistema operacional webOS, do smartphone Palm Pre (aparelho que chegou ao mercado em junho para competir com o iPhone), envia diariamente informações pessoais do usuário, como coordenadas do GPS e frequência de uso dos aplicativos, acusou o desenvolvedor Joey Hess nesta quinta-feira (13/8) após analisar o sistema móvel.

Hess afirma que, após analisar o código do webOS, descobriu que o Palm Pre envia periodicamente à companhia informações benignas, como problemas que o usuário teve com o sistema, mas também dados que podem prejudicar sua privacidade. Os envios são feitos diariamente, segundo ele.

Sem a capacidade de conseguir se infiltrar no webOS, parece não existir um meio de desabilitar a alegada comunicação, explica Hess. Em seu blog, ele dá exemplos das suas descobertas.

>Comparativo: iPhone 3GS x Palm Pre

No contrato da Palm para o sistema operacional (disponível em PDF no site da empresa) não há nada que mencione esse tipo específico de coleta e transmissão de dados.

Há, no entanto, uma parte dos termos que dão à Palm o direito de "coletar, armazenar, acessar, revelar, transmitir, processar e usar de outras formas seus dados de registro, de conta ou sobre o aparelho" e que a empresa também pode fazer o mesmo com suas informações geográficas coletadas pelos serviços de localização. Os termos também afirmam que a Palm pode revelar "qualquer informação" a autoridades.

Em resposta à crescente discussão na blogosfera sobre a suposta invasão de privacidade do webOS, a Palm divulgou um comunicado afirmando que leva a questão da privacidade a sério e oferece aos usuários maneiras de habilitar e desabilitar serviços de coleta de dados.

"Nossa política de privacidade é igual a muitas políticas da indústria e inclui linguagem detalhada sobre os cenários em potencial nos quais poderemos usar informações dos clientes, sempre com o objetivo de oferecer uma grande experiência ao usuário. Por exemplo, quando serviços de localização são usados, coletamos informações para dar resultados locais relevantes no Google Maps. Apreciamos a confiança que usuários nos deram com suas informações e não temos intenções de violar essa relação", afirma o comunicado.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail