Home > Notícias

Censura – Apple admite erro e libera cenas de nudez em Ulysses para iPad

Clássico de literatura, que havia sido censurado pela empresa, agora exibe imagem de homem nu; obra de Oscar Wilde também foi reavaliada

Macworld/Reino Unido

16/06/2010 às 11h49

Foto:

A versão em quadrinhos do clássico da literatura Ulysses, de James Joyce, que havia sido censurado pela Apple, agora pode ser visto sem cortes na tela do tablet. A empresa de Steve Jobs mudou de ideia, se desculpou e liberou as cenas de nudez “proibidas”.

Batizado como Ulysses Seen, o software só foi ao ar depois que cenas de nudez foram retiradas, como determinado pela Apple. Em sua versão original, submetida à Apple no começo do ano, ele trazia imagens que exibiam os genitais de personagens. Por conta disso, a obra teve que ser alterada, para não ser “explícita”.

Depois que a história foi divulgada pela Macworld, a Apple admitiu que exagerou. Em entrevista ao Washington Post, o porta-voz da empresa, Trudy Muller, disse que  “cometemos um erro. Mas quando fomos alertados sobre o fato, chamamos os desenvolvedores e oferecemos a oportunidade de publicar essa graphic novel com os desenhos originais”, explicou.

Segundo Rob Berry, um dos responsáveis pelo aplicativo, as pessoas responsáveis pela aprovação do conteúdo não tinham informação sobre o que estavam avaliando. “A questão é simples: deve alguém que não desconhece completamente a obra de Joyce tomar decisões sobre um aplicativo sobre ela?”, pergunta.

A Apple também reverteu a decisão sobre a versão em quadrinhos de The Importance of Being Earnest, de Oscar Wilde, que agora está disponível na App Store.

E você, acha que a Apple tem direito de censurar o conteúdo dos aplicativos? Deixe sua opinião.

ulyssesipad2

Ulysses para iPad: agora sem censura

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail