Home > Notícias

CES 2013: Cinco tendências entre os smartphones

Produtos da Sony, Huawei e ZTE, entre outras, mostram a direção que o mercado está seguindo

Mikael Ricknäs, IDG News Service

10/01/2013 às 18h42

Foto:

Em 2013, um smartphone topo de linha deverá ter uma tela de 5 polegadas e resolução Full HD, um processador quad-core e uma câmera de 13 MP para se manter competitivo. Pelo menos essa é a tendência que podemos observar entre os produtos anunciados durante a CES 2013 em Las Vegas, nesta semana.

A CES não é a Meca dos smartphones, mas o evento deste ano nos trouxe produtos interessantes de fabricantes como a Sony, ZTE e Huawei, que reforçaram algumas das tendências do final de 2012, incluindo a migração rumo a telas Full HD de 5 polegadas.

Embora os aparelhos apresentados na CES sejam similares em muitos aspectos, os fabricantes estão tentando encontrar formas de diferenciar seus produtos. Por exemplo, o Huawei Ascend D2 tem uma bateria de 3.000 mAh, o Sony Xperia Z pode usar a técnica HDR (High-Dynamic Range) durante a gravação de vídeo, além de fotos, e o ZTE Grand S tem apenas 6.9 mm de espessura.

Aqui estão as cinco principais tendências que notamos.

Telas Full HD de 5 polegadas

Seguindo os passos do HTC Droid DNA (também conhecido como HTC Butterfly) o Xperia Z da Sony, Ascend D2 da Huawei e Grand S da ZTE tem telas de 5 polegadas com a mesma resolução, 1920 x 1080 pixels (Full HD). Além destes a Alcatel One Touch e a Vizio apresentaram aparelhos com estas telas.

Telas maiores e com resolução mais alta tem sido um dos principais recursos usados pelos comerciantes para convencer os consumidores a comprar um novo aparelho, e o sucesso da família Galaxy Note, da Samsung, mostrou que há interesse entre os usuários. O Galaxy Note original tem uma tela de 5.3 polegadas e seu sucessor, o Galaxy Note II, traz uma ainda maior, com 5.5 polegadas.

xperiaz-360px.jpg
Sony Xperia Z: tela Full HD de 5"

Durante a CES a Huawei também anunciou o Ascend Mate, que tem uma tela de 6.1 polegadas, mas com resolução de “apenas” 1280 x 720 pixels (HD). 

A principal preocupação com uma tela maior e com mais pixels é a autonomia de bateria, e o Droid DNA tem tido alguns problemas neste ponto. Tanto o Xperia Z quanto o Ascend D2 tem baterias maiores do que o aparelho da HTC, com 2.330 e 3.000 mAh, contra os 2.020 mAh no modelo da HTC.

Processadores Quad-Core

Neste ano, fabricantes de smartphones parecem estar apostando tudo em processadores quad-core. Tanto o Xperia Z quando o Grand S são baseado em um processador Snapdragon S4 Pro da Qualcomm, enquanto a Huawei decidiu desenvolver um chip próprio, chamado de K3V2, para o Ascend D2.

Os fabricantes de processadores também estiveram ocupados durante a feita: a Qualcomm, Nvidia e ST-Ericsson lançaram processadores quad-core. Os novos Qualcomm Snapdragon 800 terão desempenho até 75% maior do que o atual Snapdragon S4 Pro, além de suporte integrado a redes LTE (4G) e à nova tecnologia Wireless 802.11ac, segundo a empresa. Os primeiros aparelhos equipados com estes chips deverão chegar ao mercado na segunda metade deste ano.

tegra4_chip-360px.jpg
Nvidia Tegra 4: O primeiro quad-core com arquitetura ARM Cortex A15

O processador da Qualcomm irá competir com o Nvidia Tegra 4, que é o primeiro processador quad-core a utilizar a arquitetura ARM Cortex A15. Ela já é usada no processador Snapdragon S4 no tablet Nexus 10, da Google, mas em uma versão com dois núcleos.

Enquanto isso a Samsung deu um passo à frente da concorrência e anunciou o primeiro processador com oito núcleos para smartphones, batizado de Exynos 5 Octa. O chip é na verdade uma combinação de dois processadores quad-core em um só “pacote”: são quatro chips de alto desempenho para tarefas mais exigentes, e outros quatro de baixo consumo para tarefas mais simples, como e-mail e redes sociais. Ainda não há uma data para que os primeiros aparelhos com o novo chip cheguem às lojas.

Sistemas para economia de bateria

A combinação de telas grandes e altíssima resolução com um processador Quad-Core não é algo bom para a autonomia de bateria. Mas, além de equipar seus aparelhos com baterias maiores, a Sony e a Huawei também desenvolveram software para ajudar a aumentar sua duração.

O modo Battery Stamina, da Sony, aumenta a autonomia em espera desligando automaticamente programas em segundo plano, e reiniciando sua execução quando a tela é religada. Quanto mais aplicativos o usuário tiver instalado, maior é o efeito deste recurso, de acordo com a Sony.

Já a Huawei reduz o consumo desligando automaticamente interfaces de comunicação quando não estão em uso, disse um representante da empresa.

Proteção contra poeira e água

A Sony e a Huawei também esperam usar a resistencia a água e poeira como motivo para convencer os consumidores a escolher um novo aparelho. Desde que todas as portas e tampas estejam bem fechadas, o Xperia Z é protegido contra “jatos d’água de baixa pressão vindos de todas as direções possíveis, e pode ser mantido submerso em até 1 metro de água doce por até 30 minutos”, disse a empresa.

huawei_ascend_d2-360px.jpg
Huawei Ascend D2: resistência ao derramamento de líquidos

O Ascend D2 tem um nível menor de proteção contra a água, mas ainda pode resistir a respingos ou líquido derramado sobre ele.

A Sony e a Huawei não são os primeiros fabricantes a adicionar proteção contra água e poeira aos seus aparelhos. A Motorola já comercializa no Brasil, há alguns anos, a família Defy. Mas teremos de esperar para ver se a proteção irá se provar um recurso popular entre os usuários.

Câmeras de alta resolução.

Os novos aparelhos da Sony, Huawei e ZTE também tem câmeras com a mesma resolução, 13 Megapixels. O Xperia Z e o Grand S também tem uma câmera frontal de 2 MP, o que permite aos usuários gravar capturar imagens em Full HD (1080p).

zte_grands-360px.jpg
ZTE Grand S: câmera de 13 MP

A Sony implementou o recurso HDR (High Dynamic Range, que harmoniza as áreas claras e escuras da imagem) tanto para fotos, o que é comum, quanto para vídeo, o que é raro. Com o HDR, a câmera captura a mesma cena várias vezes, com diferentes níveis de exposição, e empilha as imagens para criar um resultado otimizado. Com a tecnologia será possível, por exemplo, gravar vídeo mesmo de uma pessoa em frente a uma janela, ou com o sol diretamente atrás dela, segundo a empresa.

Usuários do aparelho da Sony também poderão tirar fotos enquanto fazem vídeo (outro recurso se tornando comum) e há um modo Burst capaz de capturar 10 fotos por segundo com resolução de 9 MP cada, que pode ser usado continuamente até que não haja mais espaço na memória do aparelho.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail