Home > Notícias

Chip WiMax deve gerar receita de 1,2 bilhão de dólares até 2012

Para IDC, mercado deve ser puxado por notebooks equipados com a tecnologia; a receita desse segmento já é de US$ 480 milhões.

Computerworld/Cingapura

30/04/2008 às 16h08

Foto:

A receita global com chips WiMax deve totalizar cerca de 480 milhões de dólares neste ano, graças ao desenvolvimento de um maior número de infra-estruturas que suportam a tecnologia de conexão sem fio, segundo a IDC. O número deve chegar 1,2 bilhão de dólares em 2012.

Com a expectativa de lançamento dos notebooks com a plataforma Montevina da Intel – que terão suporte embarcado a WiMax – no segundo trimestre, a venda de equipamentos baseados na tecnologia deve crescer, de acordo com a IDC.

Sucessor do Wi-Fi, o WiMax é uma nova tecnologia de comunicação sem fio com raio de cobertura de 80 km e maior velocidade.

“O WiMAx evolui do padrão terrestre para o móvel ao longo dos últimos anos, e mais evoluções devem ser esperadas para os próximos meses”, disse Flint Pulskamp, gerente de programa da IDC Wireless Semiconductors.

Pulskamp acrescentou que o próximo ano vai revelar mais sobre a aceitação do WiMax pelos usuários. “Com tecnologias concorrentes resolvendo questões de desempenho, será um período crítico para o futuro do WiMax”, disse ele.

Se a demanda pela tecnologia aumentar, os fabricantes poderão desenvolver economia de escala e permitir a integração do padrão com uma variedade de produtos como câmeras, tocadores de mídia e telefones móveis, disse a IDC.

Embora acredite no potencial do WiMax, a IDC aponta alguns desafios no seu desenvolvimento, como confiabilidade e consumo de energia do chipset.

O custo é outra questão importante, embora o volume possa resolver esse aspecto, acredita a IDC.

Estes desafios devem ser vencidos para que a tecnologia possa decolar, defende a IDC. “Se os resultados iniciais forem promissores, então podemos esperar algumas mudanças significativas na base dos fornecedores e na cadeia de suprimento”, disse Pulskamp.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail