Home > Dicas

Cinco coisas que incomodam usuários de iPhone

Levantamento mostra os pontos que mais confundem e dificultam o uso de softwares feitos para o smartphone da Apple ou para o iPod touch

Macworld/EUA

22/09/2009 às 14h20

Foto:

Embora o iPhone seja conhecido como um aparelho simples e fácil de usar, há algumas característica e recursos do aparelho ou de softwares desenvolvidos para ele que irritam seus proprietários. A principal causa são os botões do iPhone. Mas o iPhone não tem só um botão (Início, além de teclas de volume e para despertar)? Sim, só que estamos falando dos botões sensíveis ao toque criados pelos mais variados desenvolvedores de aplicativos.

O diretor da Create with Context (empresa de pesquisas para áreas como design), Bill Westerman, afirma que a Apple deveria estabelecer um padrão com os desenvolvedores de softwares para evitar funções desiguais em botões semelhantes.

A Create with Context levou alguns usuários de iPhone a seus laboratórios de teste para avaliar o comportamento de cada um ao usar diferentes aplicativos. As pessoas ficaram confusas com a inconsistência dos botões, ícones que não se relacionavam com suas funções e layouts diferentes.

iphone3G

iPhone: botões têm funções e posições diferentes, que confundem os usuários

Confira, abaixo, cinco motivos que chateiam os proprietários de iPhones no uso de softwares e, se você é um desenvolvedor, saiba o que evitar:

Conflito de botões
Um bom exemplo para ilustrar esse descontentamento é o botão “+” encontrado, no canto superior direito do aplicativo Calendário. Com um toque sobre ele, o usuário cria uma nova entrada para algum evento no dia. O mesmo botão, também encontrado no mesmo local do aplicativo Relógio Mundial permite ao usuário  cadastrar um novo fuso. Já no Safari, o “+” está posicionado na parte inferior da tela, causando confusão para os usuários.

O problema é agravado quando as funções se tornam diferentes entre os aplicativos.  A tela principal do Facebook, por exemplo, permite que sejam adicionados novos botões das páginas preferidas. No canto superior direito da página há um botão com uma seta. Geralmente ele é usado, em outros aplicativos, para enviar informações, mas no caso do Facebook serve para apagar a página da tela principal...

Se eu tocar aqui, o que vai acontecer?
Os usuários que participaram da pesquisa da Create with Context não conseguiram identificar que o botão “X”, ao lado do campo de URL do Safari, servia para apagar o link digitado. Alguns tocaram sobre ele pensando que seria o “Go” (ir) para entrar na página solicitada e acabaram tendo de digitar novamente seu endereço.

Eu não toquei nesse botão!
Botões próximos uns dos outros é a principal causa para executar determinadas funções não solicitadas pelos usuários. Quem usa o iPhone tem diversas situações que comprometem seu uso. Caso esteja dentro de um ônibus em movimento ou fazendo uma caminhada, tocar sobre botões pequenos na tela do iPhone se torna um desafio.

Os desenvolvedores devem estudar mais antes de finalizar o layout do aplicativo e colocar em mente que o programa será usado não só em ambientes diferentes, mas também por pessoas com dedos maiores e menores, com ou sem unhas compridas, e torná-los acessíveis nas piores condições possíveis.

Quais são as referências visuais?
Muitos aplicativos não mostram sequer um aviso para informar o usuário sobre mais informações ou mesmo movimentos que ativam comandos (como sacudir o aparelho, por exemplo). Um caso clássico é o de menus de preferências. Por estarem tão bem alinhados, usuários novos dificilmente adivinharão que se deslizarem o dedo para cima, vão encontrar mais opções abaixo.

A maioria das pessoas que participou do estudo desconhecia o gesto de pinça com os dois dedos para ampliar ou reduzir o zoom dos mapas no Google Maps. Outros que conheciam o recurso não sabiam que também podiam aumentar as imagens com toques rápidos sobre os mapas.

Ícones mal concebidos na tela inicial
Quando se constrói um aplicativo, o desenvolvedor deve pensar também no seu ícone para identificá-lo na tela inicial do iPhone. É algo muito chato baixar um programa da App Store e ter de encontrar um ícone totalmente diferente do que a aplicação se refere. Não há uma identidade visual em muitos casos.

Um participante da pesquisa afirmou que ícones com cores vermelhas devem ser contextualizados com “alertas”, “perigo”, “erro”. Ele também afirma que teve a atenção atraída pelas cores mais vibrantes. É preciso registrar também que o nome dos aplicativos deve ser simples, relevante ser claramente relacionado ao que oferece.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail