Home > Dicas

5 dicas para criar um aplicativo matador para iPhone

GAP e Mobclix promovem concurso com mais de 400 desenvolvedores para eleger os três melhores; conheça os segredos dos vencedores, segundo os jurados

CIO/EUA

19/11/2009 às 16h48

Foto:

A grife de roupas GAP entrou na moda dos aplicativos para iPhone. Para promover seus produtos, a empresa patrocinou, em parceria com a Mobclix, companhia especializada na comercialização de mídia para smartphone, um concurso que premiaria os desenvolvedores que fizessem os três melhores aplicativos para a GAP.

Cerca de 400 desenvolvedores se inscreveram no concurso, para ganhar um certificado GAP de 1.000 dólares, mais 1.000 dólares de publicidade na Mobclix para o primeiro lugar, certificado de 500 dólares mais 500 dólares de publicidade para o segundo lugar e 500 dólares de publicidade para o terceiro colocado. A premiação também incluiu iPhones 3GS.

Três meses depois, a GAP anunciou os vencedores, no início desta semana. O Gap app ficou em primeiro lugar, enquanto o Dance Off ficou em segundo, e o terceiro colocado foi o GAP4Me. O GAP4Me também foi escolhido por votação dos consumidores no concurso People’s Choice. .

Os aplicativos  ainda não estão disponíveis na App Store, mas com a escolha dos campeões, já para tirar algumas lições do que faz um aplicativo vencedor. Confira abaixo cinco práticas que ajudam um aplicativo se tornar um sucesso.

1) Dê um motivo a eles

Segundo Bill Westerman, diretor da empresa de pesquisas e design Create with Context, e um dos juízes do concursos, muitos aplicativos não foram escolhidos por estarem muito focados na marca. Eles podem ter as funções de comprar e mostrar a loja mais próxima, mas não fizeram uma boa combinação entre os recursos.

Algumas empresas confiam tanto na lealdade do consumidor que esquecem de se perguntar sobre a real utilidade do aplicativo. “Algumas marcas sabem aproveitar bem um aplicativo para iPhone”, disse Krishna Subramanian, fundadora da Mobclix ao se referir ao faturamento do eBay de 400 milhões de dólares com um aplicativo.

Dificilmente as pessoas vão baixar um aplicativo para iPhone só pela marca da empresa que o fez. No caso da GAP, não se pode pensar apenas em vender os produtos, mas oferecer ao usuário formas de entretenimento, diversão, músicas e vídeos. A marca da empresa deve aparecer em segundo plano.

2) Um dos 100.000
Conseguir se destacar no meio da multidão exige criatividade. O Gap app trouxe o diferencial ao permitir streaming de músicas enquanto o usuário escolhe produtos. "E tem um bom visual, que reflete o espírito da marcar", afirma Westerman.

Os comerciais de televisão da GAP e mesmo as lojas têm sempre música. Com a trilha sonora no aplicativo, o usuário se sente um pouco na loja. O software também permite procurar por roupas, participar de games  e receber cupons de descontos.

De acordo com Westerman, é importante para o desenvolvedor ter a certeza de que o que ele está desenvolvendo fará com que o usuário volte mais vezes para o aplicativo.

Assista abaixo o aplicativo vencedor do concurso em ação:

3) Não se perca

Ao criar um aplciativo para iPhone, os desenvolvedores enfrentam um dilema difícil: até que ponto pode ser diferente da interface usada no iPhone?

Se seguir o padrão da interface dos aplicativos da Apple, qualquer usuário que mexe com o iPhone não terá dificuldades em lidar com seu aplicativo, e se for muito diferente, ninguém saberá mexer.

Westerman diz que muitos aplicativos que participaram do concurso GAP passaram por esse tipo de problema. “Vimos muitos softwares  que correspondiam exatamente com a interface do usuário no iPhone, enquanto outros ficaram muito distantes”, afirmou.

Segundo o diretor da Create with Context, os aplicativos que se deram bem foram os que não usavam a mesma interface do usuário do iPhone, mas chegavam perto o suficiente para não confundir o usuário. Ou seja, equilíbrio.

4) Faça para mim

Considere o vencedor do People’s Choice, em que o ganhador foi eleito pelos votos dos consumidores. O aplicativo usa o modo de visão Cover Flow para escolher entre  40 modelos de camisas vendidos pela loja.

A melhor parte é quando o usuário corta a peça de roupa para encaixar em um manequim e checar se foi uma boa combinação.

“É uma forma divertida de interagir com as roupas”, disse Westerman. Para ele, o aplicativo interage com a necessidade humana de olhar para um produto e verificar se realmente será útil.

Assista abaixo a demonstração do GAP4Me:

5) Qual a minha recompensa?

Uma regra básica para um desenvolvedor de aplicativos: quanto maior a interação, maior a recompensa. O aplicativo Dance Off, por exemplo, pede que o usuário monte uma combinação de roupas, visite alguma loja GAP e grave um vídeo com o aparelho para ser publicado no Facebook.

A inspiração de dança veio com os comerciais da GAP que mostram um grupo de pessoas dançando e pulando com as roupas da empresa. O aplicativo tem uma área que mostra o melhor vídeo da semana. “Ver vídeos de outras pessoas fará com que os usuários voltem para o aplicativo”, disse Westerman.

Depois de publicar um vídeo na internet, o aplicativo oferece imediatamente um cupom de desconto ao usuário.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail