Home > Notícias

Com ajuda de Mac roubado, policiais prendem crimosos

Vítima de roubo conseguiu tirar uma foto do provável ladrão usando ferramenta de acesso remoto à máquina pessoal.

Redação do IDG Now!

12/05/2008 às 18h57

Foto:

Um apartamento em White Plains, Nova York, foi roubado duas semanas atrás. Os ladrões levaram televisores com tela plana, jogos de computador, iPods, DVDs e, por sorte, dois laptops.

Um dos computadores era o Macintosh de Kait Duplaga, que trabalha em uma loja da Apple e conhecia profundamente as características da máquina. Enquanto a polícia fazia sua investigação, Duplaga utilizou aplicativos que recentemente instalara no notebook para rastrear e tirar fotos dos bandidos, de acordo com reportagem do jornal The New York Times.

Na quarta-feira (07/05), Edmon Shahikian, 23, e Ian Frias, 20, que vivem no Bronx, foram presos. Todos os itens roubados, que estavam na casa dos ladrões, foram recuperados. Shahikian pagou uma fiança de 3.500 mil dólares e Frias desembolsou 7.500 mil dólares para ser libertado.

Não é a primeira vez que a polícia e vítimas de roubos usam softwares e ferramentas tecnológicas para encontrar e prender ladrões.

Em março, por exemplo, um policial da Califórnia recuperou um computador roubado, que continha informações sigilosas, incluindo números da segurança social de 3.500 funcionários de uma escola pública. Os detetives usaram softwares de rastreamento para prender o suspeito, que já havia cometido diversos outros crimes.

Duplaga usou uma ferramenta chamada “Back to my Mac” (de volta ao meu Mac) e conseguiu acessar o seu computador roubado remotamente. Ela então se deu conta de que poderia ativar a câmera do laptop e descobrir quem o estava usando.
++++
Em um primeiro momento, Duplaga enxergava apenas uma sala cheia de fumaça, mas logo uma pessoa apareceu. Quando uma foto é tirada pelo computador, ele exibe uma contagem regressiva. O ladrão percebeu que estava sendo fotografado e colocou a mão em frente à câmera, mas era tarde demais.

Quando Duplaga descreveu a tatuagem que vira na pessoa, seu amigo que mora no mesmo apartamento logo disse “Já sei quem é; é Ian”, referindo-se à Frias.

Frias e Shahikian estiveram em uma festa no apartamento semanas atrás, e eram amigos de amigos das vítimas. 

A ferramenta “Back to my Mac” é parte de um serviço que custa 99 dólares por mês e permite que os usuários acessem seu computador pessoal a partir de qualquer Macintosh que use o sistema operacional Leopard. O PhotoBooth, software usado para tirar a foto do criminoso, acompanha todos os modelos mais recentes dos computadores da Apple.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail