Home > Notícias

Com chips “Clover Trail” e Windows 8, Intel espera sucesso nos tablets

Novo processador será usado em máquinas da Lenovo, HP, ASUS e Samsung

Agam Shah, IDG News Service

27/09/2012 às 18h11

Foto:

A Intel lançou nesta quinta-feira o Clover Trail, um processador que, espera a empresa, será a chave para o sucesso em um mercado de tablets dominado por produtos baseados em tecnologia da rival ARM.

Tablets equipados com o novo processador, também conhecido como Atom Z2760, estarão no mercado no final de outubro, coincidindo com o lançamento do Windows 8, dizem executivos da Intel. O chip permitirá que os tablets lidem com vídeo em Full HD e tenham uma longa autonomia de bateria.

Embora a Intel domine o mercado de PCs, a empresa enfrenta um árduo caminho na luta pelo mercado móvel contra a ARM, cujos tecnologia é usada nos processadores da maioria dos smartphones e tablets nas lojas, incluindo o iPad da Apple. A Intel tem grandes esperanças para o Windows 8, e vem trabalhando com a Microsoft para que tablets com seus chips possam tirar melhor proveito de recursos do sistema e oferecer alto desempenho e menor consumo de energia.

A Microsoft irá lançar duas versões do Windows 8 para a tablets. A Pro irá rodar em máquinas com processadores Intel, e o Windows RT em tablets com chips de tecnologia ARM. A Intel diz que tablets com seus chips e o Windows 8 tem a vantagem de suportar todos os aplicativos e drivers já existentes: usuários poderão instalar os mesmos programas que usam no Windows 7 e aproveitar periféricos que já tem como impressoras e câmeras.

Isto pode ser um problema nos tablets ARM com o Windows RT, que não tem compatibilidade com versões anteriores do sistema, mas que ainda assim pode se tornar popular entre usuários que não precisam deste recurso. Estas máquinas também terão como vantagens um preço menor e melhor autonomia de bateria.

Com o Windows 8, projetado para telas sensíveis ao toque, a Intel tem mais chances de sucesso no mercado de tablets, diz Dean McCarron, principal analista na Mercury Research. Processadores anteriores da Intel foram usados em tablets rodando o Windows 7, um sistema operacional projetado para desktops.

O principal objetivo da empresa com o Clover Trail é reduzir o consumo de energia, para que possa competir em pé de igualdade com a ARM, cuja tecnologia foi originalmente criada para processadores de celulares, e é considerada muito mais eficiente.

O Clover Trail é mais rápido e mais eficiente que seu antecessor, de codinome Oak Trail, que foi usado em um punhado de tablets desde 2011. O novo chip é produzido usando um avançado processo de manufatura em 32 nanômetros, que torna o chip menor e reduz o desperdício de energia.

“A cada geração o produto se torna mais adequado” aos tablets, diz McCarron. “Eles estão fazendo tudo o que podem”.

Fabricantes já estão mostrando novos tablets equipados com o processador Clover Trail. A Lenovo anunciou o ThinkPad Tablet 2, e a HP o Envy X2, um PC com um teclado destacável que se transforma em um tablet. A ASUS e a Samsung também já anunciaram tablets Windows 8 com o Clover Trail. Um nome importante que ainda não está na lista é a Microsoft, que anunciou que um de seus tablets Surface usará um processador Intel, mas optou por um modelo da família Core, mais poderoso porém com maior consumo de energia.

Segundo indicações dos fabricantes os tablets com Clover Trail devem custar a partir de US$ 500, o que é mais que o preço inicial de um iPad.

O Atom Z2760 é um processador dual-core que roda a 1.8 GHz e tem 1 MB de cache L2. Dependendo da configuração, tablets com o chip podem incluir recursos como NFC e suporte a redes 4G (LTE), diz a Intel. Alguns dos recursos de processamento de imagens vieram do processador Atom para smartphones, de codinome Medfield, que é usado em aparelhos Android de empresas como a Lenovo, Motorola, Orange, Megafon, ZTE e Lava International.

A Intel está aberta à criação de variantes do Clover Trail sob medida para os fabricantes, disse Steve Smith, um executivo da Intel. Inicialmente o Clover Trail será otimizado para o Windows 8, embora a empresa também planeje adaptar o Linux para tirar proveito dos recursos gráficos e de economia de energia do chip. A empresa também oferece uma versão do Medfield para tablets baseados no sistema operacional Android, da Google.

O Clover Trail será sucedido no ano que vem por um chip produzido em um processo de 22 nanômetros, e em 2014 por outro produzido num processo de 14 nanômetros.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail