Home > Dicas

Como converter músicas para outros formatos sem gastar

Ferramentas gratuitas permitem migrar uma biblioteca de canções e economizar espaço em disco ou no MP3 player

Macworld/EUA

12/05/2011 às 16h08

Foto:

Arquivos de áudio podem aparecer em um número grande de formatos. Em alguns deles, o usuário perde qualidade, como o AAC e o MP3. Eles economizam espaço, quando comparados aos arquivos originais, porém parte das informações originais é perdida durante a compressão.

Outros formatos, entretanto, preservam todos esses dados, como Apple Lossless, FLAC e SHN, e podem ser convertidos para o original sem que percam um único bit. Por fim, há aqueles que não foram comprimidos, como o WAV e o AIFF, que representam exatamente os dados que foram retirados de um CD, por exemplo (veja abaixo a tabela de formatos).

Caso tenha comprado músicas na iTunes Store, por exemplo, o usuário receberá arquivos AAC com 256 kbps (kilobits por segundo, uma indicação da qualidade de compressão; quanto maior o número, melhor). Se a compra for feita na Amazon, as músicas serão entregues em MP3, provavelmente em VBR (compressão de taxa de bits variável, em inglês), logo a qualidade será mediana. Arquivos de outros sites podem ser em FLAC ou mesmo em WAV, sendo o primeiro o mais comum para endereços que vendem música clássica, já que não há perda de bits na compressão.

Em um determinado momento, o usuário pode querer converter alguns desses arquivos de áudio para um formato diferente. Dependendo dos originais, e da razão para a conversão, há maneiras diferentes para fazer isso. 

 

convertermusica01.jpg

iTunes
Uma razão para converter arquivos para um formato diferente, ou para uma taxa de bits diferente, é para economizar espaço. O iTunes pode converter arquivos de música para AAC de de 128kbps ao sincronizar com um dispositivo iOS, por exemplo. Isso geralmente faz sentido se o aparelho em questão tem espaço de armazenamento limitado, e se você ouve as músicas na rua a caminho do trabalho, por exemplo, onde a diferença de qualidade (de 256kbps para 128kbps) não será perceptível.

Basta habilitar a opção Converter as músicas com taxas de bits altas  para 128kbps AAC na tela inicial do iTunes, quando seu dispositivo estiver conectado, e esse processo irá acontecer automaticamente ao sincronizar. É importante lembrar que essa conversão pode demorar um bom tempo se muitos arquivos estiverem na fila.

No entanto, é possível usar o iTunes para converter arquivos para outros formatos também. O player suporta AAC, Apple Lossless, MP3, AIFF e WAV. As músicas podem ser convertidas para ou a partir desses formatos, de acordo com as necessidades do usuário; por exemplo, vamos dizer que você tenha arquivos AAC trazidos da iTunes Store (sem DRM, como todas as músicas mais recentes são entregues) e quer tocá-las em um dispositivo que seja compatível com MP3. Veja como o player da Apple pode te ajudar:

Encontre os arquivos que deseja converter e os adicione a uma nova lista de reprodução. Abra as preferências do iTunes, clique no ícone Geral e depois no botão Ajustes de Importação, próximo à base da janela. Isso irá mostrar as configurações atuais de ripagem de CDs (que também se aplicam para conversões feitas com o iTunes).

As mudanças podem ser feitas a partir dessas opções; se o usuário, por exemplo, quer converter arquivos para MP3, escolha Codificador MP3 no menu de importação, escolhendo em seguida a taxa de bits no menu. É recomendável não estipular uma taxa maior do que aquela do arquivo original, pois a música não ficará melhor.

Porém, é possível escolher a mesma taxa; como tratam-se de arquivos AAC de 256kbps, vá na opção Personalizar no menu pop-up encontrado ao lado de Ajuste e, em seguida, estipule para 256 o valor da opção Taxa de Bits Estéreo para que a qualidade não seja prejudicada (converter de um formato que perdeu qualidade, como AAC ou MP3, irá resultar em uma pequena perda de qualidade, porém não será perceptível). Clique em OK alguns vezes pra salvar essas configurações e feche a janela de Preferências.

Voltando à playlist, selecione todas as faixas e, em seguida, escolha Avançado, Criar versão MP3 (caso tenha escolhido um formato diferente, ele aparecerá aqui, em vez de MP3). O iTunes irá converter os arquivos, e o usuário pode buscar pelos mesmos na biblioteca, quando este processo terminar; uma dica para encontrar essas faixas mais rapidamente é organizar os itens da biblioteca por Data da Adição, fazendo com que esses arquivos sejam colocados no topo da lista.

Use outros apps para converter
Há um grande número de formatos de arquivos, muitos dos quais o iTunes não oferece suporte; entre os principais, estão o FLAC, Shorten, e o Ogg Vorbis. Sendo assim, o que pode ser feito se o usuário tiver músicas nesses formatos e quer adiciona-las ao iTunes?

Há uma variedade de programas que podem converter arquivos de áudio de um tipo para outro. O XLD, software gratuito da tmkk é uma ótima ferramenta, já que abrange uma coleção vasta de formatos. O Max, outro programa gratuito, desta vez da Stehen Booth, é outro software que converte para muitos tipos de arquivos de áudio. E caso tenha um programa pago como o Toast 11 Titanium, da Roxio, é possível converter a partir de faixas FLAC ou OFF Vorbis para formatos amigáveis ao iTunes. 

 

convertermusica02.jpg

Depois de escolher o formato, o XLD oferece ao usuário outras opções para a conversão

Com esses três programas, o processo de conversão envolve escolher um formato para exportar e a taxa de bits, para, por fim, simplesmente arrastar os arquivos que serão convertidos para a janela ou ícone do programa. Se, por exemplo, o usuário adquiriu uma música em FLAC, e quer ouvi-la no iTunes, use o XLD ou algum desses programas para converter as faixas para o formato Apple Lossless.

Como em ambos formatos não há perda de dados, você terá exatamente as mesmas informações nos arquivos resultantes, já que não há nenhuma alteração na qualidade. E quaisquer metadados que existam serão mantidos.
Uma vez que tenha decidido qual formato será usado, a taxa de bits e outras configurações, converter músicas não passará de um processo de arrastar e soltar os arquivos, e esperar que a conversão seja feita.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail