Home > Dicas

Como converter vídeos para iPhone, iPad, iPod e Apple TV

Saiba qual a melhor maneira de codificar um arquivo ou "ripar" um DVD, de acordo com os aparelhos móveis que você possui

Macworld / EUA

24/08/2010 às 10h38

Foto:

Se você é como muitos de nossos leitores (e editores), provavelmente possui mais de um aparelho de mídia da Apple em que é possível assistir a vídeos – como o iPod, iPod Touch, iPhone, iPad e/ou Apple TV.

Apesar de uma coleção dessas te permitir curtir esse filmes em praticamente qualquer ambiente, também te deixa com uma questão: se você quer ripar um DVD seu ou codificar um vídeo em seu disco rígido apenas uma vez – para todos os seus aparelhos Apple – qual é a melhor opção? Para isso, temos duas respostas:

1. Codificar para o aparelho com menor capacidade

2. Não existe uma única melhor opção. Você deveria codificar mais de uma vez.

Vamos analisá-las em ordem.

Codificar uma vez
Antes de qualquer coisa, é interessante saber que os aparelhos da Apple se dividem em duas categorias sobre as suas capacidades de vídeo. O iPod Nano, o Classic e o Touch, além de todos os iPhones antes do 4, suportam vídeo H.264 de 30 quadros por segundo a uma resolução de 640x480, em uma taxa padrão de 1,5 Mbps. Já o iPad e o iPhone 4, lançados este ano, suportam vídeo H.264 de 30 quadros por segundo com uma resolução de 1280x720 (720p). A Apple TV também suporta H.264 a 1280x720, mas apenas em 24 quadros por segundo. Para 30 quadros por segundo é preciso utilizar uma resolução máxima de 960x540.

Por essa razão, os aparelhos menos capazes são os que fazem parte do primeiro grupo. Se você tentar copiar para o primeiro grupo vídeos codificados especificamente para o segundo grupo, o iTunes dirá que não é possível fazer isso pois os arquivos são incompatíveis (eles são incompatíveis porque sua resolução é muito alta.)

Isso ajuda a explicar porque o menu Advanced (avançado) do iTunes inclui duas configurações para converter vídeo: criar uma versão para iPod ou iPhone e criar uma versão para iPad ou Apple TV (a primeira opção, inclusive, não está totalmente correta, pois o iPhone 4 pode codificar vídeos em resoluções maiores que são compatíveis com o iPad e a Apple TV, mas não com os iPhones mais antigos e com nenhum iPod).

Isso significa que se você quiser codificar seus vídeos apenas uma vez, escolheria a opção criar versão para iPod ou iPhone, se estiver codificando com o iTunes. E isso pode estar totalmente certo se os únicos aparelhos nos quais você assiste a vídeos forem um iPod classic e um iPhone – possivelmente até um iPad. Um vídeo em 720p que codificamos usando essas configurações tinha resolução de 640x360 e ficou bom em um iPod e um iPhone e aceitável no iPad. No entanto, quando o assisti em uma TV conectada a uma Apple TV, iPod ou iPad, era possível ver a baixa qualidade da imagem.

iphonevideo390

Em qualquer lugar: escolha a melhor opção para assistir a seus vídeos onde estiver

Antes de codificar a segunda cópia, no entanto, você tem outra opção. Pode usar um programa de terceiros para criar uma versão em alta resolução que funcione em todos os tocadores portáteis de mídia da Apple.

O software gratuito e de código aberto HandBrake oferece uma boa variedade de pré-ajustes de codificação. Um deles é o preset Universal, que, nos testes, codificou o mesmo vídeo com 720p a uma resolução de 705x400 pixels.

Apesar de os artefatos terem sido visíveis quando o vídeo foi exibido em um iPad e em uma TV, a imagem ficou mais nítida com esse preset universal do que com a opção iPod do iTunes. E se você está ripando um DVD ou lidando com um arquivo que o iTunes não consegue entender (AVI, por exemplo), não será possível usar o software da Apple. E você terá de adotar um utilitário como o HandBrake.

Codificar duas vezes
A segunda opção é codificar duas vezes os seus vídeos – uma para seu iPod e/ou iPhone mais antigo, e outra para sua Apple TV, iPad e/ou iPhone 4. Relembrando, o iTunes oferece uma opção para codificar o vídeo para o iPad ou Apple TV nas configurações avançadas do menu (e, como mencionado, você também pode usar essa configuração para o iPhone 4). Neste caso, a perda fica por conta do tamanho do arquivo.

Codificamos um clipe de 720P de dois minutos e meio usando a configuração iPod do iTunes, o preset Universal do HandBrake e a opção iPad e Apple TV também do iTunes. A primeira configuração produziu um arquivo de 29,5 MB e a segunda criou um arquivo de 20,1 MB (ele ficou menor do que o criado pelo iTunes, pois sua taxa de bits é mais baixa). Já a versão para iPad e Apple TV do iTunes gerou uma versão de 95.3MB, que ficou melhor em uma TV, mas não muito melhor em um iPhone 4, por exemplo, em razão de sua tela menor.

Mas o iTunes também não é a sua única opção neste caso. Se você selecionar o preset High Profile no programa HandBrake e configurar a resolução para 1280x720 (se você estiver codificando um vídeo HD, é claro), pode economizar um pouco de espaço porque, com essa configuração, o HandBrake codifica em uma taxa de bit mais baixa. Nosso filme de teste saiu com 54,7 MB, por exemplo. E ficou ótimo tanto no iPad quanto conectado em uma TV.

O que fazer?
Você conhece melhor os aparelhos que possui, as situações em que irá usá-los, e o quão tolerante você é com qualidade de vídeo. Codificar para apenas um aparelho usando o preset Universal do HandBrake significa codificar apenas uma vez, criando vídeos menores do que você conseguiria com o iTunes (isso quando o iTunes é uma opção), e ficar livre de se preocupar com qual cópia é compatível com qual aparelho. Codificar duas vezes, no entanto, te dá a opção de combinar melhor a qualidade do vídeo a que você assiste com o aparelho em que será visualizado. Bom, agora que você tem os fatos, a escolha é sua.

[Nota do editor: Nos EUA, a MPAA (Motion Pictures Association of America) e a maioria das companhias de mídia alegam que legalmente você não pode copiar ou converter DVDs comerciais, não importa a razão. Macworld acredita que, se você comprou um DVD, você pode fazer uma cópia de backup ou converter seu conteúdo para assistir em outros aparelhos. Atualmente, a lei norte-americana não é inteiramente clara para nenhum dos casos. No Brasil, a lei 10.695/03, de 2003, afirma que realizar apenas uma cópia, para uso privado e sem intuito de lucro, não é crime.]

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail