Home > Notícias

Como o jailbreak influencia a evolução do iPhone

O sistema operacional 3.x trouxe novas funções para o celular. Mas os usuários querem cada vez mais recursos vistos apenas em aplicativos vetados pela Apple

InfoWorld/EUA

02/03/2010 às 13h03

Foto:

Em pouco tempo a Apple estabeleceu o iPhone como "a plataforma a ser vencida". Os concorrentes imitam seus recursos e se espelham no sucesso de vendas de sua loja de aplicativos. A cada atualização surgem recursos para facilitar o uso e a serem aproveitados pelos desenvolvedores. Mas muitas dessas melhorias nasceram fora dos limites da Apple, criadas por desenvolvedores rejeitados pela empresa de Steve Jobs, que ofereceram seus programas e novos recursos a usuários de iPhones com jailbreak (aparelhos desbloqueados para o acesso a programas não reconhecidos pela Apple).

Quem faz o desbloqueio do iPhone, com certeza procura uma forma de liberar o aparelho para inúmeras funções que a Apple preferiu não incluir. Qualquer tipo de jailbreak para desbloquear o iPhone é condenado pela empresa. A Apple acusa essa prática de violação da lei dos direitos autorais, por modificar a versão de seu sistema operacional.

Para combater essa prática, a empresa de Steve Jobs libera aos poucos novos recursos para o iPhone para agradar seus consumidores. A introdução do sistema operacional 3.0 trouxe funções básicas como copiar & colar, MMS, notificações push, gravação de voz, streaming via internet e redes P2P, muitas delas só estavam disponíveis para quem tinha um iPhone desbloqueado. Para completar, sempre que há uma atualização do sistema operacional do aparelho, a Apple complica um pouco a vida de quem desbloqueou o aparelho, até que seja oferecida uma nova ferramenta que permita atualizar o smartphone sem perder o jailbreak. Mas será que isso sulficiente para desestimular esse tipo de prática?

Veja também

> Prós e contras de fazer o desbloqueio do iPhone

O iPhone 3GS, lançado em junho de 2009, além de incluir o novo sistema operacional, aperfeiçoou seu hardware com uma câmera de melhor qualidade capaz de gravar vídeos, incluiu bússola, realidade aumentada e controle do aparelho por voz. Mas há outras possibilidades do iPhone que não são exploradas pela Apple. Funções como multitarefa, gravação de vídeo (nas versões anteriores ao 3GS), personalização do papel de parede e tela de abertura, novas interfaces, GPS passo a passo nativo fazem parte dessa listinha de desejos.

E essas limitações incentivam muitos usuários a fazerem o desbloqueio de seus iPhones - além da busca por programas pirateados.

iphone3gsvetado390

iPhone: Apple fecha as portas do equipamento para muitos aplicativos, mas incorpora alguns recursos

Objeções ao jailbreak
Os argumentos da Apple contra o desbloqueio do iPhone incluem redução da vida da bateria, o fato de deixar o aparelho vulnerável a ataques, sobrecarga na rede 3G e aumento nos custos de suporte da Apple. Esses argumentos muitas vezes são usados pela Apple também para vetar aplicativos em sua loja online. Para muitos desenvolvedores, porém, a Apple toma essa atitude para impedir a competição, não para proteger a segurança ou a produtividade dos usuários.

Muitas da preocupações da Apple são materializadas em aplicativos não reconhecidos pela empresa. O processamento em segundo plano, por exemplo realmente reduz a duração da bateria. No entanto, esses mesmos consumidores dizem que, se o aplicativo funcionar, ou seja, mesmo que mais lento, mesmo assim vale a pena.

Performance a parte, a Apple já tomou providências legais contra a prática. A empresa cita o Digital Millenium Coryght Act (DMCA) para apontar o jailbreak como uma violação de direitos autorais. Mas entidades como a EFF (Electronic Frontier Foundation) e a Mozilla discordam da Apple. Elas afirmam que a postura da empresa de Steve Jobs coibe a inovação e faz um uso inadequado do DMCA.

Mas um aspecto não há como negar: o Jailbreak também serve de porta de entrada para que o usuário tenha acesso farto a pirataria, o que dificulta o trabalho dos desenvolvedores, reduzindo sensivelmente a receita. Em alguns casos, o índice de uso de cópias ilegias chega a 90%, caso do programa Layers. Ou seja, ele só foi pago por 10% dos usuários...

 Jailbreak incentiva a inovação?
Antes mesmo do lançamento da loja de aplicativos da Apple, a App Store, donos de iPhone desbloqueados já fazim o download de aplicativos em várias fontes espalhadas pela Internet. Alguns hackers argumentam que o jailbreak foi fundamental para a Apple aprender com as limitações de seus próprios aplicativos e lançar a App Store. Desde então, a Apple tem mostrado a tendência de incorporar recursos vindo de aplicativos não reconhecidos em seu sistema operacional.

A tendência da Apple de vetar, muitas vezes sem explicações, centenas de aplicativos incentiva desenvolvedores a adotarem repositórios de programas com o popular Cydia.

E essa tendência não deve se limitar ao smartphone da Apple. O iPad roda o iPhone OS e também está na mira da comunidade que cria ferramentas de desbloqueio, permitindo que desenvolvedores vetados também levam sua criação para o tablet da Apple.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail