Home > Notícias

Como rodar o Quake II pela web usando HTML5

Faça isso usando o Linux ou em Mac (ou ainda no Windows emulando ambiente do pinguim), pela linha de comando e com o Chromium.

Alessondra Springmann, da PC World/EUA

06/04/2010 às 12h56

quakeII_html5_150.jpg
Foto:

O Google incentiva seus engenheiros a usarem 20% do seu tempo de trabalho dedicando-se a projetos que não estejam necessariamente vinculados à sua área de atuação específica. Foi esta filosofia corporativa a responsável por projetos que se tornaram produtos de sucesso como o Gmail e o Google News e, possivelmente o mais legal de todos eles: a portabilidade do Quake II para HTML5.

O jogo de tiro em primeira pessoa existe a mais de 12 anos e já foi portado para uma variedade de plataformas, mas esta sua última encarnação dá mostras de todo o potencial do HTML5.

Muito já se falou sobre a capacidade de o HTML5 renderizar vídeos, mas estamos vendo aqui é o que ele pode fazer com relação a gráficos mais sofisticados. E mesmo a jogabilidade não deixa a desejar. Segundo o desenvolvedor Ray Cromwell, é possível alcançar 60 quadros por segundo (fps) em um sistema rodando Linux.

Está pronto para rodar o Quake II você mesmo? Ajudará se você tiver alguma experiência em lidar com linhas de comando. Para começar, você deve usar o browser Chromium para jogar o Quake II, além do Mercurial, ferramenta de gerenciamento de código aberto para verificação do conteúdo junto ao Google.

Se estiver em um computador com Windows, será necessário um emulador de ambiente Linux, como o Cygwin; usuários de Mac OS podem usar o MacPorts. E para saber o que fazer, basta seguir as orientações abaixo, obtidas a partir do projeto do Google para o Quake II.

1) Caso esteja em um sistema com Linux (em um PC com Windows emulando este ambiente), instale o ogg vorbis e o lame a partir da linha de comendo, digitando o que segue:

gamesshutter_625.jpg

sudo apt-get install vorbis-tools
sudo apt-get install lame

Em, um Mac, abra o Terminal e na linha de comando digite:

sudo port install vorbis-tools
sudo port install lame

As ferramentas acima são necessárias para converter os recursos do Quake II para a web.

2) Verifique o código e faça as modificações necessárias, digitando os seguintes comandos:

cd quake2-gwt-port

3) Construa as ferramentas e o código do cliente e do servidor, com o seguinte comando:

./build-dedicated-server

4) Faça o download, desempacote e converta os recursos originais da versão demo do Quake II.

./install-resources

Por conta de um bug, que os desenvolvedores prometem corrigir, você terá de digitar um comando adicional:

cp -r maven-build/server/target/gwtquake/war/gwtquake war

5) Execute o servidor local para o Quake II (em nossos testes, tudo funcionou bem mesmo sem especificarmos o número da porta):

./run-dedicated-server [port]

6) No browser, vá até o endereço http://localhost:8080/GwtQuake.html (ou use a porta que tenha especificado no passo anterior)

O que isso pode significar para o futuro do HTML5? Além de abrir portar para todo tipo de aplicação web que tire vantagem completa das especificações da linguagem, Cromwell espera o HTML5 vá mudar a forma como as pessoas colaboram entre si enquanto jogam. “Tudo o que se precisa fazer para convidar alguém a jogar com você é enviar o link. Pode-se, por exemplo, tuitar o link que leva diretamente ao seu jogo quando alguém clica nele, para participar de uma partida que já esteja em andamento e sem qualquer tipo de exigência de instalação”.

Já o desenvolvedor Joel Webber diz que um ponto importante do projeto de portar o Quake II é conseguir provar que o HTML5 pode ser usado para “construir um game real, incluindo lógicas complexar, detecção de colisões e muito mais”.

Será que a possibilidade de termos jogos de tiro em primeira pessoa por meio de plug-ins gratuitos e o desenvolvimento de aplicativos web eepresentam um prego no caixão do Flash? Deixe sua opinião  no Twitter.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail