Home > Notícias

Conheça os 10 rivais mais fortes do Google

Apple, Microsoft, IBM e outras: conheça empresas que podem bater de frente com a empresa de buscas em 2010.

Network World/EUA

22/01/2010 às 14h58

Foto:

A grande notícia da indústria de tecnologia na década sem dúvidas foi o enorme crescimento da Google. Mas o serviço de busca continuará dominando a internet em 2010? Não se as empresas de internet que listamos conseguirem evitar.

Até agora, os maiores aliados da Google foram da mídia tradicional: jornais, revistas e canais de TV que produzem conteúdo online são procurados pelo portal, que vende publicidade online para elas. Mas como seu portfólio cresceu e a Google tem mais de 150 produtos – incluindo versões grátis de aplicativos populares – a Google atraiu diversos outros competidores da indústria de tecnologia. 

A rivalidade da Google com empresas de tecnologia deve aumentar em 2010. Ela tem o site mais acessado da internet e uma máquina de fazer dinheiro. No quarto trimestre de 2009, sua receita totalizou 6,67 bilhões de dólares. Com grandes reservas de caixa, a empresa tem dinheiro para comprar iniciativas inovadoras para continuar dominando a Web. Aqui está uma lista de 10 fabricantes de tecnologia que devem ser os principais rivais da Google durante o ano de 2010:

1- Amazon 

Com o objetivo de conseguir 22 bilhões de dólares ou mais em vendas em 2010, a Amazon tem meios financeiros de enfrentar a Google em e-books e computação em nuvem. De fato, o CEO da empresa, Jeffrey Bezos foi um grande aliado da Google, sendo um dos primeiros investidores da empresa de busca, em 1998.

E-Books 

Analistas concordam que 2010 vai definir a batalha dos e-books. Desde 2002 a Google escaneia milhões de livros que não são mais impressos e incorpora-os ao seu mecanismo de busca online. Os e-books da Google ganharam destaque em 2009 quando a empresa ofereceu 500 mil gratuitamente para consumidores do Sony Reader e do Barnes & Noble Nook. Em outubro passado, a Google anunciou que abriria uma loja de e-books chamada Google Editions, que permitirá aos consumidores comprar e ler livros em qualquer dispositivo com um navegador.

Com e-books, a Google está ameaçando a Amazon, que lidera o mercado com o Kindle. O dispositivo é o item mais vendido da loja da Amazon e oferece mais de 360 mil livros digitalizados. A Amazon disse que lançaria um aplicativo gratuito do Kindle para usuários BlackBerry, que complementaria um programa similar feito para usuários de PC.

Computação em nuvem

A outra grande área em que a Google vai desafiar a Amazon é na computação em nuvem, um mercado que deve crescer consideravelmente em 2010. Em abril de 2008, a Google lançou o Google Apps Engine, que é uma plataforma de computação em nuvem que permite a desenvolvedores criarem seus próprios aplicativos que rodam na infraestrutura da Google. Usuários pagam pela quantidade de armazenamento e banda que consomem. Em abril de 2009, a Google adicionou recursos para fazer a plataforma mais atrativa para empresas.

A Elastic Computing Cloud (EC2) da Amazon possui um serviço pague-o-quanto-gastar e foi lançado em 2006, sendo atualizado diversas vezes desde então. Em dezembro de 2009, a Amazon adicionou ofertas de segurança e armazenamento da Symantec. O uso do EC2 está em crescimento entre consumidores corporativos.

2- Apple

Em 2009, a Apple e a Google passaram de parceiros a rivais nos setores de telefonia móvel e música online. Com 36 bilhões em vendas e um trabalho de engenharia lendário, a Apple está muito qualificada para a batalha contra a Google nessas áreas e também em termos de navegadores, onde o Google Chrome compete com o Safari.

 

Smartphones 

As notícias sobre uma guerra iminente da Google contra a Apple vão girar em torno do mercado de smartphones. Em julho, a Apple rejeitou o Google Voice, aplicativo para o iPhone que permitiria aos usuários compartilhar um único número em vários celulares.

Em agosto, o Chief Executive Officer da Google, Eric Schmidt, renunciou ao conselho da Apple, alegando conflito de interesses. Já em outubro, a Google e a Apple eliminaram todos os membros do conselho em meio a uma investigação federal antitruste. Enquanto isso, a plataforma móvel Android, da Google, ganhou terreno contra o iPhone, com mais de um milhão de unidades vendidas. O iPhone continuou como um dos bestsellers da Apple em 2009, com mais de 20 milhões de unidades vendidas nos dois últimos trimestres.

Música online
O mercado de música digital deve crescer em 2010, com a Google e a Apple se destacando. Em outubro, a Google lançou um serviço de buscas de músicas que permite ao usuário visualizar previamente uma canção. Os parceiros desse serviço incluem o Myspace e o La La Media, um site de streaming de músicas que foi comprado pela Apple em dezembro. Outro parceiro de música da Google é o Pandora, um serviço de streaming de música que está disponível para telefones móveis que utilizam o sistema Android.

Serviços como o Pandora e La La Media estão dispostos a combater o iTunes, da Apple, que se tornou o vendedor de músicas mais famoso nos Estados Unidos em 2009.

3- AT&T
A operadora de telefonia norte-americana AT&T é uma rival política da Google – eles estão em lados opostos do debate de neutralidade de rede – e também no mercado de smartphones, no qual a AT&T é a operadora exclusiva do iPhone nos Estados Unidos até junho de 2010. Com mais de 123 bilhões de dólares em vendas no último ano, a AT&T bate o Google e não tem medo de combater a empresa, como suas reclamações contra o Google Voice prestadas à Comissão Federal de Comunicações norte-americana.

Smartphones
Em suas batalhas contra a Google, a AT&T vai proteger toda a renda relacionada ao iPhone, que é de cerca de mil dólares anuais por consumidor anual, segundo analistas. Em 2009, a AT&T ativou 11,5 milhões de iPhones, produzindo uma receita de pacotes de dados significante. É por isso que a empresa está pedindo à Apple para estender o contrato exclusivo por mais um ano. Enquanto isso, a AT&T está revendo suas apostas e pode firmar parceria com a Google em 2010.

4- Facebook
O Google está  de olho no rápido crescimento do Facebook – que já atraiu 350 milhões de usuários em apenas seis anos – com preocupações. Por mais que as finanças do Facebook não sejam disponibilizadas para o público, analistas estimam que em 2009 a receita da rede social vai bater 500 milhões de dólares, grande parte por causa de um acordo com a Microsoft, outra rival do Google.

Redes sociais 
A rivalidade entre Google e Facebook é baseada na questão de onde os usuários conseguirão as informações no futuro: dos serviços de busca ou das redes sociais? A Google está preocupada com internautas usando redes sociais para informar e fazer propaganda através do Facebook, MySpace, LinkedIn e Twitter.

De fato, rumores sobre a Google comprando o Twitter foram comuns este ano. A empresa também possui sua própria rede social, o Orkut, que passou por reformulação em dezembro. E também oferece o Google Friend Connect, uma ferramenta para desenvolvedores da web adicionarem conteúdo de redes sociais em seus sites, em competição direta com o similar Facebook Connect.

Enquanto isso, o Facebook desenvolveu relações com diversos inimigos do Google, como Microsoft e Yahoo. Em 2007, o Facebook vendeu 1,6% das ações para a Microsoft, além de ter escolhido o Bing como mecanismo de busca. A rede social também adicionou recursos em 2009 como o Open Stream API, que permite que desenvolvedores exportem dados do Facebook para outros aplicativos.

++++

5- Hulu
A Google comprou o YouTube há quatro anos, mas ainda não conseguiu um meio de gerar receita com o serviço de vídeos. O competidor mais próximo do YouTube é o Hulu, que recebe apoio de diversas empresas de entretenimento.

Execução de vídeos
A audiência de vídeos online explodiu em 2009, quebrando recordes em setembro com mais de 168 milhões de usuários nos Estados Unidos. A questão para 2010 é se o YouTube continuará dominando o mercado.

O YouTube é conhecido por mostrar vídeos feitos por usuários. O site atraiu mais de 126 milhões de usuários e tocou mais de 10,3 bilhões de vídeos em setembro, de acordo com a ComScore. A fraqueza do YouTube: não possui dinheiro o suficiente para cobrir os custos altos de banda. Estima-se que o YouTube perdeu 470 milhões de dólares em 2009.

Hulu é o segundo serviço de vídeos mais acessado, com 39 milhões de visitantes e 583 milhões de execuções em setembro de 2009, segundo a ComScore. Mas só o Hulu possui conteúdo criado por seus proprietários, que incluem Fox, NBC e Disney. Mesmo que não seja mais lucrativo, o Hulu pode começar a cobrar por seu conteúdo em 2010, o que faria o mercado balançar.


6- IBM
 

A rivalidade da Google com a IBM pode ficar mais forte em 2010 com o lançamento de novas plataformas de colaboração como o Google Wave. Com a IBM, o Google finalmente está contra uma empresa financeiramente poderosa: a IBM lucrou mais de 95 bilhões de dólares em vendas em 2008, e acredita ter aumentado em cerca de 45% os ganhos durante 2009.

Colaboração
No meio de uma profunda recessão econômica, mais corporações norte-americanas estão experimentando ferramentas colaborativas baratas como o Google Apps. O Google Apps é uma suíte de aplicativos que inclui e-mail, calendário, mensagem instantânea e compartilhamento de documentos que a Google vende por 50 dólares por pessoa, com licenças que valem por um ano.

A Google compete com o Lotus Notes, da IBM, e o Microsoft Exchange, e atraiu mais de 2 milhões de empresas nos últimos dois anos. Em setembro, a empresa introduziu o Google Wave, um aplicativo que combina e-mail, mensagens instantâneas e compartilhamento de documentos. Em dezembro, a Google comprou a AppJet com o objetivo de adicionar recursos ao Google Wave. Em outubro, a IBM mostrou o LotusLive iNotes, um serviço com e-mail, calendário e contatos por 36 dólares por usuários por ano, em uma tentativa de parar o crescimento do Google Apps.

7- Microsoft
A maior rival da Google – em buscas, ferramentas de colaboração e navegadores – é a Microsoft. Por mais que não seja dominante na indústria de TI como já foi, a Microsoft ainda é um rival a se temer e lucrou mais de 56 bilhões de dólares em vendas nos últimos quatro trimestres.

Buscas 

Ao longo da última década, a Google reinou soberana em buscas – pelo menos nos Estados Unidos. A situação pode ter começado a mudar com o lançamento do buscador da Microsoft, o Bing. A empresa fez acordos com empresas como Twitter, Facebook e Yahoo. A Microsoft continua melhorando seu mecanismo de busca, com uma área para imagens e mapas. 

A Google está suficientemente preocupada com o Bing e começou a melhorar seu mecanismo de busca. Busca em tempo real, busca por fotos, dicionário e outras funções foram adicionadas ao Google recentemente. A empresa começa 2010 com mais de 70% deste mercado.

Colaboração
Em 2010, a batalha entre Microsoft e Google deve se basear em ferramentas de colaboração baseada na nuvem. O Google Apps foi feito para cortar gastos dos produtos da Microsoft, incluindo Exchange e SharePoint. A Microsoft respondeu com o Office Web apps, versões gratuitas baseadas na web de seus aplicativos conhecidos como Word, Excel e Power Point. Essa é uma parte da ação da Microsoft de desenvolver um modelo de aplicativos baseados em assinatura.

Enquanto isso, a Google segue desenvolvendo o Google Wave, que por enquanto está apenas em um modo por convite. A comunidade de desenvolvedores respondeu positivamente às demonstrações do Wave. 

Browsers

Será que 2010 nos dará uma nova guerra de navegadores, agora entre Microsoft e Google? O Internet Explorer é o principal navegador do mercado desde a década de 1990. O IE 8 foi lançado em 2009 e afirma ser o mais rápido, estável e seguro do mercado. Até agora, o Google Chrome – que está na versão 3 – não acabou com o domínio da Microsoft. O navegador do Google tinha apenas 3,7% do mercado em outubro, de acordo com a Janco Associates.

A questão é se isso pode ser alterado quando o Chrome OS, sistema operacional do Google, for lançado em 2010. O primeiro netbook que terá o sistema deve sair apenas no segundo semestre do ano.

8- Nokia
A Nokia é a principal fabricante de celulares do mundo, com quatro de cada dez aparelhos vendidos. Apesar de ter perdido mercado para Apple e RIM, a empresa despachou mais de 108 milhões de unidades durante o terceiro trimestre de 2009.

Smartphones
A rivalidade entre Google e Nokia começou com sistemas operacionais para smartphones. A Nokia possui seu próprio sistema de código aberto, o Symbian, que compete com o Google Android. Apesar de rumores, a Nokia continuará com o Symbian e não tem planos de desenvolver smartphones ou netbooks com o sistema Android. No meio tempo, a empresa fez um acordo com a Microsoft para levar o Office Mobile para a plataforma Symbian.

Enquanto isso, o Android deve crescer em 2010. Mais de 50 aparelhos com a plataforma estão previstos para o ano, comparado a dez em 2009. Analistas acreditam que dispositivos com Android vão dominar cerca de um quarto do mercado em 2014.

9- Verizon
Google e a operadora de telefonia norte-americana Verizon são verdadeiros parceiros ao mesmo tempo que são concorrentes: eles lutaram um contra o outro, mas estão se unindo nos smartphones. A Google tem um poderoso aliado e algumas vezes rival na Verizon, que teve mais de 105 bilhões de dólares em receita nos últimos quatro trimestres.

Smartphones

 

A Verizon está se unindo com o Google por um motivo: para diminuir o crescimento do iPhone. Em outubro, Verizon e Google anunciaram um acordo para desenvolver smartphones, PDAs e netbooks com Android. O primeiro smartphone da empresa com a plataforma foi o Motorola Droid, que chegou ao mercado em novembro. A Verizon também planeja colocar o Google Voice em seus dispositivos.

A Verizon nem sempre foi companheira da Google. EM 2009, ela escolheu a Microsoft como provedora de busca de celulares. A decisão vejo depois da Google reclamar que a Verizon não estava se mexendo o suficiente para abrir espaço para sua rede sem fio.

10- Yahoo
Quanto aos mecanismos de busca, um dos maiores concorrentes da Google é o Yahoo (depois da Microsoft, é claro). Apesar de ter sido prejudicado pela tentativa - falha - de compra por parte da Microsoft em 2008, o Yahoo ainda conseguiu obter mais de 1,5 bilhão de dólares em cada um dos três primeiros trimestres de 2009.

Busca
O Yahoo compete contra a Google em notícias, e-mail e, acima de tudo, buscas. O portal conseguiu grande progresso em 2009 por integrar pesquisas ao seu rico conteúdo. Usuários podem assistir a vídeos ou ouvir músicas diretamente da página de resultados. O Yahoo também ajuda seus usuários a encontrarem bons preços para viagens e produtos. E, recentemente, adicionou o Twitter às suas páginas de busca.

As capacidades de busca do Yahoo podem mudar dramaticamente em 2010, se uma negociação conjunta de busca e propaganda entre o portal e a Microsoft for aprovada pelas autoridades norte-americanas. O acordo, estabelecido em dezembro, poderia permitir ao Yahoo a integração da ferramenta de busca do Bing, da Microsoft. Por outro lado, o Yahoo poderia prover, para ambas as companhias, publicidade nos resultados das buscas. O acordo entre Yahoo e Microsoft tem como objetivo ajudar na concorrência contra a Google.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail