Home > Notícias

Conheça os sucessores de Bill Gates e seus desafios na Microsoft

Entenda as missões de Steve Ballmer, Ray Ozzie, Craig Mundie e Kevin Turner no comando da empresa, com a aposentadoria do líder.

IDG News Service/EUA

25/06/2008 às 16h34

Foto:

SELO_PEQUENO.jpgEmbora Bill Gates deixe suas funções na Microsoft, em período integral, a partir desta sexta-feira (27/06), ele permanece como chairman da empresa e participa de projetos selecionados na atual administração executiva. Saiba quem são e quais os desafios do grupo de executivos que vai comandar a Microsoft, após a era Gates.

Mais sobre Bill Gates:
> 18 previsões do líder da Microsoft
> Bill e eu: relato de uma entrevista com Gates
> 10 momentos marcantes da carreira de Bill Gates
> A era de ouro da Microsoft acabou?
> Ouça: o legado de Gates e a nova cara da Microsoft
> Como será o futuro da Microsoft sem o fundador?
> Gates e Jobs: o que seria de um sem o outro?
> Linha do tempo: história de Gates e da Microsoft
> Vídeos: os melhores momentos de Gates
> Imagens: Windows na era Gates
> Fotos: a trajetória de Gates

- Steve Ballmer, Chief Executive Officer (CEO), o homem encarregado de tudo
O principal desafio de Ballmer no momento é encontrar uma maneira de colocar um freio no domínio do Google em publicidade online, agora que qualquer negociação com o Yahoo parece descartada. Ballmer também deve ajudar a Microsoft a diversificar sua fonte de receita, que ainda se concentra nos produtos Windows e Office. Ele também deve liderar a Microsoft e provar a todos que pode tomar as rédeas da empresa agora sem Gates a seu lado.
++++
- Ray Ozzie, Chief Software Architect, o novo “Bill Gates"
Ozzie tem a responsabilidade de transformar a Microsoft de uma empresa que oferece pacotes de software para um player de destaque na Web 2.0. Ele está encarregado de arquitetar a estratégia baseada em serviços web e atacar o Google de frente.
Ozzie tem o cérebro e o caráter visionário para criar a tecnologia que pode mudar a forma como as pessoas vivem e trabalham. Mas teria Ozzie olhos de águia quando se trata de competir como um homem de negócios? Outra questão em torno de sua posição é se o CEO Steve Ballmer, permitirá que Ozzie tenha liberdade para executar suas visões como o amigo de longa data Gates pode reinar.

- Craig Mundie, Chief Research and Strategy Officer
Se de um lado Ozzie assume a estratégia de curto prazo e capitalização da Microsoft na web, de outro Craig Mundie comanda inovação de longo prazo e pesquisas.
Encarregado de ajudar a Microsoft a competir em mercados externos, especialmente nos emergentes, Mundie encara a pressão do Linux e de outros sistemas de código aberto em regiões onde os produtos da Microsoft são muito caros. Ele também é pressionado a inspirar os cérebros da Microsoft a continuar inovando e trazer novas idéias de futuras tecnologias revolucionárias.

- Kevin Turner, Chief Operating Officer
Turner é responsável pela área de execução global e alinhamento de campo, no mundo todo. Em uma entrevista, o executivo disse ter desacelerado a transição da Microsoft para serviços hospedados porque queria estar certo de que os clientes estavam prontos. Agora, Turner terá de provar que a decisão foi uma boa idéia. Ele também tem o desafio de orientar os clientes e o time de vendas da Microsoft nesta transição, que envolve uma mudança no alicerce do modelo de negócios da empresa.
++++
Além disso, os principais executivos da Microsoft, os presidentes de cada uma das três divisões, também são essenciais para a arquitetura da companhia, após a saída de Gates.

O grande desafio de Robbie Bach, presidente da divisão de Entretenimento e Dispositivos, é gerar receita com o console Xbox, que vem consumindo investimentos da empresa. Não há dúvida que o Xbox tem sido um produto bem-sucedido no mercado de consumo, mas ele tem de começar a dar retorno para a Microsoft, que busca diversificar suas fontes de receita.

Kevin Johnson, presidente da área de Plataformas e Serviços, deve continuar a defender a Microsoft contra a decepção dos clientes com o Windows Vista e ajudar a companhia na transição de seu sistema operacional em um mundo onde a web se torna cada vez mais importante do que o PC. Johnson também tem de cuidar da ainda enfraquecida divisão de Serviços Online da Microsoft e é pressionado a promover uma guinada da Microsoft neste segmento liderado pelo rival Google.

Finalmente, um novo integrante, Stephen Elop, que se juntou à Microsoft em janeiro como presidente da divisão de Negócios, deve retomar as atividades que ficaram por muito tempo aliadas a seu predecessor, Jeff Raikes. Assum como Bill Gates, Raikes está partindo para a Fundação Bill e Melinda Gates, como CEO da organização filantrópica, quando sair da Microsoft em setembro.

Elop tinha sob sua responsabilidade o sucesso dos negócios com o pacote Office e agora tem o desafio de passar todo o seu legado a Raikes, que por sua vez deveSELO_VOLTAR.jpg mantê-lo e dar continuidade ao Office na área de colaboração. A divisão de Negócios também cuida das aplicações corporativas da Microsoft, que permanecem no meio de uma constante briga por participação de mercado com os poderosos rivais Oracle e SAP.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail