Home > Notícias

Crise pode impulsionar software livre, avalia executivo da Red Hat

CEO da empresa espera que oportunidades de negócios surgirão em meio a pressões para corte de gastos em empresas de tecnologia.

Computerworld/Austrália

20/10/2008 às 11h40

Foto:

O presidente e Chief Executive Officer (CEO) da Red Hat, Jim Whitehurst, espera que a empresa de software open source cresça mais forte do que o mercado proprietário em meio à crise financeira mundial.

Em agosto, a Red Hat divulgou seu balanço do segundo trimestre, com receita 29% maior que no mesmo período de 2007. Sua receita com adesões, além disso, cresceu além das expectativas dos analistas.

Leia mais:
> Mininotebooks vendem mais rápido na crise
> Vale do Silício: preparem-se para o pior
> Com dólar alto, Positivo aumentará preços em 15%
> Alta do dólar prejudica ascensão da Classe C à web

Whitehurst diz que, enquanto as previsões de uma recessão significam menos projetos, os benefícios econômicos do open source encorajam os clientes de softwares proprietários a migrarem.

“Tive algumas conversas com Chief Executive Officers (CIOs), que afirmaram ser uma ‘loja da Microsoft’ e não usarem nada aberto e, devido a pressões para a redução de custos operacionais, pediram nossa ajuda para criar um plano para tal”, afirma Whitehurst.

A esperança é conseguir espaço em empresas que buscam economizar. "Em seis ou nove meses teremos certeza disso, mas não tenho dúvida de que o open source terá mais espaço que nossos rivais proprietários”, diz o executivo. Segundo a Forrester Research, uma profunda recessão atingirá os gastos com tecnologia até meados de 2009. 

O presidente da Red Hat reconhece que as ofertas da empresa são mais populares entre empresas de alta tecnologia que usam TI para vantagem competitiva - o que ele quer mudar.  “Estamos trabalhando para criar um ecossistema comercial que espelha nosso ecossistema técnico. Nós tornamos o open source utilizável a empresas pelos nossos testes, certificações, desempenho, documentação e suporte. O próximo passo em nosso modelo de negócios é facilitar o uso dos softwares a consumidores menos sofisticados”, explica Whitehurst.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail