Kindle Oasis (2019) | O substituto definitivo aos livros de papel

Por R$ 1.149, dispositivo da Amazon é o que há de melhor no campo dos leitores eletrônicos

Foto: PCWorld Brasil
https://pcworld.com.br/dados-review/kindle-oasis-2019-o-substituto-definitivo-aos-livros-de-papel/
Clique para copiar
PONTUAÇÃO
9

Amazon

Kindle Oasis

Kindle Oasis
R$ 1.149 ver na loja
  • Design
    10
  • Tela
    10
  • Desempenho
    9
  • Bateria
    10
  • Sistema
    9
O leitor eletrônico definitivo para quem quer ter a mesma experiência de ler como se estivesse segurando um livro de papel, mas por um preço bastante elevado em comparação com os outros aparelhos da linha Kindle.

Prós

  • Design ultrafino e confortável para a mão
  • Extremamente leve
  • Tela com controle de temperatura
  • Botões físicos de avanço ou retorno de páginas
  • Bateria que dura quase um mês

Contras

  • Muito caro, ainda mais com o ótimo custo-benefício do Kindle Paperwhite
  • MicroUSB em vez do USB-C

A Amazon lançou mais uma versão do Kindle no Brasil. E não, você não leu errado: é o terceiro modelo do e-reader que chega ao país só neste ano. Desta vez, a novidade é o Kindle Oasis, considerado o aparelho mais premium dessa categoria de dispositivos da empresa, e traz somente uma única mudança significativa: o ajuste de temperatura de luz no display, o que significa que você pode aumentar ou diminuir os tons de amarelo no painel de acordo com o horário do dia.
Tudo, claro, tem seu preço. Por ser o Kindle mais avançado, a Amazon cobra caro: R$ 1.149 no modelo mais básico, com 8 GB de capacidade. Mas será que vale a pena investir tanto em um produto que, na prática, faz exatamente a mesma coisa que seus outros irmãos mais baratos? É o que eu conto neste review.

Análise em vídeo:

Velho conhecido

Essa é a terceira versão do Kindle Oasis. Desde a primeira geração, foram pouquíssimas mudanças, tanto no quesito hardware quanto no design. O dispositivo mantém um visual bem fino e revestido em alumínio, sendo que a bateria do produto fica localizada em uma protuberância na parte traseira.

É nessa parte que fica a "entrada" para o encaixe dos dedos, que me surpreendeu por não deixar o aparelho escorregadio, mesmo segurando com apenas uma mão. E esse é um diferencial do Oasis: embora eu considere outras versões do Kindle superleves de transportar, às vezes segurá-lo com uma mão só cansa bastante. O Oasis não tem esse problema porque ele já é mais leve - pesa apenas 188 gramas - e tem esse espaço para que você possa segurar o dispositivo com muito mais firmeza.
Ao mesmo tempo que você segura o Oasis com uma mão só, você tem dois botões de controle na parte frontal. Ambos ficam posicionados perfeitamente para que, ainda com uma mão, você consiga avançar ou retornar as páginas durante suas leituras usando o polegar. Esses botões são exclusivos do Oasis, não sendo encontrado em nenhum outro modelo da família Kindle.


O hardware do novo Oasis também é praticamente o mesmo das gerações anteriores. E isso é algo bom, porque é um componente que a Amazon não precisou fazer grandes upgrades para entregar uma melhor navegação, ligeiramente mais rápida que em outros modelos do Kindle. Mesmo na conversão de alguns arquivos, como HTML, JPEG, PNG ou BMP, a exibição dos conteúdos é fluída e instantânea. Falando nisso, o Oasis suporta 13 formatos de arquivos diferentes.
Parte dessa fluidez também vem pelo sistema operacional que equipa o Kindle Oasis. É o mesmo software introduzido pela Amazon no início deste ano que trouxe boas adições à plataforma, incluindo a possibilidade de ajustar o tamanho e tipo da fonte. São adições como essas que deixam o aparelho mais acessível, em especial para quem tem problemas de visão ou prefere adequar o estilo de visualização com base em preferências pessoais.
O Oasis também mantém a certificação IPX8, que torna o aparelho à prova d'água. Não fiz nenhum teste embaixo do chuveiro, piscina ou banheira (esta última se eu tivesse condições), porém a Amazon oferece a garantia que o dispositivo pode ser imerso em água doce por 60 minutos a dois metros de profundidade e continuar funcionando sem problemas.

Âmbar é a cor mais quente

A principal função de sistema que é exclusiva do Kindle Oasis é o controle de temperatura na tela. Trata-se de um recurso semelhante ao Night Shift do iOS, que diminui o branco da luz emitida pelo aparelho e o substitui por um tom mais amarelado, próximo ao âmbar. Assim como no iPhone, você pode ajustar manualmente a temperatura ou - e foi o que achei mais legal nessa funcionalidade - configurá-la a partir da sua rotina diária.

No meu caso, eu gosto de dormir entre 21h00 e 22h30, então pré-configurei o Kindle para ativar luzes mais quentes dentro dessa janela de horários. Depois, ao acordar no dia seguinte, entre 06h00 e 07h00, eu podia ligar o Oasis que ele voltava ao padrão normal das luzes. Reforçando que você pode efetuar essas definições a hora que quiser pelo menu suspenso no sistema e regular a temperatura usando o dedo. Dá até para ajustar a intensidade do efeito.
Também testei fazer algumas leituras durante o dia usando o controle de temperatura no máximo - para mim, o melhor ajuste ficava próximo do âmbar. E a sensação que eu tive era de segurar um livro antigo, daqueles que as páginas ficam amareladas com o tempo. Com isso, acabei tendo duas experiências de leitura: uma mais tradicional dos e-books, com a tela toda branca, e outra mais próxima de quando eu ainda lia livros em papel.

A tela do Kindle Oasis tem 7 polegadas e traz o que a Amazon chama de "próxima geração da tecnologia e-Ink". Ela impacta diretamente na velocidade com que as páginas são exibidas ou passadas umas entre as outras. A qualidade é outro diferencial: são 300 pixels por polegada na definição, e 25 LEDs de iluminação frontal.

No dia a dia

Eu venho testando o Kindle Oasis há cerca de uma semana e meia. Geralmente, faço minhas leituras pela manhã e à noite - levo cerca de 1h10 em cada trajeto do trabalho, de segundas às sextas-feiras. Eu já gostava bastante do Kindle Paperwhite, e até do modelo mais básico (chamado apenas de Kindle), que tive a oportunidade de testar por um tempo logo quando foi lançado no Brasil, no final de abril.
Com o Oasis, a experiência é basicamente a mesma, mas com esses diferenciais citados nos parágrafos anteriores: o encosto para mão na parte traseira é muito prático e não pesa enquanto o seguro. Os botões frontais são talvez a minha parte favorita porque sempre achei incômodo usar a tela capacitiva para a navegação, então só usando o dedo polegar posso voltar ou continuar pelo livro que estiver lendo no momento.
A qualidade de tela é outro ponto positivo porque, com o Oasis, tive a impressão de realmente estar segurando um livro digital que copia com fidelidade o aspecto do livro de papel. Essa sensação ficou ainda maior quando deixava a temperatura de luz bem amarelada, principalmente durante ao dia.

Por último, vale a pena citar a bateria. Eu digo "citar" porque, até o momento em que este review é publicado, o Kindle Oasis que testei não ficou completamente descarregado. Na verdade, o aparelho tem uma autonomia muito maior do que aquela que a Amazon promete, de dias. Asseguro que dura por semanas, mesmo se o seu uso for intenso como o meu. De acordo com a varejista, se você ler 30 minutos por dia, com iluminação no nível 13 e sem que o Wi-Fi esteja ativado, o Oasis pode ficar um mês e meio longe da tomada. Minha única ressalva é que o Oasis ainda utiliza uma entrada microUSB para recarregar – poderia ser um USB-C, para recarga mais rápida.

Vale a pena?


Sendo bem sincero com você: o Kindle Oasis faz exatamente a mesma coisa que os demais modelos da marca. Tem alguns diferenciais interessantes, como o ajuste de temperatura de tela e um design mais confortável para as mãos (ou mão, já que você só precisa segurar com uma delas), incluindo botões físicos de controle de páginas. No mais, se você já tem um Kindle Paperwhite, as principais funções não mudam. Por esse motivo, é pouco provável que um upgrade desse nível valha a pena, uma vez que há uma diferença de mais de R$ 600 entre os dois dispositivo. Mais difícil ainda se você já tem um Oasis.
Isso significa que o Oasis não vale o investimento? Muito pelo o contrário. É um e-book com excelente acabamento - definitivamente, o que você vai encontrar de melhor nesse mercado. Contudo, por que pagar mais em um gadget que faz tudo aquilo que você encontra em um aparelho centenas de reais mais barato? Cabe a você a decisão de escolher o que é mais vantajoso para você.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site