Moto G7 Power Review: bateria para ninguém botar defeito

Aparelho promete até 55 horas de uso contínuo sem precisar de uma nova recarga. Conheça estas e outras funções em nossa análise do produto

Foto: Caio Carvalho
https://pcworld.com.br/dados-review/moto-g7-power-review-bateria-para-ninguem-botar-defeito/
Clique para copiar
PONTUAÇÃO
7

Motorola

Moto G7 Power

Moto G7 Power
R$ 1.399 ver na loja
  • Design
    6
  • Tela
    6
  • Desempenho
    7
  • Bateria
    10
  • Câmeras
    6
  • Recursos
    7
  • Sistema
    8
Para quem gosta de baterias potentes, o novo integrante da família Moto G promete dar conta do recado e passar vários dias longe da tomada.

Prós

  • A melhor duração de bateria do mercado
  • Design ergonômico e confortável
  • Android 9.0 Pie (com promessa de atualização)
  • O único com TV Digital

Contras

  • Traseira hipersensível a poeira e marcas de dedos
  • Câmeras sem muita qualidade

Na sétima geração da família Moto G, a Motorola incluiu um novo integrante: o Moto G7 Power. O aparelho segue como um meio-termo entre o modelo mais básico, o G7 Play, e a versão mais avançada, o G7 Plus, porém oferece uma característica única: a bateria. Por isso o nome "power", já que a marca da Lenovo promete um dispositivo com bastante potência e energia para lidar com qualquer situação.

Embora seja bem parecido com os seus demais irmãos, nesta análise o foco será nas principais características do Moto G7 Power. E claro, comentar sobre os testes que fiz ao longo das duas últimas semanas para saber, de fato, se a bateria do smartphone tem todo esse poder.

Design e especificações

No quesito visual, toda linha Moto G7 segue quase o mesmo padrão. E o G7 Power não é diferente: ele é revestido por uma carcaça de polímero de vidro na parte traseira, pesa 193 gramas e mede 9.3 mm. O uso é bem confortável, mas esse é o modelo mais pesado entre os quatro dispositivos. Por falar na traseira do aparelho, prepare-se para andar com um paninho ou esponja para onde for, já que o material é extremamente sensível. Em questão de segundos, marcas de dedo ficam impregnadas, e qualquer poeira que entra em contato também pode fixar no produto.

Já na parte interna, o G7 Power mantém o processador octa-core Snapdragon 632 de 1.8 GHz, presente nas outras três variantes da família G7, porém a tela e a memória RAM são maiores - 6.2 polegadas e 3 GB, respectivamente. Em comparação com o G7 Play, o dispositivo tem bordas menos acentuadas na parte frontal, assim como o entalhe/notch para câmera e alto-falantes, que também é um pouco menor. Há ainda um sensor de impressão digital, abaixo da câmera traseira.

Mesmo com o as bordas e o notch, o G7 Power oferece uma tela IPS com resolução HD+ (1.520 x 720 pixels por polegada). Lendo isso, talvez você pense que a resolução não seja tão nítida assim. Contudo, gostei bastante da intensidade das cores, que possuem muita qualidade de brilho e contraste, mesmo na exibição de conteúdos mais escuros. Claro, não chega a ser um display AMOLED, mas para um aparelho com recursos intermediários, cumpre seu papel.

Android atualizado

O Moto G7 Power continua a tendência da Motorola em equipar seus produtos mais recentes com a última versão do Android. Neste caso, temos a 9.0 Pie, que tem entre os principais recursos a nova central de atalhos rápidos, navegação por gestos, uso otimizado da bateria, modo "Não Perturbe" com mais opções personalizadas, entre outras funções.

Contudo, o grande atrativo do software são as funcionalidades exclusivas da Motorola. Acessadas pelo aplicativo dedicado Moto, elas servem como um facilitador das ações mais comuns que costumamos fazer enquanto usamos os smartphones, como ligar a lanterna, girar o punho duas vezes para abrir a câmera, fazer uma screenshot, desbloquear o aparelho usando reconhecimento facial e muito mais. A plataforma tem uma interface superamigável e simples de ativar - basta habilitar ou desmarcar as chaves em cada opção.

E se você gosta de TV Digital, é importante saber: o G7 Power é o único da família Moto G7 com a plataforma.

Câmeras

Para um dispositivo intermediário, o Moto G7 Plus entrega uma experiência regular quando o assunto são seus sensores fotográficos. O principal deles tem 12 MP e abertura de lente f/2.0, enquanto que a câmera frontal possui 8 MP e abertura de f/2.2.

As fotos não chegam a ter uma qualidade extraordinária, nem oferecem funções mais precisas de captura de imagem, como estabilização óptica, por exemplo. No entanto, os recursos disponíveis devem atender as necessidades de tarefas mais básicas, como tirar fotos no dia a dia, fazer selfies em modo retrato, filmar vídeos panorâmicos ou time-lapse. Há ainda dois botões dedicados: um para iniciar transmissões ao vivo pelo YouTube e outro para digitalizar documentos direto pela câmera.

Bateria e desempenho

O nome "Power" do G7 Power não é em vão: ele realmente tem uma das baterias mais eficientes do mercado, garantindo que você evite uma nova recarga por dias, ou mais de uma semana, dependendo das suas ações. O componente tem 5.000 mAh e, de acordo com a Motorola, permitem que o smartphone seja usado por até 55 horas continuamente sem precisar ser recarregado. Ou seja, pode utilizá-lo tranquilamente por mais de dois dias.

Durante as duas últimas semanas, fiz alguns testes para verificar o quão poderosa é a bateria do G7 Power. O teste tradicional de reprodução de vídeo foi o que mais me surpreendeu: deixei ligados Wi-Fi, GPS e Bluetooth, coloquei o brilho de tela no máximo e iniciei uma playlist de clipes em qualidade Full HD no YouTube. Reproduzi os conteúdos das 10h às 19h por dois dias e, no terceiro dia, restaram 72% de energia.

Voltei a recarregar o G7 Power até alcançar 100%, e fui utilizando o celular normalmente durante a semana para ouvir música, tirar fotos, responder mensagens no WhatsApp e usar minhas redes sociais - isso tudo em porções ao longo do dia. Em cinco dias nesse comportamento, a bateria caiu para 61%, o que significa que eu poderia continuar na minha rotina por mais uma semana sem colocar o aparelho em uma tomada.

Antes de encerrar o tópico da bateria, quero destacar mais dois pontos interessantes. O primeiro é a seção do sistema dedicada à bateria, que traz opções para gerenciar melhor o uso de energia e exibe informações bem bacanas sobre a bateria - por exemplo, quando foi a última vez que o aparelho foi recarregado por completo e até uma previsão (fornecida pelo próprio G7 Power) de quando a bateria do smartphone irá acabar, de acordo com a carga atual.

O segundo ponto é o carregamento TurboPower, que otimiza ainda mais o carregamento do aparelho. Segundo a Motorola, 15 minutos na tomada garantem 8 horas de bateria contínua. Para uma carga completa, são necessárias cerca de três horas, o que não é muito tempo se for levar em consideração que você pode colocá-lo para recarregar enquanto está dormindo ou ocupado em dias mais corridos. Além disso, o carregador utiliza uma porta USB-C, o que torna a transmissão de energia muito mais rápida.

Performance e conclusão

Quero concluir essa análise falando um pouco da performance do G7 Power e como todos os pontos que você leu até então impactam nessa característica. O que você precisa saber: tenha em mente que o smartphone não tem um desempenho avançado para rodar jogos pesados. Entretanto, graças ao chipset da Qualcomm, apresenta uma resposta muito satisfatória para assistir vídeos, tirar fotos e outras tarefas comuns do cotidiano. Sempre, claro, priorizando a economia de bateria.

Lançar mais um aparelho para uma linha tão bem estabelecida no mercado de intermediários pode parecer um tiro no pé, ainda mais para uma marca tão estruturada quanto a Motorola. Só que esse é um dos maiores trunfos do G7 Power: suprir a demanda de usuários que não querem se preocupar em ter de recarregar constantemente a bateria e, ao mesmo tempo, diminuir o tempo de recarga em situações de emergência.

O telefone está disponível no Brasil por R$ 1.399, um preço excelente para um smartphone com foco em bateria, sem deixar de lado funções que facilitem a utilização diária, como biometria, reconhecimento facial e TV Digital. Portanto, para quem não quer o básico do básico no G7 Play, mas também não planeja gastar um pouco a mais por recursos de ponta do G7 Plus, o Moto G7 Power chega como a alternativa perfeita que com certeza atenderá suas expectativas.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site