Samsung Earbuds, a nova geração de fones Bluetooth da Samsung

Earbuds chega trazendo inovações em relação à geração anterior e mais barato

Foto:
https://pcworld.com.br/dados-review/samsung-earbuds-a-nova-geracao-de-fones-bluetooth-da-samsung/
Clique para copiar
PONTUAÇÃO
9

Samsung

Earbuds

Earbuds
R$ 999,00 ver na loja
  • Design
    9
  • Qualidade do som
    9
  • Ergonomia
    10
  • Duração de bateria
    8
  • Configuração
    7
Fone de ouvido bluetooth do tipo in-hear com som de alta qualidade e compatível com aparelhos Android, iOS e PCs

Prós

  • Ergonomia
  • Qualidade do som
  • Autonomia de bateria
  • Instalação
  • Design

Contras

  • Caixa com pouca bateria
  • Pode precisa de aplicativo para instalar

Fone de ouvido é algo muito sério. Ao menos para mim. Muita gente não sabe, mas muito antes de ser profissional de tecnologia, na adolescência tornei-me um audiófilo inveterado, até DJ fui décadas atrás. Devido meu grau de exigência quando eu encontrava um fone que me cativava eu comprava duas unidades para já ter o reserva e nunca ficar sem. Fones de ouvido bluetooth não existiam à época. E isso mudou muita coisa nos dias de hoje.

Quando surgiram os fones sem fio, que usam a tecnologia Bluetooth eles eram libertadores por um lado (sem fios, sem incômodos, sem amarras), mas tinham à época qualidade sofrível, muitas vezes pior que os mais simples fones com fios. Isso evoluiu com o tempo, melhoraram a qualidade até que a Apple em 2016 lançou seu iPhone 7 sem conector P2 e a discussão começou. Seria a morte dos fones P2 (cabeados)?

Quis contextualizar a chegada e a crescente popularização os fones Bluetooth. Hoje em dia há soluções de baixo custo, mas como diz o ditado “não existe almoço grátis”. Apple, Samsung e alguns poucos fabricantes grandes têm soluções de qualidade. A Samsung traz agora, junto com o lançamento da família S10 a nova geração do Samsung Earbuds com sensíveis melhorias.

Mas fones de ouvido Bluetooth são populares? Muitas pessoas menos inseridas no mundo da tecnologia têm receio de comprar um fone sem fios por medo de não os conseguir fazer funcionar. Sim, conversei com muita gente que me deu este feedback. Por isso o processo de instalação é parte fundamental do produto.

Características gerais

O Earbuds vem em um receptáculo dentro do qual cada um dos fones está encaixado perfeitamente (não tem como guardar na posição trocada). A propósito, importante frisar, não há fio algum unindo os elementos como tantos fones Bluetooth e sim apenas uma peça para cada ouvido (alguns fones Bluetooth têm essa característica unindo os elementos com um fio que fica atrás do pescoço).

Essa caixa além de ser o local natural e mais apropriado para guardar o Earbuds, contém uma bateria e toda vez que o fone é guardado ele é recarregado. Cada peça (de cada ouvido) tem sua bateria, cuja autonomia divulgada pela Samsung é de 6 horas e ampliada a cada vez que é guardado na sua caixa (mais sobre autonomia de bateria a seguir).

Impressionou-me sua ergonomia, problema esse que é crônico com muitos fones do tipo “in-ear” (que se encaixam dentro do ouvido). Com fones convencionais (com fios) eu sempre procuro trocar a peça de silicone (que vai dentro do ouvido) pela maior possível para que o fone fique bem firme e não caia em caminhadas ou corridas. Mas o Samsung Earbuds por conta de sua estrutura externa que se encaixa firmemente na anatomia do ouvido, permanece firmemente no local em todas as situações, mesmo sem que eu precisasse trocar a peça intra auricular pela variação maior. Isso é bom e ruim. Adiante eu explicarei.

Ele estará disponível no Brasil nas cores branca, preta e amarela.

Instalação e configuração

Quem adquirir o Galaxy S10 e o Earbuds terá a melhor experiência possível! A detecção é totalmente automática, graças a um chip presente o aparelho que cuida de toda a sincronização e pareamento dos fones. Ligou o Earbuds ele já é percebido pelo S10 e apenas surge uma tela para confirmação. Usei ao longo da minha avaliação um Samsung S9 e um Asus Zenfone 5 para fazer o pareamento.

Comecei pelo Asus Zenfone 5 seguindo o processo habitual que é ativar o Bluetooth do aparelho e mandar pesquisar dispositivos próximos. Localizado o Earbuds a sincronização foi imediata.


Importante frisar que ao contrário de outros dispositivos Bluetooth na instalação do Samsung Earbuds não é preciso apertar nenhum botão para iniciar a sincronização, fator esse desconhecido de muitos e que acaba atrapalhando a instalação (dificultando para alguns). Basta abrir a caixa, isso já inicia o processo de sincronização.

No novíssimo S10 a sincronização é automática, nada precisa ser feito, fantástico. No Zenfone 5 é o processo normal de qualquer aparelho Bluetooh, mas no meu Samsung Galaxy S9 foi um pouco diferente. Ao abrir a caixa apareceu a tela abaixo.

Imediatamente eu pensei “que ótimo, no S9 é como no S10, detecta sozinho”. Só que não. Não conseguia fazer o Earbuds se comunicar com o S9. Pesquisando em fórum de suporte vi que existe um aplicativo na Google Play chamado “Samsung Wearables” que após instalado detectou o Earbuds, conectou e ainda fez mais. Apresentou um pequeno, mas muito útil tutorial explicando como usar o Earbuds, ensinando seus comandos de toque... Achei muito bom.  Não funcionou de início com o S9, mas com o aplicativo deu tudo certo e ainda tive essa mini aula.

A parte superior de cada fone tem uma superfície sensível ao toque e comandos podem ser dados dessa forma. Por exemplo, um toque breve pausa e retoma a reprodução da música ou vídeo. Dois toques servem para avançar para a próxima faixa. Tocar e segurar aumenta ou diminui o volume (orelha esquerda diminui e orelha direita aumenta). Eu troquei esta configuração, era “som ambiente” antes (explicarei adiante). Bastante útil e intuitivo.

Aliás, logo na primeira vez que rodei o Samsung Wearable ele detectou que havia uma atualização do software do Earbuds e como se fosse o próprio sistema Android ele fez com que o sistema ficasse com a versão mais nova do software.

Uso no dia a dia

Leve, muito ergonômico, dá para esquecer que ele está lá nos seus ouvidos. Tenho outros fones bluetooth em princípio especiais para caminhada e corrida, com hastes para firmar no ouvido, mas não são tão confortáveis, até um pouco incômodos. Adorei esse encaixe leve e que não incomoda nada. E são muito firmes, não saem do lugar nem um pouquinho!

Pelo seu formato, tanto da parte intra auricular como sua parte externa o Earbuds isola muito bem os sons externos fazendo com que a música ou vídeo sejam praticamente tudo que se ouve.  Comento mais sobre isso abaixo.

Qualidade do som

Voltando ao início deste texto, sou bastante exigente com qualidade de som. Confesso que no primeiro momento tive certo desapontamento com a qualidade do som do Earbuds, algo que contrariou muito minha expectativa. Achei o som com pouco grave e volume baixo, tanto que eu só ouvia com o som em sua máxima intensidade.

Compensei a “falta de graves” com o bom ajuste interno do Samsung Wearables. Existe um equalizador muito simples que usei para reforçar ao máximo os graves (veja figura abaixo). Mas há ajustes ainda mais sofisticados disponíveis por faixas de frequências se alguém precisar.

Demorei um pouco para perceber o porquê desse comportamento desapontador. Ironicamente era graças a uma virtude do Earbuds. Em outros fones do tipo in-ear, como por exemplo o AKG que vem com o S9, ou os fones que acompanham o Zenfone 5, Motorola One, etc. o bom isolamento do som externo só se consegue usando o adaptador de silicone do tamanho certo para seu canal auricular, no meu caso uso sempre o de maior dimensão.

Só que o Earbuds se encaixa tão bem na estrutura da orelha que mesmo com o silicone de menor tamanho já se experimenta um ótimo isolamento. Quando eu resolvi experimentar o de tamanho maior o comportamento sonoro mudou completamente!! Graves mais profundos e volume sensivelmente mais alto, tanto que passei a usar o volume do fone entre 60 e 70% e não mais em 100% como estava usando antes.

Agora sim, um som robusto, penetrante, bom grave e delicadas altas frequências bastante perceptíveis. Ainda vale o alerta de que para qualquer fone de ouvido, seja ele intra auricular ou aqueles em formato de “concha” sobre o ouvido, a satisfação do prazer auditivo tem um componente subjetivo bastante pronunciado. Eu que sou acostumado aos fones (medianos) que acompanham os smartphones e os ótimos Koss, Sennheiser, Bose, Sony, AKG, Shure, posso confirmar que o Earbuds me satisfez totalmente no aspecto de qualidade sonora!


Cancelamento ativo de ruído

Eu destaquei que o isolamento dos sons externos do Earbuds é muito bom por causa de sua forte adaptação à anatomia da orelha, isolando mecanicamente os sons externos. Isso é a pura verdade, mas existe algo a mais que intensifica esta percepção. O Earbuds tem um sistema de cancelamento ativo de ruídos. Um microfone interno capta os ruídos de fundo e introduz no fluxo sonoro o anti-ruído, ondas sonoras que visam cancelar aquele barulho externo, tornando a experiência mais imersiva.

Isso leva a uma qualidade muito boa, mas há situações que isso não é desejável. Para praticar exportes externos, caminhada, corrida, deve haver percepção dos ruídos próximos por causa da segurança. O padrão do Earbuds é estar com o cancelamento de ruído ativo. Caso se deseje pode ser ativado o que ele chama de “Som ambiente”, ou seja, não cancela o ruído para que os barulhos externos sejam mais percebidos. Ainda pode haver uma prioridade para as frequências da voz (“Foco na voz”) para que se o usuário for chamado ele possa perceber com ainda mais facilidade.

Minha sugestão é, para curtir um som em casa, sentando no sofá, deitado na rede, ou em uma poltrona de avião, deixe o “Som ambiente” desligado (cancelamento de ruídos ativo). Para prática de exercícios, caminhada, corrida, pedalada, ative o “Som ambiente” (cancelamento de ruídos desligado).

Autonomia de bateria

A Samsung divulga que os Earbuds podem ser usados por 6 horas. Claro que se há pausas, pode durar mais. No meu uso e meus testes eu ratifico essa informação. Cheguei a usar por 4 horas seguidas, ouvindo músicas, vídeos do Youtube e um seriado no Netflix. Obtive 4 horas de autonomia e neste momento o aplicativo Samsung Wearable reportava que ainda havia 31% de carga nos fones. Calculando isso levaria a uma autonomia total de 5 horas e 48 minutos aproximadamente, muito próximo das 6 horas informadas.

Não podemos esquecer de que ao guardar os fones na sua caixa, esta por conter também sua bateria realiza a carga dos fones. Assim quem usa o fone no caminho para o trabalho e ao chegar guarda os fones na caixa, terá o Earbuds com 100% de carga ao voltar para casa.

A caixa tem segundo a Samsung a capacidade de carga suplementar de 7 horas, ou seja, capaz de preencher toda a carga dos fones se estiverem exauridos e ainda sobra uma hora. Há alguma crítica aqui por parte de alguns analistas porque o Apple Airpods, que tem um conceito semelhante, sua caixa tem capacidade de carregar os fones até 3 vezes.

Fazendo as contas, o Earbuds consegue prover até 13 horas de reprodução, algo que me parece bastante adequado, antes de guardar os fones na caixa e plugar o cabo USB-C para que ambos sejam recarregados (fones e caixa).

Mas quem tiver um Samsung S10 pode se valer de sua capacidade de carregamento reverso sem fio, ou seja, basta apoiar a caixa do Earbuds sobre o smartphone que ambos serão carregados (fones e caixa)!

Conclusão

O Samsung Earbuds tem instalação muito simples no Android, automático no S10 e também compatível com iPhone. Bateria com duração de 6 horas e mais 7 horas de recarga com sua caixa. É leve, muito ergonômico e seu encaixe na orelha isola muito o som externo. Tem sistema de cancelamento de ruído ativo que proporciona experiência ainda mais imersiva no conteúdo que pode ser desligado para maior segurança na prática de exercícios externos como caminhada, corrida e pedalada.

Para ser obtida a máxima qualidade do som deve ser usado o adaptador auricular de silicone que proporcione o melhor encaixe e firmeza, senão os sons soarão baixos e carentes das frequências baixas (graves). É a prova de humidade, resiste a respingos e principalmente suor (para quem fizer exercícios com ele), mas não pode ser submerso.

É oferecido em 3 cores, branco, preto e amarelo. As vendas começam em abril e o preço sugerido para o varejo será de R$ 999. Convém notar que este preço é mais baixo que da geração anterior, o Samsung Gear IconX. Há fones Bluetooth com preços menores no mercado, mas a qualidade e ergonomia do Earbuds deve ser levada em conta na hora de avaliar o custo benefício da aquisição.


Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site