TV 8K Sony Z9G: testamos a gigante da Master Series disponível no Brasil

Primeira 8K da Sony a chegar ao Brasil custa R$ 90 mil, mas qualidade acompanha o preço

Foto: Sony
https://pcworld.com.br/dados-review/tv-8k-sony-z9g-testamos-a-gigante-da-master-series-disponivel-no-brasil/
Clique para copiar
PONTUAÇÃO
9

Sony

TV Master Series XBR Z9G 8K

TV Master Series XBR Z9G 8K
R$ 89.999,99 ver na loja
O primeiro modelo 8K HDR da Sony a desembarcar no Brasil foi projetado com o mesmo rigor dos produtos da linha de Cinema e Broadcast da Sony. A XBR Z9G coloca o telespectador no centro da ação, como o diretor e os criadores de conteúdo idealizaram.

Prós

  • Imagens nítidas
  • Ótimos ângulos de visão
  • Upscalling para 4K muito bom
  • Áudio poderoso

Contras

  • Preço alto
  • Volumosa demais
  • Sem suporte ao HDR10+

Em outubro de 2019, a Sony trouxe para o Brasil novos modelos de TV Master Series da linha Premium XBR. Eu tive a oportunidade de passar algumas horas em uma sala com a XBR Z9G, o primeiro aparelho 8K da marca a desembarcar no país, e vou contar aqui minhas impressões sobre essa gigante em primeira mão.

Normalmente, eu passo muito mais tempo com um produto para realizar testes, mas é só olhar para o tamanho da Z9G e suas 85 polegadas para entender que não é fácil ficar transportando essa telona por aí. Além disso, estamos falando de um produto que custa R$ 90 mil.

De qualquer forma, vale destacar que esse ainda não pode ser considerado um review completo, que demandará mais tempo de tela com a Sony XBR Z9G. O que posso adiantar é que a experiência é excelente, porém é um produto nichado, que deve acertar em cheio os early adopters com muito dinheiro no bolso.

Design

A Sony faz parte do time que acredita que a resolução 8K de 7680 x 4320 e seus 33 milhões de pixels causam mais impacto quando vista em uma tela grande. Prova disso é que a empresa só disponibilizou a Z9G em dois tamanhos: 85 e 98 polegadas, sendo que a segunda não chegou ao Brasil.

A fabricante não está errada, mas eu também já tive a oportunidade de ver este tipo de conteúdo em telas menores e mais adaptáveis às salas de alguns meros mortais, como as de 65 polegadas, e o resultado também é incrível.

A Z9G de 85 polegadas não é delicada. Ela pesa 71,7 kg sem a base de mesa, e esse peso sobe para 74,5 kg com o suporte para apoiar no móvel. Isso significa que é uma TV bem volumosa, que pode não agradar tanto assim quem prefere um design mais fino e discreto. Como a própria Sony diz, o acabamento nos remete aos monitores da linha profissional da marca.

TV Sony 8K

O conjunto de entradas e saídas consiste em:

  • 2 Entrada RF
  • 1 Entrada de vídeo composto
  • Entrada HDMI 4 (1 lateral e 3 traseiras)
  • 1 saída de Áudio Digital
  • 1 Entrada de Áudio analógico
  • 1 Saída de Headphone híbrida com Áudio/SW
  • 1 Ethernet
  • 2 entradas USB nas laterais e 1 na traseira

Para esconder os cabos, este modelo conta com o sistema de organização localizado na parte traseira.

Áudio

Dá para entender que a fabricante optou por um design que maximizasse a qualidade de som, uma vez que temos uma montagem diferente aqui: quatro alto-falantes na parte frontal do aparelho (dois em cima e dois embaixo), em um esquema chamado de Acoustic Multi-Audio.

Ao todo, são quatro tweeters, oito woofers e quatro subwoofers, oferecendo 80W de potência. O resultado é um áudio imersivo, alto, com pressão e muita qualidade. Esse posicionamento dos alto-falantes dá a sensação de que o som está seguindo o movimento da imagem na tela, algo parecido com o que sentimos nos cinemas, já que, na maioria das salas, o som vem das caixas posicionadas atrás da tela e se dissipam por pequenos furos no tecido.

Além disso, o sistema Acoustic Multi-Audio é compatível com o padrão Dolby ATMOS, mas este recurso só estará disponível com uma atualização de software que será disponibilizada futuramente, em uma data ainda não informada.

De fato, não dá para negar que a Sony realmente caprichou no áudio da Z9G e que o resultado é muita potência, um som nítido e cheio de detalhes, com uma precisão de acompanhamento dos movimentos que impressiona.

Sistema operacional e controle

A Google lançou o Android TV em 2014, e a Sony foi a primeira empresa a apostar no sistema operacional já em 2015. A parceria segue até hoje nos televisores da marca, mas em 2019 as opções são bem amplas, com mais de 800 aplicativos disponíveis e compatibilidade com dispositivos Android e iOS.

O sistema está ágil, fácil de navegar e bem responsivo na Z9G e, apesar de aceitar a versão mais atual do sistema, o Android TV ainda não me agrada tanto quanto outros sistemas de algumas TVs concorrentes. No caso da Samsung, por exemplo, o menu aparece na parte inferior da tela e é bem mais agradável, personalizável e moderno. Já o menu do Android TV parece antiquado, aparecendo em tela cheia no modelo da Sony.

Os adeptos do comando de voz podem usar o Google Assistente integrado à TV para realizar buscas na internet ou até mesmo dar comandos para casas conectadas – como acender a luz, por exemplo –  em dispositivos compatíveis com o Google Home.

O reconhecimento vocal pode ser feito acionando o botão de microfone no controle remoto ou por meio de um microfone integrado na própria TV. A recém-chegada Alexa, da Amazon, também tem compatibilidade com o modelo.

Para quem não gosta de Android TV, uma atualização de firmware levará o AirPlay 2 e o HomeKit, ambos da Apple, ainda este ano para a Z9G.

Qualidade de imagem

A matemática do 8K é relativamente simples: quanto mais pixels você tem, mais detalhes pode mostrar. O problema é que ainda não existe conteúdo 8K disponível no mercado, então o que eu pude testar foi o que a própria Sony forneceu, incluindo um vídeo do carnaval do Rio de Janeiro que foi gravado com uma câmera 8K da própria Sony. O resultado é impressionante, com uma sensação tridimensionalidade absurda e nitidez em cada detalhe – até mesmo os menos glamurosos, como o lixo e a sujeira que fica pelo chão do sambódromo.

O desempenho da luz de fundo da XBR Z9G é muito bom e a iluminação em torno de objetos brilhantes num fundo escuro é pouco aparente. Para que isso funcione bem, a iluminação Backlight Master Drive é responsável por um sistema de calibração dos LEDs e controle individual da iluminação, evitando a distorção dos tons mais escuros. Em suma, o blooming, que é a claridade ao redor de itens claros em cenas muito escuras, não é tão incômodo aqui, apesar de ainda estar presente.

O ângulo de visão também é amplo e mantém a qualidade do conteúdo independentemente de onde você está sentado no sofá. Outro detalhe que ajuda no impacto do 8K são as nuances, que aparecem em sutis mudanças de cores. Ponto para a tela TRILUMINOS da Sony, que oferece uma grande variedade de tonalidades.

Imagens em movimento também se saem muito bem em filmagens mais dinâmicas, com taxas de atualização mais altas. Além da tela com 120Hz nativos, muito disso se deve ao processador X1 Ultimate, que, de acordo com a Sony, trabalha como uma placa de vídeo de 14 bits, analisando e tratando os conteúdos para entregar imagens com alta qualidade para diferentes fontes de conteúdo.

O X1 Ultimate ele também dá uma força no processamento na hora de fazer o upscalling de qualquer conteúdo para a resolução 8K. Para ajudar a preencher ainda mais os pixels excedentes entre resoluções Full HD e 4K, por exemplo, o chamado processamento 8K X-Reality PRO também entra em ação, trabalhando com um banco de dados exclusivo para reconhecer cada objeto na tela e ajustar em conformidade. O resulto é um conteúdo em 4K altamente convincente e nítido.

Fidelidade aos criadores de conteúdo

Quando você paga R$ 90 mil numa televisão, com certeza não espera se decepcionar com a imagem. E é claro que isso não acontece aqui. Na verdade, a Sony foi além com a XBR Z9G e disse que queria oferecer aos consumidores a experiência conforme os diretores e criadores de um determinado conteúdo o criaram.

Para isso, a empresa procurou especialistas para criarem calibrações especiais e específicas para filmes de cinema, jogos do PlayStation e TV aberta, por exemplo. Para acessar esses recursos, basta navegar pelos modos de imagem nas configurações da TV.

Mas o que eu mais consegui experimentar durante meus testes foi o Netflix Calibrated Mode, desenvolvido graças a uma parceria da Sony com a Netflix para otimizar a experiência do serviço de streaming. O resultado é realmente interessante e sentimos uma melhora notável na qualidade quando o recurso é acionado, com boa parte dos ruídos desaparecendo da tela.

Conclusão

Fato é que as imagens da XBR Z9G são muito realistas e vibrantes, mas se comparada à Samsung Q900R, que também é 8K, o resultado da Sony parece mais cinza e sombrio, mas a fabricante garante que essa é a intenção, já que ela quer aproximar cada vez mais a experiência da tela em casa daquela vista em um cinema. Além disso, a empresa também aponta para a tentativa de trazer um brilho mais realista e não tão superexposto como no caso da concorrente, que aposta nos pretos super profundos.

De qualquer forma, é tudo uma questão de preferência pessoal. Parte dos consumidores preferem aquelas cores super brilhantes, enquanto outros gostam de tons mais sombrios, que remetem às salas de cinema.

A falta de conteúdo 8K ainda pesa demais na decisão de comprar uma TV com essa resolução. O preço exorbitante também não vai ajudar na popularização da tecnologia em um curto período. Mas, além do óbvio, a Sony XBR Z9G traz imagens espetaculares e um poder de processamento de fazer inveja, que eleva o nível do 4K.

A moral da história é: se você tem (muito) dinheiro e preza pela qualidade e intenção artística dos diretores das produções na hora de dirigir um episódio de série, um programa de TV ou um longa-metragem, então se joga sem arrependimentos.

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site