Home > Notícias

Dezenas de iPads são apreendidos na China por disputa de nome, diz site

Empresa local Proview diz ser dona da marca registrada do tablet no país e entrou com pedido de investigação e apreensão junto a autoridades; Apple apelou nos tribunais

Macworld / Reino Unido

14/02/2012 às 10h31

Foto:

Mais de 30 escritórios de um órgão regulador comercial na China estão investigando as vendas do iPad no país, de acordo com o advogado da pouco conhecida companhia local Proview que acusa a Apple de violação de marca registrada do tablet.

Autoridades da cidade chinesa de Shijiazhuang teriam até chegado a apreender dezenas de iPads de comerciantes locais, após a Proview ter entrado com um processo alegando ser dona da marca registrada do nome do tablet da Apple, informa o jornal LA Times.

A Proview é uma fabricante de telas que decretou falência e tem brigado com a Apple nos tribunais pelo controle da marca iPad  na China. A “maçã” tomou um golpe nos tribunais após um tribunal de Shenzhen rejeitar sua alegação de compra da marca de uma subsidiária da Proview em Taiwan.

A companhia chinesa acredita que a Apple está violando a sua marca registrada do iPad, e entrou com processos judiciais em diferentes cidades do país exigindo que os comerciantes locais parem de vender o famoso tablet, afirmam seus advogados. A Proview também entrou com ações judiciais junto aos escritórios locais do órgão chinês AIC (Administration for Industry and Commerce), exigindo que as autoridades investiguem o caso, afirmou o advogado da empresa, Xie Xianghui, nesta terça, 14/2.

Os escritórios da AIC, incluindo unidades localizadas em Pequim e Xangai, notificaram a Proview de que as investigações estão em andamento, disse Xianghui. No entanto, ele nota que as autoridades não especificaram as ações tomadas até o momento.

ipad2-02.jpg

Tablet da Apple é motivo de briga judicial na China

Oficiais de Shijiazhuang se recusaram a comentar sobre as supostas apreensões dos iPads. Um porta-voz do escritório da AIC afirmou hoje que não tinha informações sobre a investigação relacionada a disputa de marca registrada do iPad.

Um comerciante do shopping Taihe, em Shijiazhuang, afirmou que parou de vender o iPad porque não era mais permitido, mas não forneceu mais informações sobre o caso. Outros vendedores afirmaram que ainda tinham o iPad à venda, e que não foram afetados pelas apreensões do tablet.

Até o fechamento da reportagem, a Apple não tinha respondido ao nosso pedido de comentário sobre o assunto. Após a decisão do tribunal que rejeitou suas alegações de compra da marca iPad na China, a Apple entrou com uma apelação.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail