Home > Notícias

Diablo III terá leilão de itens com dinheiro de verdade

Jogadores poderão "sacar" quantia obtida a partir de venda de itens; game da Blizzard só poderá ser jogado online

Pete Davinson

03/08/2011 às 11h31

Foto:

Durante um evento sobre o game Diablo III direcionado à imprensa, Rob Pard, o vice-presidente de design de games da Blizzard, revelou alguns recursos da continuação desse famoso RPG, e que podem ser verdadeiros divisores de águas

A começar que, assim como o StarCraft II, o game será apenas online. A razão por trás disso é para a empresa garantir que os gamers não usem códigos ou trapaças. Em segundo lugar, jogadores que passam horas intermináveis para deixar seus personagens com níveis altos e querem pular para o modo multiplayer não precisarão começar tudo de novo. 

Porém, o grande recurso que todos estavam comentando, na verdade, é como os “leilões” dentro do jogo vão funcionar. Desenvolvido para “facilitar as trocas entre os jogadores”, de acordo com Pard, o serviço é totalmente integrado com o cliente do game, e,  mais impressionante, permite que os jogadores vendam itens por dinheiro de verdade. O vice-presidente sublinhou que isso não é uma loja da Blizzard, mas sim um meio que os gamers terão de listar seus próprios itens e, potencialmente, fazer dinheiro com eles. Este movimento é, em parte, uma resposta a interface de troca praticamente nula do no Diablo II, na qual os jogadores tinham que negociar em um bate-papo na Battle.net e, depois, voltar para o jogo para consumar a entrega.

Os gamers serão completamente anônimos durante as trocas, e cada câmbio feito com sucesso conta pontos para uma espécie de balanço do Battle.net, que pode ser utilizado em outras Casas de Leilões ou em compras de serviços. Aparentemente, também será possível “sacar” esses valores - apenas na hora da transação - ao utilizar um cliente terceirizado e pagar algumas taxas à Blizzard. 

Personagens “hardcore” (conhecidos como permadeath) não estarão disponíveis nesse serviço, porque traz a possibilidade de que os jogadores percam todos os seus itens no azar de encontrar esses personagens, depois de gastar dinheiro de verdade comprando esses itens. “Estamos fazendo isso porque os gamers querem” afirmou Pardo.

Sobre o crescimento de jogos gratuitos e monetizações após o lançamento, perguntamos se não houve certa pressão para monetizar o DIablo III, baseado no comportamento atual da indústria. “Pressão é a maneira negativa de olhar essa questão” respondeu o vice-presidente. “Prefiro ‘inspirou’. Esse é um momento animador na indústria de games, no qual as pessoas estão tentando novas coisas e tendo muito sucesso. Tudo está se abrindo,e é isso que nos inspira” finalizou Pardo. 

 

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail