Home > Notícias

Duelo de smartphones: iPhone 4 vs HTC EVO 4G

O novo celular da Apple e um dos mais sofisticados smartphones Android se enfrentam no dia-a-dia. Quem será o vencedor?

Computerworld / EUA

23/07/2010 às 19h36

Foto:

Muito foi dito a respeito do iPhone 4 em relação aos problemas de recepção, as posições públicas da Apple sobre essa questão e as sanções sofridas pelos aplicativos escritos por terceiros. No meio desse embate, surge a concorrência com outras plataformas e declarações de que as dificuldades sofridas pelo smartphone da empresa de Steve Jobs seriam comuns a todos os fabricantes, e que o problema seria pequeno.

Houve muito barulho, mas ficou a dúvida: a mídia exagerou ou os problemas de sinal são apenas a ponta do iceberg? Para esclarecer a dúvida fizemos um comparativo entre o iPhone 4 e o smartphone HTC EVO 4G, um dos mais sofisticados aparelhos Android no mercado, avaliando o desempenho de ambos nas tarefas do dia-a-dia, para saber os problemas no iPhone 4 não passam de uma tempestade em um copo d'água ou se são algo mais sério e superam os benefícios do novo modelo.

Estilo

O iPhone é muito charmoso – medindo de 11,5 x 5,8 x 1cm e pesando 136g, apesar de pequeno ele passa a sensação de um celular sólido e é confortável nas mãos. A estrutura de vidro e aço inoxidável deixa o smartphone muito bonito. O vidro é reforçado e, de acordo com a empresa, 30 vezes mais resistente que o plástico. 

Já o EVO, com dimensões de 12,2 x 6,6 x 1,3cm e peso de 170g, parece grande demais para um smartphone. Ainda assim ele cabe no bolso e é confortável, mesmo para quem tem mãos pequenas.

No entanto, o design e o tamanho menor do iPhone 4 agradam mais.

» Vencedor: iPhone 4

Tela

A tela do iPhone 4, que a Apple chama de “Retina Display”, é excelente. Visualizar fotos no iPhone é muito próximo de vê-las no papel. Com isso, ao tirar fotos com a câmera do iPhone 4 o usuário não precisa ir ao computador para verificar a qualidade antes de compartilhá-las. A tela é tão boa quanto a dos melhores monitores de PCs desktop. 

No EVO, a tela não é tão boa quanto a do iPhone. A resolução é de 800x480 pixels, comparado aos 960 x 640 pixels do smartphone da Apple. Em contrapartida, a tela de 4.3 polegadas do EVO é muito maior do que a de 3.5 polegadas do iPhone, ponto forte muito enfatizado pelos entusiastas do aparelho da HTC.

» Vencedor:  iPhone 4

iphone4_120.jpg

Qualidade nas ligações

Recentemente o iPhone 4 foi atingido por uma onda de reclamações de consumidores alegando que o dispositivo derrubava as ligações, principalmente quando segurado pelo canto inferior esquerdo. Durante a conferência no dia 14 de julho o CEO da Apple, Steve Jobs, negou que isso fosse um problema grave, mas concordou em dar uma "capinha" gratuita para os usuários do aparelho que se sentem afetados pelo problema, mesmo embora jure de pés juntos que eles são poucos. 

Mas  problemas de antena à parte, o EVO saiu na frente na qualidade das ligações. Nos testes, ambos celulares tiveram boa performance em diversos locais, mas o destaque ficou com o EVO, que deixou o som mais claro e natural. Entretanto, o iPhone se saiu melhor ao cancelar o ruído do ambiente. 

Nos EUA o iPhone só está disponível na operadora AT&T, e os usuários da AT&T costumam reclamar a respeito da instabilidade das ligações e da baixa qualidade de áudio.  Em um estudo publicado em março deste ano pela Change Wave, apenas 23% dos clientes da AT&T declararam estar muito satisfeitos com o serviço. A Sprint, operadora exclusiva do EVO, foi muito melhor que a AT&T, ficando em segundo lugar com 35% dos clientes “muito satisfeitos”.

» Vencedor: EVO 4

Bateria

O desempenho da bateria não foi um problema. Ambos os smartphones duraram mais de um dia inteiro checando e-mails, navegando na Web, fazendo chamadas, tirando fotos e gravando vídeos. À noite ainda havia carga o bastante nos aparelhos.

» Vencedor: Empate

Tethering

É possível utilizar o EVO como um modem Wi-Fi portátil, capaz de manter até outros oito dispositivos conectados à internet simultâneamente. A configuração é simples – basta abrir um aplicativo no EVO e conectar o notebook ao smartphone como se fosse conectá-lo à uma rede Wi-Fi. O desempenho foi bom para acessar a Web, e-mail, Messenger e outros.

Ao utilizar o EVO como modem, a bateria do celular acaba mais rápido do que o normal. Com a bateria cheia, o EVO demorou 3 horas e 45 minutos para descarregar completamente a bateria ao ser utilizado como hot spot Wi-Fi. 

O iPhone também oferece tethering – em teoria. A conexão é via Bluetooth ou por cabo USB;  não é possível usar o celular diretamente como modem. Nos testes, o tethering por Bluetooth não funcionou, mesmo após acionar o suporte da AppleCare. Entretanto, via USB o processo foi simples de configurar e funcionou muito bem. 

A Sprint cobra 30 dólares por mês para ativar o tethering no EVO, enquanto o preço da AT&T pelo serviço é de 20 dólares para o iPhone (há alguns aplicativos para Android, como o PDANet, que prometem fazer tethering por cabo USB gratuitamente). 

O EVO tem mais vantagens aqui, pois o tethering via Wi-Fi é muito mais prático e atraente para usuários que ficam mais tempo na rua e precisam tirar o notebook da mochila e acessar a web rapidamente, sem ter de ficar caçando cabos ou uma rede aberta. 

» Vencedor: EVO 4G

htc_evo_120.jpg

Banda larga wireless

Ambos os celulares operam com rede 3G. O EVO suporta redes 4G mais rápidas, entretanto esse tipo de conexão só está disponível em pouquíssimos locais nos EUA, então a maioria das pessoas não vai poder aproveitar essa conexão mais veloz. Ao utilizar o 3G, não houve diferença visível entre os dois aparelhos em relação a velocidade e tempo de resposta.

» Vencedor: Nos locais nos EUA onde há 4G, o EVO. Em outro caso, empate.

Câmera

O iPhone prova que megapixels (MP) não significam nada. A câmera traseira de 8MP EVO tem maior resolução comparada aos 5MP da câmera do iPhone 4 (ambos os aparelhos gravam vídeo em HD), mas o aparelho da Apple simplesmente se saiu melhor: a luz e o brilho nas fotos e vídeos ficaram melhores, as cores ficaram mais vivas e a qualidade de som no vídeo foi melhor. 

» Vencedor: iPhone 4

Notificações

O Android – e, por extensão, o EVO – são muito bons ao mostrarem notificações de novos e-mails, menções no Twitter, chamadas perdidas, novos recados de voz e outros alertas. Notificações aparecem como ícones em uma barra horizontal no topo da tela. Ao "puxar" a barra para baixo, os alertas são dispostos em uma coluna elegante; basta tocar em cada notificação para ler ou, em caso de mensagem de voz, ouvir. É uma ótima maneira para se inteirar de tudo o que aconteceu mesmo que o celular não tenha sido usado por algumas horas.

Já no iPhone, em comparação, os alertas são dispostos de uma maneira ruim. O iPhone pode ser configurado para que um pequeno número apareça em cada aplicação que tenha novas mensagens. Se o usuário tiver muitos aplicativos acusando notificações, fica um pouco bagunçado. É possível também configurar janelas pop-ups para mostrarem as notificações, mas só as mais recentes são mostradas.

» Vencedor:  EVO 4G

Vídeo chamadas

Tanto o iPhone 4 quanto o EVO 4G suportam vídeo chamada. O FaceTime do iPhone funciona somente com outros iPhone 4 e somente em uma rede Wi-Fi, não no 3G ou EDGE. Apesar das limitações, o FaceTime funciona muito bem; basta tocar em um botão durante a ligação e o FaceTime inicia; vídeo e áudio são bons e claros. 

Teoricamente a vídeo chamada do EVO deveria ser melhor do que o iPhone, porque ele foi desenvolvido para funcionar com qualquer outro dispositivo em qualquer rede. A realidade é que a vídeo chamada do EVO não funcionou corretamente; os únicos aplicativos que conseguiram executar a função foram o Fring e o Qik, contudo, durante os testes, no Fring a imagem ficou pixelizada e o áudio incompreensível, e o recurso não funcionou no Qik.

» Vencedor: iPhone 4

Integração com o Google

Para muitos usuários, as aplicações do Google são recursos fundamentais (como o Gmail para e-mail, o Google Voice para ligações telefônicas e o Google Calendar para agendar compromissos, por exemplo). Para sincronizar o e-mail, os contatos e o calendário com o EVO, bastou logar com a conta Google e o celular cuidou de todo o resto.

Já no iPhone, esse processo está longe do que seria o conveniente. O processo para sincronizar o Gmail, os contatos e o Google Calendar com o celular já era complexo com o iPhone 3G, e no iPhone 4 pareceu não apresentar novidades. Em adição, a integração com o Google Voice é desajeitada. O usuário recebe facilmente ligações pelo Google Voice no iPhone, mas é preciso utilizar um aplicativo Web para fazer ligações com o Google Voice. Além disso, é preciso encaminhar manualmente as mensagens de voz do iPhone; tudo isso acontece automaticamente no EVO com o aplicativo gratuito do Google Voice.

Caso não seja usuário do Gmail, ambos os telefones permitem receber e-mails via POP3 e IMAP a partir dos clientes de e-mail embutidos, e ambos os aparelhos suportam conexão com servidores Microsoft Exchange.

Google Voice_160 

» Vencedor: EVO 4G

Multitarefa

O sistema multitarefa do Android funciona do mesmo jeito que em muitos computadores. É possível deixar um programa (por exemplo, um MP3 Player) rodando em segundo plano enquanto se utiliza outro programa (como e-mail ou um navegador web). O sistema operacional do iPhone, o iOS 4, deixa aplicativos de terceiros que preciasam de multitarefa em uma situação delicada – ele só permite que os aplicativos façam algumas poucas tarefas em segundo plano. Por exemplo, aplicativos de GPS podem continuar traçando a localização e dando orientações por voz, enquanto outros aplicativos podem terminar de fazer download e upload de dados.

Em teoria, o Android oferece mais liberdade, mas, na prática, as limitações do multitarefa no iPhone parecem não prejudicar o uso diário do celular. A Apple argumenta que deixa o iPhone 4 trancado a sete chaves para melhorar o desempenho e aperfeiçoar a estabilidade, mas não houve problemas visíveis ao utilizar o multitarefa no EVO.

» Vencedor:  Empate

Variedade de aplicativos

Tanto o iPhone quanto o Android têm uma vasta gama de aplicativos de terceiros. Com mais de 200 mil disponíveis na App Store da Apple contra os 70 mil no Android Market do Google, a primeira impressão é que o iPhone derrota tranquilamente o EVO. Contudo, alguns tipos de aplicativos que são disponibilizados para o EVO não estão disponíveis no iPhone.

Por exemplo, o Google desenvolveu uma versão nativa do Google Voice para o iPhone, mas a Apple a bloqueou porque duplicaria funções de telefonia já existentes no aparelho (com certeza a decisão não tem nada a ver com o fato de que a Apple e o Google são concorrentes ferrenhos). 

Há ainda outros aplicativos muito úteis que puderam ser instalados no EVO, mas não no iPhone. Por exemplo, é possível baixar aplicativos para customizar a inserção de texto, mudando o teclado padrão na tela do EVO. Ou mesmo trocar completamente a tela inicial, substituindo-a por algo mais versátil ou que atenda melhor às suas necessidades.

E o aplicativo DoggCatcher para Android (que custa 6.99 dólares) baixa podcasts via Wi-Fi, sem a necessidade de ter se conectar o celular a um desktop para sincronizar os dados. No iPhone foi necessário conectar o aparelho ao computador para baixar novos podcasts. No final das contas, apesar da falta de objeções a respeito do fato da Apple funcionar como uma plataforma fechada, seria mais interessante se as regras a respeito dos aplicativos fossem diferentes.

» Vencedor: EVO 4G

Flash

O EVO suporta Flash, enquanto o iPhone não. Os resultados a respeito de páginas com Flash são mistos: animações em Flash simples em sites corporativos são mostrados de maneira extremamente satisfatória, enquanto um jogo em Flash rodou extremamente devagar e os vídeos no Vimeo não foram executados. 

Muitos críticos dizem que o suporte a Flash não é tão importante, e, apesar do grande barulho e criticas à Apple, o Flash não é essencial para a maioria dos usuários. Há uma grande quantidade de sites que exigem Flash, mas a maioria dos sites mais populares como Hulu e YouTube possuem versões móveis que funcionam sem o plugin da Adobe.

Mas, ainda assim, mesmo o suporte parcial ao Flash é melhor do que suporte nenhum.

» Vencedor: EVO 4G

Conclusões

Após algumas semanas de uso e consideração, podemos dizer que o veredicto depende de alguns fatores. Se você já usa um iPhone e está tentado a migrar iPhone 4, como é o meu caso, está fazendo a coisa certa. Por que? Basicamente porque é trabalhoso mudar de plataforma, como do iOS para o Android. É preciso aprender a usar um novo aparelho e encontrar e baixar aplicativos para ele que façam a mesma coisa que os programas que você já tinha no aparelho antigo. Para compensar o esforço, a nova plataforma precisa fazer algo de novo e extraordinário que a antiga não consiga. Embora haja diferenças distintas entre o iPhone e o Android, nenhum deles é superior o bastante a ponto que valer a pena a incoveniência da mudança se o usuário está satisfeito com a plataforma atual.

Mas e se mesmo assim existir uma indecisão a respeito da escolha entre um smartphone Android e o iPhone? Bom, primeiramente é preciso considerar a operadora que será usada. Nos EUA os problemas que os clientes têm com a AT&T são visíveis na mídia, e ela é a única operadora na qual o iPhone está disponível. No Brasil essa exclusividade não existe, mas os preços do iPhone 3G e 3GS variam bastante de acordo com a operadora e pacote de telefonia, e com o iPhone 4 não será diferente. Se você tem uma operadora favorita, é preciso ver se a oferta vale a pena.

Se a operadora não é a questão, então o processo de escolha é outro: se a qualidade de fotos e vídeos é o mais importante, o iPhone é a escolha certa, porque simplesmente é melhor nesses aspectos, assim como no quesito estilo. No entanto, para trabalhar um smartphone Android é mais recomendado, por causa da integração com o Google, a possibilidade de Tethering Wi-Fi, aplicativos abertos e a flexibilidade de escolher entre muitos modelos de aparelhos, de vários fabricantes em várias operadoras.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail