Home > Notícias

Em briga de tablets, iPad aumenta liderança e vê Kindle Fire despencar

Segundo pesquisa da IDC, tablet da Apple cresceu 13% no último trimestre; analistas afirmam que queda do aparelho da Amazon foi maior do que esperado

IDG News Service / EUA

04/05/2012 às 11h49

Foto:

O iPad recuperou uma maior parte do mercado global de tablets no mês passado, em parte por causa de uma queda mais séria do que o esperado nas vendas do Kindle Fire, da Amazon, no primeiro trimestre, informa uma pesquisa da consultoria da IDC.

A fatia do aparelho da Apple no mercado de tablets subiu para 68% no primeiro trimestre de 2012, um crescimento de mais de 13% em relação aos últimos meses do ano passado, afirmou vice-presidente para telas e clientes da IDC, Bob O’Donnell.

Ao mesmo tempo, a participação da Amazon no mercado de tablets despencou de 17% no quarto trimestre de 2011 para apenas 4% nos três primeiros meses deste ano.

O’Donnell atribuiu o aumento do iPad e a queda do Kindle Fire a vários fatores, incluindo o fato de o aparelho só ser vendido nos EUA (e as festas de final de ano no país) e o alcance internacional do tablet da Apple, incluindo a China, onde o aparelho foi um item muito procurado durante a troca de presentes em janeiro. 

“Nós esperávamos ver uma queda significativa no Kindle Fire (no primeiro trimestre)”, disse O’Donnell. “Mas honestamente, a queda foi um pouco maior do que o esperado.”

As mudanças dramáticas de participação mostram que os tablets continuam sendo um produto sazonal, disse o analista da IDC. Isso inclui o iPad, que viu suas vendas caírem – mesmo com o Ano Novo Chinês a sua disposição – em cerca de 3,6 milhões de unidades em comparação ao trimestre anterior.

Mas a IDC também argumentou que o iPad tem “pernas” que os tablets rivais não possuem. “A ação da Apple para posicionar o iPad como um tablet para todos os propósitos, em vez de apenas um aparelho de consumo de conteúdo, está repercutindo com os consumidores assim como com as escolas e compradores comerciais”,  afirmou o diretor de aparelhos móveis conectados da IDC, Tom Mainelli.

De acordo com Mainelli, o posicionamento do iPad como mais do que um produto para o consumidor final, sendo um aparelho apropriado e vendável para mercados maiores como instituições de educação e empresas, o diferencia dos seus rivais.

E a Apple tem usado esse ponto a seu favor. No mês passado, a companhia fechou um acordo com uma escola de San Diego, na Califórnia, para a venda de 10 mil iPads – a empresa ainda disse que a cidade pretende comprar outros 15 mil tablets no segundo trimestre.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail